quinta-feira, 30 de junho de 2011

EUCARISTIA E COERÊNCIA


1 Coríntios 11 (17-34)

17 Nisto, porém, que vou dizer-vos não vos louvo; porquanto vos ajuntais, não para melhor, senão para pior.

18 Porque antes de tudo ouço que, quando vos ajuntais na igreja, há entre vós dissensões; e em parte o creio.

19 E até importa que haja entre vós heresias, para que os que são sinceros se manifestem entre vós.

20 De sorte que, quando vos ajuntais num lugar, não é para comer a ceia do Senhor.

21 Porque, comendo, cada um toma antecipadamente a sua própria ceia; e assim um tem fome e outro embriaga-se.

22 Não tendes porventura casas para comer e para beber? Ou desprezais a igreja de Deus, e envergonhais os que nada têm? Que vos direi? Louvar-vos-ei? Nisto não vos louvo.

23 Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão;

24 E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim.

25 Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim.

26 Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha.

27 Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor.

28 Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice.

29 Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor.

30 Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem.

31 Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados.

32 Mas, quando somos julgados, somos repreendidos pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo.

33 Portanto, meus irmãos, quando vos ajuntais para comer, esperai uns pelos outros.

34 Mas, se algum tiver fome, coma em casa, para que não vos ajunteis para condenação. Quanto às demais coisas, ordená-las-ei quando for.

Não desista!


“Jamais desista daquilo que você realmente quer fazer. A pessoa que tem grandes sonhos é mais forte do que aquela que possui todos os fatos.”
“Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um espetáculo imperdível, ainda que se apresentem dezenas de fatores a demonstrarem o contrário.”
“Nunca desista dos seus indeais, pois se desistir a luta acaba e algum dia está vitória irá lhe fazer falta.”
“Nunca desista de um sonho sem dar a ele, ao menos uma chance de ser realizado.”
“Nunca desista dos seus sonhos, pois a única saída dos fracos é a desistência das coisas e de seus sonhos, mas para os fortes a única alternativa é a persistência daquilo que tanto almejam!”
“Nunca desista, encontre um jeito, pois é assim que fazem os vencedores.”
“Ainda que você ache que seja tarde demais, não desista.”
“Nunca desista de ninguém. Milagres acontecem todos os dias.”
“A vida é uma seqüencia de desafios, nunca desista.. corra atrás dos seus sonhos, faça de tudo e realize-os, por que mais pra frente vai parar, pensar e ver como valeu a pena!”
“Nunca desista daquilo que você quer,
mesmo que a vida lhe ponha obstáculos
se tropeçares, levante isso não há de ser nada
e lembre-se, o caminho a gente faz caminhando.”
“Nunca desista do que quer só por que e difícil mesmo quando eles falam para você que e impossível não desista pois só um talvez pode ser o suficiente para você continuar.”
“Nunca desista de seus sonhos, pois se você tem capacidade para sonhar, capacidade terá para torná-los realidade.”
“ Nunca desista dos seus sonhos.
Sem eles você continua existindo…
Mas não vivendo.”
“Jamais sofra antecipadamente. Pense positivo. Acredite nos seus sonhos. Nunca desista de lutar. A vida é generosa para aqueles que acreditam nela.”
“Não desista absolutamente de nada, nem mesmo dos seus sonhos. Obstáculos vem, mais também somem, basta você querer.”
“Nunca desista de um sonho mesmo que pareça impossivel mesmo que o falem que não vale a pena mesmo que te falte… Ar!”
“Todos temos metas e objetivos em nossas vidas, por mais que sejam árduas as batalhas, não desista daquilo que acredita, apenas uma dica, use o amor para conquistar o que almeja!”
“Não desista do amor!”
Eu não desisto de nada na minha vida… E você? Vai desistir? Já desistiu?
AUTOR DESCONHECIDO

Corra atrás dos teus sonhos,


Corra atrás dos teus sonhos,
Ainda que o sonho pareça impossível.
Não deixe que seus dias sejam tristonhos,
Creia, nessa vida nada é inatingível.

Jamais deixe de lutar, de sorrir,
Ainda que o inimigo pareça invencível.
Corra por onde o corajoso não ousa ir,
Tenhas fé no Senhor e tu serás imbatível.

Não deixe que o desanimo invada teu coração,
Mesmo que a dor pareça não ter mais fim.
Acredite no poder de uma oração,
Ela te trás a beleza e a paz de um jardim.

