sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

O EVANGELHO É TESTEMUNHO


JOÃO 21 (24-25)

24 Este é o discípulo que testifica destas coisas e as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro.

25 Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem. Amém.

Feliz Ano Novo


Mais uma etapa concluída, mais um ano que passou que você tenha

e que este caminho seja trilhado com muita fé, para que cada vez mais

Coragem para assumir e enfrentar as dificuldades, perseverança para que

a cada novo dia possa a ver novos horizontes.

Que as mão de Deus guiem sua vida para que essa transporte em paz,
harmonia, saúde e alegria é tudo que lhe desejo neste ano
que está começando.

Você é especial! Feliz Ano Novo!

Você vale mais que isto


Certa vez uma menina de oito anos estava passeando pelo shopping, próximo da sua casa, com algumas amigas. Viu um dinheiro sobre o balcão de uma loja e pegou-o. A balconista viu e chamou-a de ladra. Segurou-a pelo braço e a levou até seus pais.

A menina estava aos prantos, e os pais ficaram desesperados com a situação. Algumas pessoas mais próximas esperavam que os pais batessem e punissem a filha, mas os pais desejavam educá-la para a vida e mostrar-lhe o quanto a amavam.

Chegando em casa, os pais fizeram algo inusitado. Deram à garota o dobro do valor que ela havia furtado e lhe disseram que ela era muito mais importante para eles do que todo o dinheiro do mundo. Explicaram que a honestidade e a dignidade não têm preço, pois nem mesmo toda a riqueza do mundo vale mais que essas virtudes. A sabedoria dos pais transformou uma situação crítica em um momento mágico de educação, de extrema beleza, e a menina jamais esqueceu aquela lição.

Os pais valorizaram mais a filha do que o seu erro. E isto fez a diferença. Em vez de punição, educação. Em vez de condenação, perdão. Em vez de agressividade, diálogo. Em vez de rigor, amor. Os pais, embora muitas vezes bem intencionados, perdem inúmeras oportunidades de educar os filhos com sabedoria e usam um rigor que afasta e infelicita.

Valorizam demais os erros e não se dão conta de que o filho pede orientação e carinho e não punição e condenação. São os filhos mais difíceis que testam a nossa capacidade de amar e educar. Muitas vezes os filhos têm atitudes que parecem ter o propósito de nos tirar do sério, de nos irritar, mas quando penetramos nos seus motivos, percebemos que a intenção é bem outra. O que geralmente acontece é que não analisamos bem a situação inesperada e somos precipitados nas reações, causando dor, sofrimento, e abrimos um enorme precipício entre nós e nossos filhos.

É importante levar em conta que nossos filhos são espíritos em busca de aperfeiçoamento e que são perfectíveis. Muitos são náufragos em busca de um porto seguro, que nossos braços podem lhes ofertar, em nome do amor. Se você deseja, com toda sinceridade, semear no solo fértil do coração do seu filho, as sementes de felicidade e esperança, penetre no seu mundo íntimo através do diálogo. Estenda a ponte da compreensão, da tolerância, do perdão, da doçura, do afeto. Não existe barreira capaz de se contrapor à força do amor em ação.
Pense nisso, e dê os passos necessários para chegar perto, bem perto mesmo, do seu filho problemático, mas extremamente carente de ternura. Mais importante do que passar regras e exigir que seus filhos as cumpram, é estar junto deles, dialogar com seriedade, saber dos seus reais sentimentos e intenções. Somente quem conhece a fundo o seu educando, pode ajudá-lo na difícil arte de viver, e viver com dignidade.

"No processo da educação, quase sempre um gesto tem efeito mais poderoso do que muitas palavras."
 
AUTOR DESCONHECIDO

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

O TESTEMUNHO CONTINUA SEMPRE


JOÃO 21 (20-23)

20 E Pedro, voltando-se, viu que o seguia aquele discípulo a quem Jesus amava, e que na ceia se recostara também sobre o seu peito, e que dissera: Senhor, quem é que te há de trair?

21 Vendo Pedro a este, disse a Jesus: Senhor, e deste que será?

22 Disse-lhe Jesus: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti? Segue-me tu.

23 Divulgou-se, pois, entre os irmãos este dito, que aquele discípulo não havia de morrer. Jesus, porém, não lhe disse que não morreria, mas: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti?

UM FELIZ ANO NOVO A TODOS

Receita de Ano Novo Feliz



Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependimento
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar que por decreto da esperança
a partir de Janeiro as coisas mudem e seja claridade,

Para ganhar um ano-novo que mereça este nome,
você, meu caro, tem que merecê-lo, tem de fazê-lo novo.

Eu sei que não é fácil mas tente, experimente, consciente.

É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.

Um maravilhoso Ano Novo para você!
AUTOR DESCONHECIDO

Ouro de Tolo


Na natureza, existe um minério que, por parecer minério de ouro, é conhecido como ouro de tolo. Trata-se da "pirita" (FeS2). O ouro real é mais denso, mais mole, maleável e sem estrias. E muita gente já morreu e até se matou pela pirita, acreditando que estava diante de uma mina de ouro.

Pois eu lhe digo com certeza: tem muita gente encontrando pirita todos os dias acreditando que é ouro, e jogam fora seus bens, e só dão valor para o que tem, quando perdem, quando descobrem que trocaram ouro por pirita, tinham muito e achava que não tinham nada...

Casamentos são desfeitos, relacionamentos terminam do nada, sociedades desfeitas, famílias arruinadas, amigos que não se falam mais, gente doente, pelo encantamento que o brilho da "pirita" tem...
tudo por acreditar no "ouro de tolo" das ilusões, dos desejos passageiros da carne, dos sonhos ilusórios da posse, dos bens materiais que perecem...

Até um dia em que a Vida; sábia professora, vem e tira a venda dos nossos olhos, e enxergamos a realidade nua e crua: trocamos o certo pelo duvidoso, a felicidade estava ali na nossa mão, e jogamos fora, desprezamos a paz, criamos o nosso inferno pessoal, e como tudo tem um preço, o arrependimento é a moeda que carregamos.

Se você acredita que a sua vida está ruim, se você até pensou em suicídio, ou não quer nem levantar da cama, achando que tudo acabou, vá lá fora e veja o sol brilhando, ou a chuva caindo e renovando o dia, claro sinal de que a vida continua, que você pode e deve Reconstruir-se, dar a si mesmo uma nova oportunidade, com uma grande vantagem: agora você já sabe o que é ouro e o que é pirita.

Valorize a vida e tudo o que você tem, esse é o grande tesouro conquistado!

Força ou Coragem



Muitas vezes na vida, não sabemos avaliar o que realmente necessitamos: se força ou coragem...

Há momentos em que precisamos das duas! Veja só:
É preciso ter força para ser firme, mas é preciso coragem para ser gentil... É preciso força para se defender, mas é preciso coragem para não revidar...

É preciso ter força para ganhar uma guerra, mas é preciso coragem para não se render. É preciso ter força para estar certo, mas é preciso coragem para admitir a dúvida ou o erro.

É preciso ter força para sentir a dor de um amigo, mas é preciso coragem para sentir as próprias dores. É preciso ter força para esconder os próprios males, mas é preciso coragem para demonstrá-los.

É preciso ter força para fazer tudo sozinho, mas é preciso coragem para pedir ajuda.

Parece fácil... Experimenta!
AUTOR DESCONHECIDO

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

PARA DIRIGIR A COMUNIDADE


JOÃO 21 (15-19)

15 E, depois de terem jantado, disse Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? E ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros.

16 Tornou a dizer-lhe segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Disse-lhe: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.

17 Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.

18 Na verdade, na verdade te digo que, quando eras mais moço, te cingias a ti mesmo, e andavas por onde querias; mas, quando já fores velho, estenderás as tuas mãos, e outro te cingirá, e te levará para onde tu não queiras.

19 E disse isto, significando com que morte havia ele de glorificar a Deus. E, dito isto, disse-lhe: Segue-me.

Será um Ano Novo de verdade?


Será um Ano Novo de verdade?
Ficamos pensativos nesta época... O ano novo esta aí... e agora???
Você já parou para agradecer por este ano que viveu???

Pense e lembre daquele abraço que não deu... Pense e lembre daquele pedido de desculpas... que por orgulho não deu...
Pense e lembre das atitudes impensadas com aquela pessoa querida...


Tudo isso é contado naquela hora que vamos embora desta terra...

Na hora da virada... feche seus olhos... e agradeça... não peça...!!!
Ele... o cara lá de cima sabe o que merecemos... E você é o único responsável pelas coisas que tem e faz... Se não tem... é porque não fez por merecer...
Há algo errado para não ter e ser... pense... pense....
A virada é agora... e se tiver um pedido para fazer...
Peça para se tornar uma pessoa melhor... e merecedora de tudo o que este mundo possa lhe proporcionar...
Desejo a você... uma virada estonteante de alegria interior...
E que as coisas boas venham de dentro de você para fora...
Esse é o segredo!!!
Ano Novo... é hora de acordar... Felicidades...

