sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

PRESENTE DE NATAL



As estrelas andavam alvoroçadas.
Estavam encarregadas da decoração do céu para os festejos de Natal.
E isso, naquela imensidão de espaço azul, com tantas críticas sobre a face da terra, não era coisa fácil, não.
 
Por isso, resolveram reunir-se e fazer planos...
 
- Olhem, dizia a Estrelinha Azul-da-Tarde - , acho que poderemos fazer dois arcos de luz, um cruzando do norte para o sul, outro do leste para o oeste.
 
- Qual nada - disse a Estrelinha Vermelha-da-Madrugada. - Poderemos fazer os arcos, mas paralelos, um juntinho do outro...
A Terra será como uma noite luminosa, sob o nosso efeito.
 
- Quem sabe se fazemos um movimento circular e móvel?
Deixaremos os meninos tontos de admiração, a nos olharem lá de baixo.
- É mesmo! - disse a Estrelinha Amarela-do-Meio-Dia.
 
 
Naquele tumulto de opiniões, só a caçulinha das estrelas não falara. Era a Estrela-Criança-Flor-do-Espaço-Azul e sonhava diferente.
- Em que pensa, Estrelinha? - perguntaram-lhe então.
- Penso que vocês estão esquecendo o mais importante.
- E o que é o mais importante?
- É a luz interior, que devemos levar a todos os seres da Terra, sejam eles grandes ou pequenos.
 
As estrelinhas pasmaram diante da seriedade
da irmã menor.
Daí em diante ninguém mais falou alto. Foi apenas uma combinação sussurrada em segredo.
 
Só quando os sinos repicaram, felizes, anunciando a alegria do Natal, foi que se descobriu o plano: em vez de fazerem evoluções luminosas pelo céu, cada estrelinha desceu à Terra e iluminou a alma de uma criatura.
 
E foi então que a ESPERANÇA, uma leve e grande Esperança, brotou sobre todas as coisas.
AUTOR DESCONHECIDO

Um comentário:

marilinda disse...

Que lindas mensagens. Espalham luz.Obrigada.