Transforme a dor do mal na flor do bem,

Faça uma aliança com Deus e sinta o poder que Dele vem,


Busque tua felicidade, seja incansável,
Ainda que seja necessário caminhar mil milhas.
Mesmo que o caminho pareça inalcançável,
Tenha fé e alcançarás grandes maravilhas.

Ponha tua vida nas mãos do Deus vivo,
Ele faz das tempestades mares tranqüilos,
Ele é o Deus do impossível,
Ele cura os enfermos e acalma os aflitos.

(Luiz Carlos Rodrigues dos Santos)

quarta-feira, 29 de junho de 2011

O VÉU DAS MULHERES


1 Coríntios 11 (1-16)

1 Sede meus imitadores, como também eu de Cristo.

2 E louvo-vos, irmãos, porque em tudo vos lembrais de mim, e retendes os preceitos como vo-los entreguei.

3 s quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo.

4 Todo o homem que ora ou profetiza, tendo a cabeça coberta, desonra a sua própria cabeça.

5 Mas toda a mulher que ora ou profetiza com a cabeça descoberta, desonra a sua própria cabeça, porque é como se estivesse rapada.

6 Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu.

7 O homem, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus, mas a mulher é a glória do homem.

8 Porque o homem não provém da mulher, mas a mulher do homem.

9 Porque também o homem não foi criado por causa da mulher, mas a mulher por causa do homem.

10 Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos.

11 Todavia, nem o homem é sem a mulher, nem a mulher sem o homem, no Senhor.

12 Porque, como a mulher provém do homem, assim também o homem provém da mulher, mas tudo vem de Deus.

13 Julgai entre vós mesmos: é decente que a mulher ore a Deus descoberta?

14 Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o homem ter cabelo crescido?

15 Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu.

16 Mas, se alguém quiser ser contencioso, nós não temos tal costume, nem as igrejas de Deus.

O Desconhecido Tatuado


Ele era assustador. Sentado na grama com seu cartaz de papelão, seu cão (realmente seu cão era adorável) e tatuagens por ambos os braços e pescoço. Seu cartaz anunciava que estava cansado e com fome e pedia ajuda.

Eu me sinto compelida a ajudar qualquer um que necessite. Meu marido, ao mesmo tempo, adora e odeia esta minha "qualidade". Isto, freqüentemente, o faz nervoso, e eu sabia que se me visse naquele momento, ele ficaria nervoso. Mas ele não estava comigo.

Eu arranquei vagarosamente a camionete e através do retrovisor, contemplei aquele homem, com tatuagem e tudo. Talvez quarenta anos... Usava uma daquelas bandanas amarrada sobre a cabeça, estilo pirata. Qualquer um poderia ver que ele estava sujo e tinha a barba bagunçada. Mas se você olhasse bem de perto, veria que suas coisas estavam bem organizadas em um pequeno pacote. Ninguém parava para ele. Eu via que os outros motoristas davam uma rápida olhada e já prestavam atenção em outra coisa - qualquer outra coisa.

Estava muito quente. Eu podia ver nos olhos do homem como deprimido e cansado se sentia. O suor escorrendo pelo rosto, enquanto eu estava com o ar condicionado ligado.

Eu peguei minha bolsa e tirei uma nota de dez dólares. Nick, meu filho mais velho, com doze anos, sabia exatamente o que eu estava querendo fazer.
- Posso levar para ele, mãe?
- Sim, mas tenha cuidado. Eu o adverti e lhe entreguei o dinheiro. Eu prestei atenção, pelo espelho, enquanto meu filho se aproximou do homem, e com um sorriso tímido, lhe entregou o dinheiro.
Eu vi o homem, assustado, levantar-se, pegar o dinheiro e guardar no bolso de trás.
- Bem, - Pensei comigo mesma - pelo menos agora ele poderá comer alguma coisa.

Me senti satisfeita e orgulhosa de mim mesma. Eu tinha feito uma boa ação e agora eu poderia continuar meu dia.

Quando Nick voltou ao carro, olhou-me com tristeza, os olhos suplicantes,
- Mãe, o cachorrinho está com muito calor.

Eu sabia que tinha que fazer mais.
E pedi à Nick,
- Volte e diga-lhe para ficar por ali, estaremos de volta em 15 minutos.

Nick saiu do carro e correu até o desconhecido tatuado.
Eu pude notar como o homem estava surpreso. Mas concordou. Corremos até o supermercado mais próximo. Compramos alguma comida; um saco de ração e uma vasilha para água para o cachorrinho; duas garrafas de água (uma para o cão, uma para o Sr. Tatuagem) e mais alguns biscoitos para o homem.