Aos que andam só...



Triste mesmo é ver que uma pessoa não conta com ninguém a não ser ela própria, ela tem muitos conhecidos, é até famosa entre os “amigos”, mas na hora da dor, na hora do sofrimento interior, não tem com quem contar.

Muito se tem falado sobre espiritualidade, sobre crenças e orações, nunca se viu tantos templos para o culto ao divino, Nunca foram tão grandes e luxuosos, e jamais se vendeu tantos livros que falam sobre religiões, mas, o homem continua só, solitária e desgraçadamente só.

Os hospitais estão cheios de pessoas com doenças desconhecidas, aparelhos sofisticados não identificam os germes espirituais, sondas não enxergam “sombras”, dinheiro não cura depressão, consumismo não alivia o peso da alma vazia...

Nunca precisamos tanto de Deus como agora, mas os homens continuam buscando o Messias com a espada, justiceiro que venha fazer tudo por eles, que pague suas contas, que cure suas doenças provocadas pela incoerência, que apaguem seus vícios, que resolva tudo, sem esforço.

Jesus continua sendo simples, e seu recado tão direto, tão fácil de compreender que continua sendo incompreendido e ignorado, porque demanda esforço pessoal, renúncia aos prazeres mais carnais, força de vontade para superar os próprios erros e vícios. Determinação e resignação diante de certas dores, e, sobretudo, ter fé na providência divina, Que tudo tem seu tempo debaixo do céu quase sempre azul.

Enquanto podes, perdoa o seu irmão que está junto contigo, livra-se do que já sabes que não agrada a Deus, nem a você mesmo, liberte-se dos sentimentos mesquinhos do querer cada vez mais, e sobretudo, esforce-se para prender a amar com qualidade, Sem distinção, prestando atenção no próximo, que muitas vezes, é o que se reflete no seu espelho do banheiro peça manhã.

E, para terminar esse recado amoroso ao seu coração, Tenha humildade para orar todos os dias, Conversar com o seu Criador, pedindo-lhe paciência, Esperança e certezas que lhe fazem tanta falta, E por fim, descubra o quanto você é importante, Que não está sozinho, e que pode contar com a luz, E essa luz, é claro, é Jesus.

(Paulo Roberto Gaefke)

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

A MISSÃO DA COMUNIDADE


JOÃO 21 (1-14)

1 Depois disto manifestou-se Jesus outra vez aos discípulos junto do mar de Tiberíades; e manifestou-se assim:

2 Estavam juntos Simão Pedro, e Tomé, chamado Dídimo, e Natanael, que era de Caná da Galiléia, os filhos de Zebedeu, e outros dois dos seus discípulos.

3 Disse-lhes Simão Pedro: Vou pescar. Dizem-lhe eles: Também nós vamos contigo. Foram, e subiram logo para o barco, e naquela noite nada apanharam.

4 E, sendo já manhã, Jesus se apresentou na praia, mas os discípulos não conheceram que era Jesus.

5 Disse-lhes, pois, Jesus: Filhos, tendes alguma coisa de comer? Responderam-lhe: Não.

6 E ele lhes disse: Lançai a rede para o lado direito do barco, e achareis. Lançaram-na, pois, e já não a podiam tirar, pela multidão dos peixes.

7 Então aquele discípulo, a quem Jesus amava, disse a Pedro: É o Senhor. E, quando Simão Pedro ouviu que era o Senhor, cingiu-se com a túnica (porque estava nu) e lançou-se ao mar.

8 E os outros discípulos foram com o barco (porque não estavam distantes da terra senão quase duzentos côvados), levando a rede cheia de peixes.

9 Logo que desceram para terra, viram ali brasas, e um peixe posto em cima, e pão.

10 Disse-lhes Jesus: Trazei dos peixes que agora apanhastes.

11 Simão Pedro subiu e puxou a rede para terra, cheia de cento e cinqüenta e três grandes peixes e, sendo tantos, não se rompeu a rede.

12 Disse-lhes Jesus: Vinde, comei. E nenhum dos discípulos ousava perguntar-lhe: Quem és tu? sabendo que era o Senhor.

13 Chegou, pois, Jesus, e tomou o pão, e deu-lhes e, semelhantemente o peixe.

14 E já era a terceira vez que Jesus se manifestava aos seus discípulos, depois de ter ressuscitado dentre os mortos.

Olhos de criança



Um velho sentava-se em sua cadeira de balanço dia após dia.
Ele prometeu não sair dali até ver Deus.

Em uma bela tarde de primavera, o velho balançando em sua cadeira, incansável em sua busca visual de Deus, viu uma garotinha brincando do outro lado da rua.

A bola da garotinha rolou para o seu quintal, e ela correu em sua direção.

Ao abaixar-se para pegá-la, olhou para o velho e disse:
- Eu vejo o senhor todos os dias balançando-se em sua cadeira e olhando para o vazio. O que está procurando?
- Ah, minha querida, é jovem demais para entender - respondeu o velho.
- Talvez - respondeu a garota. Mas a minha mãe sempre me disse que se eu tivesse algo em minha cabeça, deveria falar sobre isso, para compreender melhor. Ela sempre diz: "Srta. Lizzy, compartilhe os seus pensamentos." Compartilhe, compartilhe, compartilhe, é o que sempre diz.
- Bem Srta. Lizzy, eu não acho que poderia ajudar-me - resmungou o velho.
- Possivelmente não, senhor, mas talvez eu possa ajudar apenas ouvindo.
- Está bem, criança, eu estou procurando por Deus.
- Com o devido respeito, o senhor balança para a frente e para trás nessa cadeira dia após dia à procura de Deus? - Perguntou a Srta. Lizzy, intrigada.
- Sim. Preciso acreditar antes da minha morte, que existe um Deus. Preciso de um sinal - respondeu o velho.
- Um sinal, senhor? Um sinal? disse a Srta. Lizzy, agora bastante confusa com as palavras do velho.

- Senhor, Deus dá-lhe um sinal quando o senhor respira, sente o cheiro de flores frescas, ouve os pássaros cantando e todos os bebês nascem. Ele dá-lhe um sinal quando o senhor ri e chora, quando sente as lágrimas saindo de seus olhos. Isso é um sinal em seu coração para abraçar e amar. Deus dá-lhe um sinal no vento, no arco-íris e na mudança das estações. Todos os sinais estão aí, mas o senhor não acredita neles. Deus está no senhor e em mim. Não existe procura, porque ele, ela ou seja lá o que for está aqui o tempo todo.

Com uma das mãos em sua cintura e brandindo a outra no ar, a Srta. Lizzy continuou:
- Minha mãe diz: "Se você estiver procurando algo monumental, é porque fechou os olhos, pois ver Deus é ver as coisas simples, ver a vida em tudo."
- Srta. Lizzy, é muito perspicaz em sua compreensão de Deus, mas o que fala ainda não é o bastante.

Lizzy caminhou até o velho, colocou as suas mãos infantis sobre o coração dele e falou suavemente em seu ouvido:
- Senhor, isso vem daqui, não de lá. - E apontou para o céu. - Encontre-o primeiro em seu coração, em seu próprio exemplo. Então verá os sinais.

Quando atravessava novamente a rua para ir embora, ela virou-se para o velho e sorriu. Então, ao inclinar-se para sentir o cheiro das flores, gritou:
- Minha mãe sempre diz: "Se você estiver procurando algo monumental, é porque fechou os olhos".
AUTOR DESCONHECIDO

Respingos de vida


Meu avô levou-me ao lago da fazenda, quando eu tinha mais ou menos sete anos, e me pediu para jogar uma pedra na água. Pediu-me para observar os círculos formados pela pedra e pelos seus respingos ao bater na água.

Então pediu que eu pensasse sobre mim mesmo como sendo aquela pedra,
- Você criará muitos respingos pela sua vida e as ondas que vêm destes respingos perturbarão a paz de todas as criaturas à sua volta. Ele disse.

E completou,
- Lembre-se de que você é o responsável pelo que você põe em seu círculo e este círculo tocará muitos outros círculos. Você precisará viver de tal forma que permita que o bem em seu círculo envie paz e bondade aos outros. O respingo que vem da raiva e do ciúme enviarão estes mesmos sentimentos aos outros círculos. Você é o responsável por ambos.

Foi a primeira vez que eu compreendi que cada pessoa cria interiormente a paz ou a discórdia que se espalhará pelo mundo. Nós não podemos criar paz se, por dentro, estamos cheios de conflitos, ódio, dúvidas e raiva. Irradiamos os sentimentos e os pensamentos, sejam ditos ou não.

Os respingos do que temos por dentro se espalha pelo mundo, criando beleza ou discórdia, combinados com todos os outros círculos de vida.
AUTOR DESCONHECIDO

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

PARA QUE JOÃO ESCREVEU ESTE EVANGELHO?


JOÃO 20 (30-31)
30 Jesus, pois, operou também em presença de seus discípulos muitos outros sinais, que não estão escritos neste livro.

31 Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.

Visão de borboleta


Uma lição interessante eu tive quando estava saindo para o escritório.

Quando abri a porta da garagem, eu surpreendi uma grande borboleta. Imediatamente ela voou em direção ao que percebera como ponto de fuga, um pequeno círculo - no alto da garagem, onde freneticamente tentava sair através da invisível parede de vidro.

Eu abri a porta da garagem com a esperança de ajudar na fuga. Isto fez com que ela voasse para mais alto e mais alto até ficar presa à uma teia de aranha. Temendo que ela acabasse morrendo presa na teia, apanhei uma vassoura e a ajudei a escapar das finas linhas.

Nisto, ela retornou furiosamente a agitar suas asas, batendo contra o vidro, que era, em sua perspectiva, o caminho de fuga, mas permanecia presa em sua gaiola.

Bastava, simplesmente girar seu enfoque para o lado, e teria facilmente saído de sua prisão. Entretanto, devido a manter sua atenção em uma única direção, permaneceu limitada, cativa.

Observando a borboleta, percebi que em nossa vida, muitas vezes nos vemos em situações semelhantes, onde basta mudar um pouco o enfoque e, facilmente, encontramos a saída.

AUTOR DESCONHECIDO

domingo, 26 de dezembro de 2010

A COMUNIDADE É TESTEMUNHA DE JESUS RESSUSCITADO


JOÃO 20 (24-29)

24 Ora, Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus.

25 Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei.

26 E oito dias depois estavam outra vez os seus discípulos dentro, e com eles Tomé. Chegou Jesus, estando as portas fechadas, e apresentou-se no meio, e disse: Paz seja convosco.

27 Depois disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente.

28 E Tomé respondeu, e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu!

29 Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram.

Seu futuro



Estava um homem sentado num banco de praça onde sempre costumava ficar por algum tempo.
Ele olhava as árvores ao sol e ao vento, as pombas em busca de alimentos, os camelôs vendendo quinquilharias, os pássaros fazendo ninhos, as crianças brincando, os sinos da igreja badalando, velhinhos rolando dados ou jogando dominós.

Subitamente viu-se rodeado por 7 vultos de rosto encoberto, e um deles lhe disse:
- Nós somos moradores do futuro.
- O que vieram me falar? - perguntou ele, sentindo-se incomodado.

Assim, um a um começou a dizer:
1º - Eu sou uma tormenta: um dia poderei levar tudo que você possui.
2º - Eu sou a fome: um dia poderei chegar e você conhecerá uma das maiores dores que assolam o mundo.
3º - Eu sou o desemprego: um dia poderei visitá-lo e você não saberá como sobreviver.
4º - Eu sou um incêndio: um dia poderei deixá-lo sem teto e sem abrigo.
5º - Eu sou a melancolia: um dia poderei atingi-lo e você perderá a vontade de viver.
6º - Eu sou a solidão: um dia poderei bater à sua porta e você não terá companheiros para ouvi-lo ou para conversar.
7º - Eu sou a velhice: quando eu chegar, você estará vazio, doente e sem metas.

De repente, como num turbilhão, os 7 vultos falavam ao mesmo tempo, atropeladamente. O homem, começou a tremer. Pondo-se a respirar fundo, aos poucos foi se refazendo e, como num passe de mágica, ele pôde ver os rostos dos 7 vultos. Eram exatamente iguais ao dele! Ele, com decisão, disse:
- Parem! Vocês são ladrões de paz! São assaltantes de mentes distraídas! Vocês são EU mesmo! São meus pensamentos! Vocês não moram no futuro! Moram na minha cabeça, mas nela sou EU quem manda!

... E prosseguiu:
- Aqui aprendi com as árvores que a renovação é possível depois de terem suas folhas levadas.
- Aqui aprendi com as pombas que sempre haverá mais alimento do que pombas famintas.
- Aqui aprendi com os camelôs que o empregador nem sempre é indispensável e que sempre haverá meios para sobreviver.
- Aqui aprendi com os pássaros que, a cada ninho derrubado, novos ninhos podem ser construídos.
- Aqui aprendi com as crianças que não é necessário nenhum esforço para ser feliz e querer viver.
- Aqui aprendi com os sinos que, por mais sós que estejamos, sempre haverá alguém para nos ouvir.
- E aqui aprendi com os velhinhos que metas sempre são viáveis de serem atingidas, ainda que seja vencer numa aposta de dados ou num jogo de dominós.

Pouco a pouco aqueles 7 vultos foram mudando suas pesadas expressões e, abrindo suaves sorrisos, puseram-se a dizer:
1º - Eu sou a Prosperidade.
2º - Eu sou a Fartura.
3º - Eu sou o Progresso.
4º - Eu sou a Segurança.
5º - Eu sou a Alegria.
6º - Eu sou o Companheirismo.
7º - Eu sou a Certeza da Vida Eterna.

Sentindo que havia dominado os próprios "fantasmas", o homem saiu caminhando suave e tranquilamente em direção ao amanhã.

Que pensamentos estão criando o seu futuro?
AUTOR DESCONHECIDO

Tempestades



Certa vez presenciei um tempestade no fim da primavera. Estava tudo escuro, exceto onde o relâmpago cortava o céu. O vento sibilava e as águas caíam, diluviais.

Que devastação!

Mas não demorou muito, os relâmpagos cessaram, os raios silenciaram, a chuva parou, as nuvens se foram com o vento manso e apareceu o arco-íris.

Então, durante várias semanas os campos ficaram cobertos de flores, e por todo o verão a grama esteve mais verde, os ribeiros mais cheios e as árvores mais frondosas - tudo porque a tempestade havia passado por ali, muito embora o resto da terra já houvesse esquecido o temporal, e suas águas, e seu arco-íris.

Deus poderá não nos dar uma jornada fácil para a terra prometida , mas nos dará uma jornada segura.

Foi uma tempestade que ocasionou a descoberta das minas de ouro na Índia. E tempestades tem levado alguns a descobertas das mais ricas minas do amor de Deus.
AUTOR DESCONHECIDO

sábado, 25 de dezembro de 2010

jesus ressuscitou esta vivo na comunidade


joão 19 (19-23)

19 Chegada, pois, a tarde daquele dia, o primeiro da semana, e cerradas as portas onde os discípulos, com medo dos judeus, se tinham ajuntado, chegou Jesus, e pôs-se no meio, e disse-lhes: Paz seja convosco.

20 E, dizendo isto, mostrou-lhes as suas mãos e o lado. De sorte que os discípulos se alegraram, vendo o Senhor.

21 Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco; assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós.

22 E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo.

23 Aqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e àqueles a quem os retiverdes lhes são retidos.

Prece de Natal


Paira no ar
aquele cheiro gostoso de amizade
aquele sorriso de cumplicidade.
As árvores estão iluminadas
e de lindos enfeites adornadas.
As pessoas se abraçam contentes
carregando nos braços os presentes
Os olhinhos ansiosos das crianças
parecem renovar as esperanças

É o espírito natalino!

Nesse cenário mesclado de cor
ajoelho-me diante do Senhor
e numa prece de gratidão
Lhe entrego meu coração.

Senhor! Hoje não é importante
que felicidade não tenha sido constante,
porque mais tenho a agradecer
do que pedidos a fazer.
Pela grandeza deste dia lindo,
pela alegria de ver todos sorrindo,
pelo sol que me esquenta
e pela lua que me acalenta,
pelo beijo que posso dar,
pela lágrima que posso chorar,
pela pessoa que posso ser,
e por tudo que posso ter,
obrigada, Senhor!
Só tenho que lhe agradecer!
mas não posso esquecer
do menor abandonado
do jovem encarcerado,
da mãe que o filho perdeu,
do pai de família que adoeceu,
de todos os drogados
e de tantos desempregados,
das crianças desprezadas,
das famílias desestruturadas,
dos mutilados de guerra,
do problema dos sem terra,
dos que não tem o que comer,
dos que sem cuidados vão morrer...

Por estes eu te peço, Senhor,
a tua paz e o teu amor!
Que neste dia santificado
todo sonho seja realizado!