Voltamos rapidamente ao ponto onde o deixamos, e lá estava ele, esperando imóvel. E ninguém mais parava para ele. Com as mãos tremendo, eu agarrei os sacos e sai do carro, todas as minhas quatro crianças seguiram-me, cada uma carregando um "presente". Enquanto andávamos até ele, eu tive um pequeno receio: e se ele for perigoso?

Quando olhei em seus olhos vi algo que me assustou e me deixou envergonhada por meu julgamento. Eu vi lágrimas. Ele lutava, como um menino, para segurar as lágrimas. Há quanto tempo ninguém mostra alguma bondade com este homem? Eu disse a ele que eu esperava que não estivesse muito pesado para ele carregar e mostrei o que tínhamos trazido. Ele parecia uma criança no Natal. Quando peguei a vasilha para água, ele a arrebatou de minhas mãos como se fosse ouro e me disse que não tinha como dar água a seu cão.

Meus olhos encheram-se de lágrimas quando ele disse
- Madame, eu nem sei o que dizer.
Então colocou as mãos sobre a cabeça e começou a chorar. Este homem, este homem "assustador", era tão delicado, tão doce, tão humilde.

Eu sorri, me segurando e disse
- Simplesmente não diga nada.

Enquanto nos afastávamos, pude percebê-lo ajoelhado, os braços em torno de seu cão, beijando seu focinho e sorrindo.

Eu tenho tanto... Minhas preocupações agora me parecem tão tolas e insignificantes.
Eu tenho um lar, um bom marido, quatro belas e sadias crianças.
Eu tenho uma cama confortável.
Eu gostaria de saber onde aquele homem dormiria à noite.

Minha filha, Brandie virou-se para mim e disse com a voz muito doce,
- Mãe, estou me sentindo tão bem...

Embora pareça que nós tenhamos ajudado, o homem com suas tatuagens é que nos deu um presente do qual jamais me esquecerei.

Ele ensinou que não importa a aparência, dentro de cada um de nós existe um ser humano merecedor de bondade, de compaixão, de aceitação.

A cada noite eu oro para o homem com as tatuagens e seu cão.
E eu espero que, ao longo de minha vida, Deus envie mais pessoas como ele para me lembrar do que é realmente importante.

texto de Susan Farr Fahncke

terça-feira, 28 de junho de 2011

LIBERDADE E DISCERNIMENTO CRISTÃO


1 Coríntios 10 (23-33)
23 Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam.

24 Ninguém busque o proveito próprio; antes cada um o que é de outrem.

25 Comei de tudo quanto se vende no açougue, sem perguntar nada, por causa da consciência.

26 Porque a terra é do Senhor e toda a sua plenitude.

27 E, se algum dos infiéis vos convidar, e quiserdes ir, comei de tudo o que se puser diante de vós, sem nada perguntar, por causa da consciência.

28 Mas, se alguém vos disser: Isto foi sacrificado aos ídolos, não comais, por causa daquele que vos advertiu e por causa da consciência; porque a terra é do Senhor, e toda a sua plenitude.

29 Digo, porém, a consciência, não a tua, mas a do outro. Pois por que há de a minha liberdade ser julgada pela consciência de outrem?

30 E, se eu com graça participo, por que sou blasfemado naquilo por que dou graças?

31 Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus.

32 Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus.

33 Como também eu em tudo agrado a todos, não buscando o meu próprio proveito, mas o de muitos, para que assim se possam salvar.

A ALEGRIA DE OUVIR "EU TE AMO“


O amor é o maior sentimento e a maior prova da existência de Deus.
Dizer "eu te amo" é uma maneira doce, eloqüente de se demonstrar a alguém o quanto ele é querido por nós, o quanto é fundamental e essencial para a nossa vida.
Dizer "eu te amo" a um filho é infundir-lhe a certeza de que ele é parte de nós, fruto de um relacionamento de amor; é a linguagem pura de se ensinar a uma criança a importância desse sublime sentimento.

E essa é uma forma de amor compulsivo, amor exclusivo, dominador, imperativo. Mas, qual o pai ou a mãe que ao ver seus pequeninos filhos brincando, com a doce inocência das crianças, com aquele sorriso puro, não deixou de pensar: Ah! Se eu pudesse parar o tempo, neste momento, tê-los somente meus, que eles não crescessem e que um dia não fossem embora!

Amar é sentir um coração pulsando mais forte e alto que o seu. É ser feliz mesmo quando um furacão passou pela sua cidade, provocando grandes estragos materiais, destruiu quase a cidade inteira, mas no meio dos escombros você tem a mais absoluta certeza de que o furacão pode destruir tudo, menos o amor; ao contrário, o amor pode se tornar mais sólido, mais forte.