Autora: Cleide Canton Garcia.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

JESUS RESSUSCITADO É DESCOBERTO PELA FÉ


JOÃO 20 (11-18)

11 E Maria estava chorando fora, junto ao sepulcro. Estando ela, pois, chorando, abaixou-se para o sepulcro.

12 E viu dois anjos vestidos de branco, assentados onde jazera o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés.

13 E disseram-lhe eles: Mulher, por que choras? Ela lhes disse: Porque levaram o meu Senhor, e não sei onde o puseram.

14 E, tendo dito isto, voltou-se para trás, e viu Jesus em pé, mas não sabia que era Jesus.

15 Disse-lhe Jesus: Mulher, por que choras? Quem buscas? Ela, cuidando que era o hortelão, disse-lhe: Senhor, se tu o levaste, dize-me onde o puseste, e eu o levarei.

16 Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, voltando-se, disse-lhe: Raboni (que quer dizer, Mestre).

17 Disse-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu Pai, mas vai para meus irmãos, e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus.

18 Maria Madalena foi e anunciou aos discípulos que vira o Senhor, e que ele lhe dissera isto.

PRESENTE DE NATAL



As estrelas andavam alvoroçadas.
Estavam encarregadas da decoração do céu para os festejos de Natal.
E isso, naquela imensidão de espaço azul, com tantas críticas sobre a face da terra, não era coisa fácil, não.
 
Por isso, resolveram reunir-se e fazer planos...
 
- Olhem, dizia a Estrelinha Azul-da-Tarde - , acho que poderemos fazer dois arcos de luz, um cruzando do norte para o sul, outro do leste para o oeste.
 
- Qual nada - disse a Estrelinha Vermelha-da-Madrugada. - Poderemos fazer os arcos, mas paralelos, um juntinho do outro...
A Terra será como uma noite luminosa, sob o nosso efeito.
 
- Quem sabe se fazemos um movimento circular e móvel?
Deixaremos os meninos tontos de admiração, a nos olharem lá de baixo.
- É mesmo! - disse a Estrelinha Amarela-do-Meio-Dia.
 
 
Naquele tumulto de opiniões, só a caçulinha das estrelas não falara. Era a Estrela-Criança-Flor-do-Espaço-Azul e sonhava diferente.
- Em que pensa, Estrelinha? - perguntaram-lhe então.
- Penso que vocês estão esquecendo o mais importante.
- E o que é o mais importante?
- É a luz interior, que devemos levar a todos os seres da Terra, sejam eles grandes ou pequenos.
 
As estrelinhas pasmaram diante da seriedade
da irmã menor.
Daí em diante ninguém mais falou alto. Foi apenas uma combinação sussurrada em segredo.
 
Só quando os sinos repicaram, felizes, anunciando a alegria do Natal, foi que se descobriu o plano: em vez de fazerem evoluções luminosas pelo céu, cada estrelinha desceu à Terra e iluminou a alma de uma criatura.
 
E foi então que a ESPERANÇA, uma leve e grande Esperança, brotou sobre todas as coisas.
AUTOR DESCONHECIDO

Natal Verdadeiro



Natal Verdadeiro
Quando o mundo atravessa momentos tão
difíceis, quando irmãos nossos de todos
os cantos sofrem e gemem, açoitados pela
dor, pela fome, pelo medo, sendo vítimas
de uma terrível violência -a falta de Amor-
nos questionamos seriamente sobre este tipo de
Natal que vimos festejando desde que nascemos.
Natal de pinheiros enfeitados por bolas coloridas
e muito dourado, que tem como símbolo um
Papai Noel bem nutrido, gordo e feliz, que é
esperado nas casas das crianças que têm posses,
com os presentes por elas sonhados e que se
esquece das crianças pobres, que mais uma
vez ficam sem ter os seus desejos satisfeitos...
nem neste dia - o dia em que comemoramos o
nascimento de Jesus, nosso símbolo de Amor.

E aí eu me pergunto,
se já não estaria na hora de mudarmos isto.
Se, agora que já compreendemos melhor o que se
passa, não deveríamos romper com as tradições,
com o conformismo de viver imitando sempre o
que tem sido, para começar a agir de forma
mais coerente e festejar um Natal mais cristão.
Pensemos: Jesus é o homenageado hoje.
Bem o que gostaria que nós fizéssemos num dia
como esse, o que foi que nos ensinou?
A ajudar aquele que tem menos que nós,
a perdoar aos que nos ofenderam,
a amar incondicionalmente a todas as criaturas.
Se posso dar presente a meus amados,
por que não separar um pouco pra dar aos
que talvez não tenham sido nunca objeto do
amor de alguém?
Se posso ter uma mesa repleta das comidas
que gosto, por que não lembrar de levar alguma
coisa gostosa e bonita, para aqueles que talvez
ainda não tenham se alimentado hoje?

Será justo que o Príncipe do Amor só seja
festejado nas casas dos que têm dinheiro?
Logo Ele, que veio para os humildes, os doentes,
os fracos, os caídos?
Bem sei que concorda comigo
- precisamos mudar.
Se não podemos transformar o mundo todo,
que modifiquemos apenas o nosso
Natal em família.

Neste Natal novo, vamos comprar alimentos
para os necessitados.
Vamos levar um presente bonito para uma criança
pobre, pelo menos para uma e vamos esquecer
tantos gastos desnecessários que fazemos,
comprando supérfluos que não nos melhoram
em nada a vida.
Usemos esse dinheiro para aliviar,
um pouco que seja, a dor dos que sofrem,
dos que estão sós e com fome.
Cada família pode escolher um local pra ajudar,
uma pessoa para presentear.
O importante é que este ano a gente estenda um
pouco mais o nosso amor e se lembre de alguém
que precise mais do que nós.
Assim, tenho a certeza de que Jesus será o
Papai Noel do nosso Natal, sem roupas
vermelhas, sem gorro, não tão gordo e
bochechudo, mas nos trazendo Paz,
Serenidade e Alegria!

Se leram e gostaram, por favor passem adiante,
pois ainda temos tempo...
vamos tentar promover um Natal cheio de Luz
para aqueles que talvez nunca tenham
sabido o que é isso.
As mudanças todas são abençoadas,
no reinar de um Novo Milênio,
para uma humanidade que já se cansou de
tantos erros e espera pela Paz!
Autor Desconhecido

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

UM FELIZ NATAL A TODOS OS VISITANTES DO MEU BLOG

JESUS NÃO ESTA MORTO



João 20 (1-10)

1 E no primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu a pedra tirada do sepulcro.

2 Correu, pois, e foi a Simão Pedro, e ao outro discípulo, a quem Jesus amava, e disse-lhes: Levaram o Senhor do sepulcro, e não sabemos onde o puseram.

3 Então Pedro saiu com o outro discípulo, e foram ao sepulcro.

4 E os dois corriam juntos, mas o outro discípulo correu mais apressadamente do que Pedro, e chegou primeiro ao sepulcro.

5 E, abaixando-se, viu no chão os lençóis; todavia não entrou.

6 Chegou, pois, Simão Pedro, que o seguia, e entrou no sepulcro, e viu no chão os lençóis,

7 E que o lenço, que tinha estado sobre a sua cabeça, não estava com os lençóis, mas enrolado num lugar à parte.

8 Então entrou também o outro discípulo, que chegara primeiro ao sepulcro, e viu, e creu.

9 Porque ainda não sabiam a Escritura, que era necessário que ressuscitasse dentre os mortos.

10 Tornaram, pois, os discípulos para casa.

NATAL INFORMÁTICO


Dê um CLIQUE DUPLO neste NATAL!
ARRASTE JESUS para seu DIRETÓRIO PRINCIPAL.
SALVE-O em todos SEUS ARQUIVOS PESSOAIS.
SELECIONE-O como seu DOCUMENTO MESTRE.


Que Ele seja seu MODELO
para FORMATAR sua vida:
JUSTIFIQUE-a e ALINHE-a
À DIREITA e À ESQUERDA,
sem QUEBRAS na sua caminhada.


Que Jesus não seja apenas
um ÍCONE, um ACESSÓRIO,
uma FERRAMENTA, um RODAPÉ,
mas o CABEÇALHO,
a LETRA CAPITULAR,
a BARRA DE ROLAGEM de seu caminhar.


Que Ele seja a FONTE da graça
para sua ÁREA DE TRABALHO,
o PAINTBRUSH para COLORIR seu sorriso,
a CONFIGURAÇÃO de sua simpatia,
a NOVA JANELA para VISUALIZAR
o TAMANHO de seu amor,
o PAINEL DE CONTROLE,
para CANCELAR seus RECUOS
COMPARTILHAR seus RECURSOS e
ACESSAR o coração de suas amizades..


COPIE tudo que é bom
DELETE seus ERROS.
Não deixe à MARGEM ninguém,
ABRA as BORDAS de seu coração,
REMOVA dele o VÍRUS do egoísmo.


Antes de FECHAR,
Coloque JESUS nos seus FAVORITOS
e seu Natal será o ATALHO
de sua felicidade!
CLIQUE agora em OK
para ATUALIZAR seus CONTEÚDOS!
AUTOR DESCONHECIDO

Natal... novo ano... é tempo de renascer


Natal... novo ano... é tempo de renascer
“Quanto mais negra é a noite, mais carrega em si o amanhecer.” (Tiago de Mello).
   É tempo de preparação e espera ativa do novo dia, donde brota, ao alvorecer, o sol invencível, a luz plena, o grito de espanto diante do calor de Deus Eterno. Tempo de dar tempo a tanto esquecido e banalizado: beijos, abraços, lágrimas – há já quem não saiba chorar, ou mesmo já não tenha lágrimas para o fazer, dizer o quanto precisamos de alguém, sem vergonha de parecermos piegas.
É o tempo favorável de perguntar: “há quantos anos, há quantos longos meses, desisti de renascer”? Tempo para contemplar o infinito na história humana, o inesperado no rotineiro, o divino no humano, porque o rosto de um Homem, nos devolve o rosto de Deus. Que paradoxo gratuito perante a voracidade mercantil dos nossos dias!


É este Presente Eterno que nos ensina a verdadeira fraternidade. Ali não se prega a luta de classes. Lá estão os pobres – os pastores, e os ricos – os reis Magos. Todos têm um lugar no coração de Jesus. Deus não quer, nem a exploração nem a ganância, nem a revolta nem a inveja. Quer a harmonia, a justiça e a caridade entre todos.
Pe. A. Beltrão

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

O SEPULTAMENTO DE JESUS


JOÃO 19 (38-42)

38 Depois disto, José de Arimatéia (o que era discípulo de Jesus, mas oculto, por medo dos judeus) rogou a Pilatos que lhe permitisse tirar o corpo de Jesus. E Pilatos lho permitiu. Então foi e tirou o corpo de Jesus.

39 E foi também Nicodemos (aquele que anteriormente se dirigira de noite a Jesus), levando quase cem arráteis de um composto de mirra e aloés.

40 Tomaram, pois, o corpo de Jesus e o envolveram em lençóis com as especiarias, como os judeus costumam fazer, na preparação para o sepulcro.

41 E havia um horto naquele lugar onde fora crucificado, e no horto um sepulcro novo, em que ainda ninguém havia sido posto.

42 Ali, pois (por causa da preparação dos judeus, e por estar perto aquele sepulcro), puseram a Jesus.

Mãe adotiva


Eu sei, mamãe, que por um capricho do destino, ou simples desejo Divino não foi em seu ventre que me formei . Quis a vida que eu fosse escolhido não pelo acaso, mas pelos próprios caminhos apontados por Deus.

Eu sei que a primeira vez que você me sentiu mexer foi em seus braços e não em seu ventre. Mas...mãe! Há algo mais forte que os laços de sangue: são os laços do coração, aqueles que por uma razão inexplicável nos ligam para sempre a uma outra pessoa. Assim eu nasci, não da sua barriga, mas do seu ser.

E você me acolheu com braços quentes, como se eu fosse carne da sua carne. Me pôs contra seu peito e eu pude ouvir a voz do seu coração me acalmava me dizendo para não ter medo, que eu encontrei um lar.
Você me devolveu a dignidade de ser chamado de filho e a honra de ter uma verdadeira mãe, exatamente como deve ser.

Sei que em momentos de zanga eu digo que vou procurar minha mãe. Mas quero que você saiba que meu coração não pensa o que digo e gostaria que me perdoasse. Mãe não só é aquela que põe no mundo, mas aquela que, vivendo ao nosso lado, nos prepara para enfrentar o mundo. Aquela que cura a dor com beijos e se alegra quando nosso coração se alegra.
Talvez você não tenha me dado a vida, mas deu certamente uma razão para viver...

Deus sabia, mamãe, que você era o anjo na medida exata para fazer a minha felicidade.
Te amo!
 
Letícia Thompson

FELIZ NATAL A TODOS

Os complexos


Se fossem simples, já não teriam esse nome. E se têm é porque fazem torta a vida de quem sofre com eles.
Os complexos são impressões que sentimos que o mundo inteiro está concentrado na nossa pessoa. É como se houvesse um projetor sobre nossa cabeça, mesmo e, talvez principalmente, em plena luz do dia.
É algo que dói tão profundamente e tanto mais se não pode ser mudado. As pessoas em volta não percebem isso. Aliás, a realidade é que elas se importam pouco com os complexos de outros, a pessoa que mais se importa com isso é o próprio complexado. E é a única pessoa que sofre também. Sofre no âmago. Se algo não for feito, a tendência é a anulação na pessoa das grandes qualidades por uma pequena diferença.
O remédio? Antes de tudo aceitação. Aceite-se! Se há algo em você que te incomoda e que você não pode mudar, aceite! Comece por perceber que não existe um projetor sobre sua cabeça, que o mundo não para de girar quando você chega e que todas as pessoas não olham pra você. Pare de se comparar com esse ou aquele outro, porque você não sabe, mas é possível que essas pessoas que você olha tenham elas também seus complexos, outros, e que até gostariam de trocar de lugar com você.
E se acontecer de você ter realmente algo "diferente" e alguém se divertir com isso, divirta-se também. Se você se vê com naturalidade e bom humor, os outros aprenderão a te ver dessa forma. E vão te admirar por isso.
Olhe-se bem no espelho. Há certamente algo bonito em você, que seja no físico ou na alma. Realce isso!!! Se você deve chamar a atenção de alguma forma, que seja pelo seu bom humor, suas gargalhadas, seu jeito de olhar ou conversar com as pessoas.
Não sei se você sabe, mas diz a Bíblia que Jesus "não tinha parecer, nem formosura." E nós o amamos pelo que Ele foi, pelo que Ele é e pelo que Ele será na nossa vida.
O dia que você partir, ninguém vai se lembrar do que você não tinha, mas do que ofereceu, do que deixou, da amizade e da saudade que soube cravar nos corações.
 
Letícia Thompson

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

A MORTE DE JESUS É O MAIOR SINAL DE VIDA


JOÃO 19 (31-37)

31 Os judeus, pois, para que no sábado não ficassem os corpos na cruz, visto como era a preparação (pois era grande o dia de sábado), rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas, e fossem tirados.

32 Foram, pois, os soldados, e, na verdade, quebraram as pernas ao primeiro, e ao outro que como ele fora crucificado;

33 Mas, vindo a Jesus, e vendo-o já morto, não lhe quebraram as pernas.

34 Contudo um dos soldados lhe furou o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.

35 E aquele que o viu testificou, e o seu testemunho é verdadeiro; e sabe que é verdade o que diz, para que também vós o creiais.

36 Porque isto aconteceu para que se cumprisse a Escritura, que diz: Nenhum dos seus ossos será quebrado.

37 E outra vez diz a Escritura: Verão aquele que traspassaram.

Confiar sem ver


Um Imperador disse ao rabino Yeoschoua Ben Hanania:
- Eu gostaria muito de ver o vosso Deus.
- É impossível - respondeu o rabino.

- Impossível? Então, como posso confiar minha vida a alguém que não posso ver?
- Mostre-me o bolso onde tem guardado o amor por sua mulher.
E deixa-me pesa-lo para ver se é grande.

- Não seja tolo. Ninguém pode guardar o amor no bolso - respondeu o imperador.
- O sol é apenas uma das obras que o Senhor colocou no universo e, no entanto, você não pode olha-lo diretamente.

Tampouco pode ver o amor, mas sabe que é capaz de apaixonar-se por uma mulher e confiar sua vida a ela.
Não lhe parece evidente que existem certas coisas em que confiamos sem ver?
AUTOR DESCONHECIDO

Caminhar no mesmo caminho...


O sábio, acompanhado de um discípulo, parou numa aldeia. Um velho perguntou:
- Santo homem, como me aproximo de Deus? -

- Divirta-se. Louve a Deus com sua alegria - foi a resposta.

Um jovem perguntou:
- O que faço para me aproximar de Deus?

- Não se divirta tanto - disse o sábio.

Quando o jovem partiu, o discípulo comentou:
- Parece que o senhor não sabe direito se devemos ou não nos divertir.

E o sábio respondeu :
- A busca espiritual é uma ponte sem corrimão atravessando um abismo. Se alguém está muito perto do lado direito, eu digo 'para a esquerda!' Se aproximam-se do lado esquerdo, eu digo 'para a direita!'. E assim eles continuam no Caminho.

AUTOR DESCONHECIDO

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

JESUS AMOU ATÉ O FIM


JOÃO 19 (28-30)

28 Depois, sabendo Jesus que já todas as coisas estavam terminadas, para que a Escritura se cumprisse, disse: Tenho sede.

29 Estava, pois, ali um vaso cheio de vinagre. E encheram de vinagre uma esponja, e, pondo-a num hissope, lha chegaram à boca.

30 E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.

A moeda de centavos


Um dia eu visitei o escritório de um homem de negócios e enquanto falávamos, notei que ele girava constantemente um pequeno peso de papel com uma moeda de dez centavos nele. Curiosa, perguntei-lhe sobre ela.

Ele disse,
- Quando eu estava na faculdade, meu companheiro de quarto e eu estávamos para baixo e com nossa última moeda de dez centavos. Ambos tínhamos bolsa de estudo e éramos os primeiros membros de nossas famílias a conseguir chegar à faculdade, e nossos pais estavam extremamente orgulhosos de nós. Todo mês nos mandavam uma pequena quantia em dinheiro para comprarmos alimento. Era um domingo, final do mês, e tínhamos apenas uma moeda de dez centavos.

Uma pequena pausa... Mais um giro no peso de papel e ele continuou,
- Resolvemos usar a solitária moeda de dez centavos para ligar para casa. Minha mãe atendeu. Pude notar por sua voz que algo estava errado. Ela disse que meu pai tinha estado doente e estava afastado do trabalho, assim não tinham como mandar dinheiro naquele mês. Ela disse, também, que tinha falado com a mãe de meu companheiro e que eles também não podiam levantar nenhum dinheiro. Estavam pesarosos, mas parecia-lhes que teríamos que voltar para casa. Tinham evitado de nos contar sobre as dificuldades, com a esperança de encontrar alguma solução.

- Você ficou muito decepcionado, imagino. Comentei.
- Devastado. Ambos estávamos. Faltava-nos apenas um mês para terminar o ano, e então nós poderíamos arranjar algum trabalho durante as férias para custear nossas despesas. Nossas notas eram excelentes, assim tínhamos garantido a bolsa para o ano seguinte.


- E o que vocês fizeram?
- Quando pendurei o telefone no gancho, nós ouvimos um ruído e moedas de dez centavos começaram a jorrar para fora do telefone. Nós rimos enquanto agarrávamos o dinheiro. Depois discutimos sobre pegar o dinheiro e usá-lo. Ninguém saberia o que aconteceu. Mas então percebemos que não poderíamos fazer isto. Não seria honesto. Você compreende?

- Sim, mas seria difícil devolvê-lo.
- Bem, nós tentamos. Eu liguei para a operadora e contei o que tinha acontecido. Eu disse que repetidas vezes nós colocamos o dinheiro em cima e ele caia para fora do aparelho. O funcionário que me atendeu disse que não sabia o que fazer, mas que falaria com seu supervisor. Quando retornou disse que nós teríamos que ficar com o dinheiro, porque a empresa não estava disposta a mandar um homem à longa distância para recolher apenas alguns dólares.

Ele olhou para mim e riu, mas havia emoção em sua voz.
- Nós ríamos quando voltamos para nosso quarto. Após contar o dinheiro, nós tínhamos $7,20. Decidimos usar o dinheiro para comprar alimento numa loja próxima e procurar trabalho para depois das aulas.

- E vocês encontraram trabalho?
- Sim, enquanto nós pagávamos nossas compras só com moedas de dez centavos, contamos para o gerente da loja sobre o que tinha acontecido. E ele nos ofereceu trabalho para começarmos no dia seguinte. O dinheiro foi suficiente para comprar comida até nosso primeiro pagamento.

- Vocês puderam terminar a faculdade?
- Sim, trabalhamos para aquele homem até formarmos. Meu amigo, hoje, é um grande advogado e eu aqui estou.

- Esta é a moeda original?
- Não, tivemos que usá-la, mas quando recebi meu primeiro pagamento conservei uma moeda de dez centavos, para lembrar-me de onde eu vim. Quando eu conto as bênçãos que já recebi, eu recordo que uma vez em minha vida, uma única moeda de dez centavos era a fina linha entre mim e a pobreza que meus pais enfrentaram a cada dia de suas vidas.

- O funcionário da companhia telefônica não teve a mínima idéia do que aquele dinheiro significou, não é?
- Não. Mas quando formamos, meu companheiro e eu escrevemos uma carta para a companhia perguntando se queriam o dinheiro de volta. O presidente da companhia nos respondeu com uma carta de felicitações e nos disse que nunca sentiu que o dinheiro da companhia tivesse sido tão bem aplicado.

- Você acha que isto foi um simples acaso?
- Penso freqüentemente sobre isto. Gostaria de saber se o telefonista percebeu o medo em minha voz e talvez tenha impedido a máquina de aceitar as moedas. O que sei mesmo é que foi um ato de Deus.

Agitou a cabeça, tocou seu peso de papel como se extraísse força dele e completou,
- Recordarei para sempre daquele momento e da moeda de dez centavos. Eu paguei esta dívida muitas vezes ao longo dos anos. Espero sinceramente ter sido e continuar sendo instrumento de Deus para ajudar outras pessoas tanto quanto uma moeda de dez centavos me ajudou.

AUTOR DESCONHECIDO

Um coração partido


- Ei, mamãe, o que você está fazendo? Perguntou Susie.
- Estou fazendo um pudim para a nossa vizinha, a Sra. Smith. Respondeu sua mãe.

- Por que? Voltou a perguntar Susie, que tinha apenas seis anos.
- Porque a Sra. Smith está muito triste; ela perdeu a sua filha e está com o coração partido. Nós precisamos cuidar dela um pouco.

- Por que, Mamãe?
- Veja Susie, quando alguém está muito, muito triste, não consegue fazer pequenas coisas como preparar o jantar ou outros afazeres. Como somos parte de uma comunidade e a Sra. Smith é nossa vizinha, nós precisamos fazer algumas coisas para lhe ajudar. A Sra. Smith não poderá mais falar com sua filha ou abraçá-la ou fazer todas aquelas coisas maravilhosas que as mães e as filhas fazem juntas. Você é uma menina muito esperta, Susie; talvez pense em alguma maneira de ajudar à cuidar da Sra. Smith.

Susie pensou seriamente sobre este desafio e em como poderia fazer sua parte para cuidar da Sra. Smith. Poucos minutos depois, Susie bateu em sua porta. Depois de alguns instantes, a Sra. Smith atendeu às batidas com um
- Olá, Susie.

Susie observou que a Sra. Smith não tinha aquela voz que ela conhecia e nem aquele jeito quase musical quando cumprimentava alguém.

A Sra. Smith parecia, também, ter chorado porque seus olhos estavam molhados e inchados.
- O que posso fazer por você, Susie? Perguntou a Sra. Smith.
- Minha mãe disse que você perdeu sua filha e está muito, muito triste com o coração partido.

Susie timidamente esticou sua mão. Nela estava um Band-Aid.
- Isto é para o seu coração partido.

A Sra. Smith engasgou, prendendo as lágrimas. Ajoelhou-se e abraçou Susie. Entre lágrimas disse,
- Obrigado, querida, isto ajudará muito.

A Sra. Smith aceitou o ato de bondade de Susie e deu um passo a mais. Ela comprou um pequeno chaveiro com um pequeno porta retratos - desses chaveiros projetados para carregar chaves e, ao mesmo tempo, exibir orgulhosamente um retrato de alguém querido. A Sra. Smith colocou o Band-Aid de Susie no porta retratos para lembrar de se curar a cada vez que o visse. Ela sabia que a cura exigiria tempo e apoio. Aquele chaveiro transformou-se em seu símbolo de cura, ao não se esquecer da alegria e do amor que experimentou com sua filha.

Um simples gesto de bondade, feito com sinceridade, pode ajudar muito à quem precisa de algum carinho e atenção. Não deixe de fazer sua parte... Mesmo que seja oferecendo um Band-Aid.

AUTOR DESCONHECIDO

domingo, 19 de dezembro de 2010

A REVELAÇÃO ENTRE IRAEL E A COMUNIDADE DE JESUS


JOÃO 19 (25-27)

25 E junto à cruz de Jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria mulher de Clopas, e Maria Madalena.

26 Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho.

27 Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.

O amor de pai


Certo dia um homem saía para trabalhar, pensando que aquele seria um dia comum como todos os outros.

Mas não era.

Seu pequeno filho, ao vê-lo saindo, gritava-lhe o nome, pedindo ao pai que o levasse junto ao trabalho.

O pai não resistiu ao olhar e ao pedido de seu filho. Aquele olhar meigo e amoroso de seu filho.

Então, pegando seu filho no colo, lhe beijou a face e o levou para o trabalho.

Os dois estavam muito felizes.

O homem trabalhava em uma ponte levadiça, e sua função era erguê-la para a passagem dos navios por ali, ou abaixá-la para a passagem dos trens, pois a ponte era de trilhos.

Por volta das 9:00 da manhã, o homem ouviu um apito de trem, e percebeu que era de passageiros, esse tipo de trem, na maioria das vezes transportavam aproximadamente umas 200 pessoas, então ele pensou logo em baixar a ponte, mas algo lhe tirou o fôlego.

Ele viu que seu filhinho estava brincando no meio das engrenagens da ponte, então começou a suar frio e entrar em desespero, pois não havia tempo para tirá-lo de lá.

Ele tinha que fazer uma escolha muito difícil, salvar a vida de seu único filho, e assim condenar aquelas 200 pessoas à morte, sem ao menos saberem o porquê, ou salvar a vida daquelas pessoas sacrificando assim seu único filho, ele tinha que escolher rápido, pois o trem se aproximava cada vez mais, então, com lágrimas nos olhos o homem disse: meu filho, me perdoe, e então ele baixou a ponte, e seu filho morreu.

Sei que esta história é muito triste, mas não se preocupe, ela é apenas ilustrativa.
Nesta história, o homem representa Deus e seu filho representa Jesus, e aquelas 200 pessoas representam você, sua família, seus amigos.

AUTOR DESCONHECIDO

Águas cristalinas


Conta-nos uma lenda que um viajante encontrou uma fonte de águas cristalinas no deserto. A água era tão límpida e fresca que resolveu levar um pouco para seu rei.

Satisfez sua sede e logo a seguir encheu o seu cantil com aquela água maravilhosa, andando ainda vários dias debaixo do sol do deserto até chegar ao palácio do rei.

Quando, finalmente, chegou à presença do seu soberano, curvou-se aos seus pés e entregou-lhe o presente que lhe trouxera.

A água já estava estragada e com mau-cheiro devido ao cantil velho onde havia sido guardada por vários dias. Porém, o rei não deixou que seu fiel súdito percebesse que a água estava imprópria para o uso. Saboreou o presente com expressão de gratidão e encanto.

Depois despediu o homem que saiu da sala do rei com o coração transbordando de alegria.
Depois de ter saído, outros provaram a água e ficaram espantados pelo fato do rei ter fingido apreciar o que o leal súdito havia oferecido.

- Ah! Disse o rei, não foi a água que eu saboreei, mas o amor demonstrado no oferecimento.
AUTOR DESCONHECIDO

sábado, 18 de dezembro de 2010

A COMUNIDADE DE JESUS É UNIVERSAL


JOÃO 19 (23-24)

23 Tendo, pois, os soldados crucificado a Jesus, tomaram as suas vestes, e fizeram quatro partes, para cada soldado uma parte; e também a túnica. A túnica, porém, tecida toda de alto a baixo, não tinha costura.

24 Disseram, pois, uns aos outros: Não a rasguemos, mas lancemos sortes sobre ela, para ver de quem será. Para que se cumprisse a Escritura que diz: Repartiram entre si as minhas vestes, E sobre a minha vestidura lançaram sortes.

Um copo de água



Um conferencista falava sobre gerenciamento da tensão.

Levantou um copo com água e perguntou à platéia,
- Quanto vocês acham que pesa este copo d'água?

As respostas variaram entre 20gr e até 500gr.

O conferencista, então, comentou,
- Não importa o peso absoluto. Depende de por quanto tempo vou segurá-lo. Se eu seguro por um minuto, tudo bem. Se eu seguro durante um hora, eu terei uma dor no meu braço. Se eu seguro durante um dia inteiro, você terá que me chamar uma ambulância. E é exatamente o mesmo peso, mas quanto mais tempo eu passo segurando-o, mais pesado vai ficando.

E concluiu,
- Se carregamos nossos pesos o tempo todo, mais cedo ou mais tarde, nós não seremos mais capazes de continuar, a carga vai tornando-se crescentemente mais pesada. O que você tem que fazer é deixar o copo em algum lugar e descansar um pouco antes de segurá-lo novamente. Temos que deixar a carga de lado periodicamente, do jeito que puder! É reconfortante e nos torna capazes de continuar.

Então antes de você voltar do trabalho para casa hoje à noite, deixe o peso do trabalho num canto. Não o carregue para casa. Você poderá recolhê-lo amanhã.

A vida é curta, aproveite-a!

AUTOR DESCONHECIDO

Estou de pé com Jesus



Esta é uma história verdadeira que aconteceu há alguns anos atrás, na Universidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos.

Havia um professor de filosofia que era um ateu convicto. Sempre sua meta principal era tomar um semestre inteiro para provar que Deus não existe.

Os estudantes sempre tinham medo de argüí-lo por causa da sua lógica impecável.

Por 20 anos ensinou e mostrou que jamais haveria alguém que ousasse contrariá-lo e embora, às vezes surgisse alguém que o tentasse, nunca o venciam.

No final de todo semestre, no último dia, fazia a mesma pergunta à sua classe de 300 alunos:
- Se há alguém aqui que ainda acredita em Jesus, que fique de pé!

Em 20 anos ninguém ousou levantar-se. Sabiam o que o professor faria em seguida. Diria:
- Porque qualquer um que acredita em Deus é um tolo! Se Deus existe impediria que este giz caísse ao chão e se quebrasse. Esta simples questão provaria que Ele existe, mas, não pode fazer isso!

E todos os anos soltava o giz, que caia ao chão partindo-se em pedaços. E todos os estudantes apenas ficavam quietos, vendo a demonstração. A maioria dos alunos pensava que Deus poderia não existir.

Certamente, havia alguns cristãos mas, todos tiveram muito medo de ficar de pé.

Bem... há alguns anos atrás chegou a vez de um jovem cristão que tinha ouvido sobre a fama daquele professor.

O jovem estava com medo, mas, por 3 meses daquele semestre orou todas as manhãs, pedindo que tivesse coragem de se levantar, não importando o que o professor dissesse ou o que a classe pensasse. Nada do que dissessem abalaria sua fé... ao menos era seu desejo.

Finalmente o dia chegou. O professor disse:
- Se há alguém aqui que ainda acredita em Jesus, que fique de pé!

O professor e os 300 alunos viram, atônitos, o rapaz levantar-se no fundo da sala. O professor gritou:
- Você é um TOLO!!! Se Deus existe impedirá que este giz caia ao chão e se quebre!

E começou a erguer o braço, quando o giz escorregou entre seus dedos, deslizou pela camisa, por uma das pernas da calça, correu sobre o sapato e ao tocar no chão simplesmente rolou, sem se quebrar.

O queixo do professor caiu enquanto seu olhar, assustado, seguia o giz.

Quando o giz parou de rolar levantou a cabeça... encarou o jovem e... saiu apressadamente da sala.
AUTOR DESCONHECIDO

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

JESUS É O REI UNIVERSAL


JOÃO 19 (19-22)

19 E Pilatos escreveu também um título, e pô-lo em cima da cruz; e nele estava escrito: JESUS NAZARENO, O REI DOS JUDEUS.

20 E muitos dos judeus leram este título; porque o lugar onde Jesus estava crucificado era próximo da cidade; e estava escrito em hebraico, grego e latim.

21 Diziam, pois, os principais sacerdotes dos judeus a Pilatos: Não escrevas, O Rei dos Judeus, mas que ele disse: Sou o Rei dos Judeus.

22 Respondeu Pilatos: O que escrevi, escrevi.

Reflexo


Certo dia, um rapaz desiludido resolveu seguir o exemplo dos "contos da infância". Colocou-se frente ao seu espelho e perguntou:

- Querido espelho, olhe para mim e me diga: Existe alguém mais infeliz do que eu?

- Com certeza, respondeu o espelho, existe alguém mais triste que tu neste momento. E este alguém sou eu.

O rapaz olhou espantado. Não esperasse que um espelho falasse, e ainda contra ele. Mas o espelho prosseguiu:

- Tu não imaginas a dor que eu sinto ao ver, no meu reflexo, uma pessoa que deixou seus problemas tomarem conta de sua vida, que não tem mais vontade de lutar e principalmente que não consegue ver dentro de si as suas qualidades suas capacidades, seu talento. Queria que estivesse no meu lugar pra ver.

- Tu és uma pessoa tão inteligente, que fala para todos que tem um Deus, e tantas vezes falou do amor de Deus, agora se mostra tão derrotado. Deus é tão pequeno assim em tua vida para que tu te sintas tão inferior assim?

- É pena que tu não vejas através de mim toda a tua facilidade em lidar com as pessoas, o quanto é expressiva a tua voz e tua palavra, quanto teu coração é forte, e o quanto as pessoas te amam. Olhe para ti! Levanta essa cabeça, pois dificuldades todos temos, assim como todos guardam dentro de si algo especial para dar, a capacidade de tornar a própria vida prazerosa.

- Quantas são as pessoas que gostariam de ser como tu és: saudável, inteligente e com toda a vida pela frente! e no entanto, muitas delas são felizes e agradecem à Deus pelas suas vidas! Use a tua sensibilidade - ela é essencial para a vida. Motive-se: ao acordar pela manhã, pense algo do tipo: "hoje meu dia será produtivo, alegre e cheio de vida, pois tenho Deus comigo." . Faça isso com amor no coração e concentre em teus objetivos. De hoje em diante, quero ver outra imagem refletida em mim. Uma imagem de alegria interior.

A vida é tão curta. Não percas tempo com os momentos ruins. Faça deles experiências positivas para continuar tua vida. Ser feliz depende de uma vida em comunhão com Deus e em harmonia contigo mesmo. O que vem depois disso, são apenas resultados.



AUTOR DESCONHECIDO

Instruções


Stephanie irradiava alegria ao rasgar o papel que embrulhava o seu presente de aniversário, dado por seus pais.
- Obrigado! Ela disse abraçando a ambos. Há muito tempo eu queria uma bicicleta, mas eu não podia imaginar o que estava em caixa tão grande! Eu não sabia que bicicletas vêem em caixas.

O pai sorriu.
- Quando você compra uma bicicleta você tem que montar, disse, e vou fazer isto agora mesmo.

A mãe foi para a cozinha terminar o jantar e Stephanie e seu pai foram para a garagem trabalhar na bicicleta.
- Aqui o manual de instruções, disse Stephanie, tentando ajudar.

O pai deu uma olhada de relance enquanto tirava as peças da bicicleta para fora da caixa.
- Obrigado, querida, disse, mas acho que não vou perder tempo lendo tudo isto. Não deve ser difícil de montar.

E se manteve ocupado com a tarefa, organizando as peças da bicicleta.

Depois de um certo tempo, o pai sacudiu a cabeça.
- Isto não parece certo, disse.

Neste momento a mãe chegou à porta.
- O jantar está pronto, anunciou, olhando as peças espalhadas pelo chão, Como vão indo as coisas por aí?

O pai suspirou.
- Não está nada bem, disse. Voltarei depois de jantar. Vamos comer.

Durante a refeição, o pai olhou para Stephanie e disse,
- Acho que devia ter lido as instruções que você ofereceu. Acabei desperdiçando muito tempo tentando montar sua bicicleta sem usar as instruções do fabricante.

Ficou pensativo por alguns segundos e adicionou,
- Me pergunto quanto tempo nós desperdiçamos porque vivemos o nosso dia a dia sem ler as instruções do nosso Fabricante.
- Nosso fabricante? Perguntou Stephanie. O que quer dizer?

O pai sorriu.
- Quero dizer Deus. Ele nos fez e em Seu manual de instruções - a Bíblia - nos dá os conselhos certos para a vida, para o dia a dia, o casamento, a educação das crianças, o uso do dinheiro, e todos os tipos de coisas.

Depois do jantar, Stephanie e seu pai voltaram ao projeto. Desta vez, o pai começou lendo as instruções.

AUTOR DESCONHECIDO

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

O CRUCIFICADO


JOÃO 19 (17-18)

17 E, levando ele às costas a sua cruz, saiu para o lugar chamado Caveira, que em hebraico se chama Gólgota,

18 Onde o crucificaram, e com ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio.

Diálogo no céu




- Marriel...Marriel!
- Sim meu Senhor, aqui estou.

- Marriel, quero o relatório de sua visita a casa daquela pessoa que tanto tem clamado por ajuda e que você foi encarregado de auxiliar.
- Bom, meu Senhor, conforme seu pedido, dirigi-me para a casa da pessoa com mais 4 querubins escolhidos a dedo para sondarmos a real situação da pessoa. Na primeira semana observamos seus atos, pensamentos e atitudes e pudemos notar que é uma pessoa muito religiosa, mas cuja fé, ainda é mais ligada a conceitos do que a fé racional e verdadeira. Pela casa encontramos uma mistura de imagens de santos, com incensos, pedras, cristais, velas, e uma salada completa de religiões e doutrinas, fazendo com que a pessoa nem saiba para quem pedir...

- Hum...continue...
- Bom, a situação mais grave é a financeira, devido ao descontrole nos gastos e excesso de cartões e talões de cheque, nosso "protegido" passou a gastar além dos seus limites e em pouco tempo, transformou a sua vida em um tormento de cobradores e ligações sem fim, e para piorar, não nos ouve nem cutucando, nem em sonho e muito menos acordado.

- Por que você diz isso?
- Porque chegamos bem na hora em que ele estava se dirigindo a um agiota que iria fazer um empréstimo a juros extorsivos. Acredita que ele foi ao local e durante o trajeto orava para que tudo desse certo?. Olha, nós tentamos de tudo para mostrar a ele o erro que iria cometer, mas aqueles outros "anjos" que o Senhor conhece bem, estavam ao lado dele fazendo sugestões de que tudo iria se resolver, que seria bom, que ele teria paz. Nós dizíamos que seria mais uma dívida, mais uma loucura, que não se paga dívidas com novas dívidas, mas ele nem nos ouvia...

- E então...
- Então, ele conseguiu mais uma dívida. O dinheiro que ele pegou evaporou em segundos, e 3 semanas depois ele já estava desesperado com mais um pagamento para fazer e já pensava em vender o automóvel que mal acabara de pagar. Tentamos de tudo, mostramos no sonho as contas que nosso anjo matemático fez, e mesmo mostrando que a venda dos bens só iria piorar a situação, ele estava mais uma vez, cercado por aqueles "anjos" que o Senhor conhece bem e preferiu ouvir a "voz doce" da ilusão.

- Como ele está agora?
- Mal, muito mal!. Não tem mais carro, nem casa, nem ânimo para trabalhar, nem coragem de se levantar. A cabeça parece um formigueiro de idéias, mas os "anjos" que o Senhor conhece estão colocando uma idéia fixa de que a morte é a solução, que o único caminho é o suicídio, e já preparam um lugarzinho especial para ele, naquele canto de dor que o Senhor conhece bem...

- E vocês? O que estão fazendo?
- Ora Senhor, estamos nos esforçando de todas as maneiras dentro da liberdade que ele possui para decidir o que quer da vida. Ora ele ora para o Senhor e pede ajuda, ora se revolta com o Senhor e chora. Mas, na hora em que chegamos e tentamos falar através da intuição, dos sonhos, dos amigos, e até de mensagens via Internet, afinal de contas, somos anjos modernos, nem assim ele se anima, e sabe por que Senhor?

- Eu sei queridos anjos, Eu sei...
- Pois é Senhor, o Senhor tudo sabe. Sabe bem que o ser humano ainda prefere a ilusão das facilidades, preferem a cama luxuosa ao sono reparador, escolhem a casa pela fachada sem reparar nas energias do local, comparam as pessoas pelo que vestem e não pelo caráter que possuem, e quando a dor os visita, passam a arrumar mil desculpas e dez mil culpados pela situação que eles mesmos criaram. Endurecem o coração, fecham as janelas da vida e as portas do coração. Oram mecanicamente, pedem ajuda, mas se trancam, não reagem, não aceitam a luta.

- Mas, não podemos desistir, sabes bem que "eles" ainda são crianças imaturas, que estão em crescimento...
- Sim, já solicitei reforços. Hoje mesmo estaremos lá com mais de 100 querubins e vamos fazer de tudo para levantar essa alma em conflito. Posso pedir um favor especial?

- Claro, o que seria?
- Aumenta o nosso estoque de paciência e duplique nossa capacidade de amar, porque ajudar os humildes é moleza, mas levantar os orgulhosos e os cegos da alma, é tarefa gigante e precisamos do Teu amor. Que o Senhor nos abençoe.

- Amém.
AUTOR DESCONHECIDO

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

JESUS É O SUPREMO JUIZ


JOÃO 19 (13-16)

13 Ouvindo, pois, Pilatos este dito, levou Jesus para fora, e assentou-se no tribunal, no lugar chamado Litóstrotos, e em hebraico Gabatá.

14 E era a preparação da páscoa, e quase à hora sexta; e disse aos judeus: Eis aqui o vosso Rei.

15 Mas eles bradaram: Tira, tira, crucifica-o. Disse-lhes Pilatos: Hei de crucificar o vosso Rei? Responderam os principais dos sacerdotes: Não temos rei, senão César.

16 Então, conseqüentemente entregou-lho, para que fosse crucificado. E tomaram a Jesus, e o levaram.