Dizer "eu te amo" é o mesmo que dizer: eu te aceito do jeitinho que você é, gorda, magra, com sua beleza, com sua feiúra, com seu corpo perfeito ou defeituoso, porque o amor só é sentido de dentro para fora. No amor, o que conta é somente a beleza da alma, a riqueza interior; a beleza exterior se acaba com o passar dos ano, mas a beleza interior só se modifica para melhorar, para amadurecer e é eterna.

Mas, são raras as pessoas que conseguem dizer "eu te amo" diariamente, verdadeiramente. A maioria tem vergonha de expressar um sentimento tão nobre, tão enriquecedor.
Há poucos meses, li na revista Times uma reportagem sobre o tema amor, informando que pouquíssimas pessoas responderam que falam naturalmente que
Amam, sem envergonharem da hora ou lugar. Sessenta por cento responderam que o faziam, enquanto estavam namorando, ou paquerando alguém, mas depois de casados não viam a razão do porquê continuar repetindo essas palavras, se já estavam casados... e que essa é uma frase feita. E o restante respondeu que sim, pois dizer "eu te amo" é o fogo que aquece a relação, é a renovação da vida.

Ah! Como somos egoístas! Eu, de temperamento romântico, fico enlevada quando ouço alguém dizer "eu te amo", principalmente, quando essas palavras saem do coração e que a boca foi só o instrumento usado para emitir o som.
Se analisarmos da seguinte maneira: A pessoa que noz diz "eu te amo" também não gostaria de ouvir-nos declarar-lhe o mesmo? Por que teimamos em tornar a vida cada dia mais difícil, em vez de procurarmos combater a violência no mundo, o ódio que destrói paises inteiros, simplesmente porque nos envergonhamos de dizer "eu te amo"?

Vários cientistas depois de estudos, pesquisas e trabalhos desenvolvidos em Industrias de grande porte, observando por meses e meses os funcionários, afirmaram que os que mais produtivos são justamente aqueles que estão amando , envolvidos na paixão, porque a certeza do amor os impulsiona como uma alavanca ao encontro da vida, porque o amor é a criatividade em sua forma mais sublime.

AMOR é uma das poucas palavras que não necessitam de dicionário para serem compreendidas; em qualquer idioma a palavra amor tem o mesmo significado, o mesmo valor, e para expressá-lo usa-se a linguagem dos olhos... a linguagem muda dos corações...
O amor nos causa reações diversas como arrepios, calor... tremores...
Entretanto, pela ausência de ouvir essas três palavrinhas mágicas podemos perder os verdadeiros valores da vida, e até a própria razão de viver, porque quem não se sente amado se sente excluído da vida, banido da sociedade, confinado a um mundo de abandono, escuridão, isolamento e solidão.

Por maior que seja a sua mágoa com alguém, procure perdoá-la, sincera e primeiramente, dentro de você, e nunca tenha vergonha de dizer às pessoas "eu te amo" enquanto elas ainda estão perto de você... depois, poderá ser tarde demais, e em lugar de você dizer sorrindo "eu te amo", você poderá estar dizendo, chorando e corroído pelo remorso que o acompanhará para sempre, como um peso em seus ombros, em sua consciência: Perdoa-me pelas vezes em que não tive a coragem de olhar nos teus olhos e simplesmente dizer "eu te amo". Agora sei que não me ouves, mas eu quero apenas que tu saibas o quanto eu te amo...

Vamos, ainda está em tempo. Pergunte a si mesmo, agora, neste momento:
Qual foi a última vez em que eu disse "eu te amo" ao meu pai, minha mãe, meu amigo, meu filho, minha esposa, meu marido, meu sogro, minha sogra, meus avós, meus tios, primos, meu vizinho?
Corra, pode ser que você os encontre sorrindo, esperando somente para ouvi-lo dizer, sorridente e comovido: "EU TE AMO!"

ARNEYDE T. MARCHESCHI

segunda-feira, 27 de junho de 2011

NÃO PACTUAR COM A IDOLATRIA


1 Coríntios 10 (14-22)
14 Portanto, meus amados, fugi da idolatria.

15 Falo como a entendidos; julgai vós mesmos o que digo.

16 Porventura o cálice de bênção, que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é porventura a comunhão do corpo de Cristo?

17 Porque nós, sendo muitos, somos um só pão e um só corpo, porque todos participamos do mesmo pão.

18 Vede a Israel segundo a carne; os que comem os sacrifícios não são porventura participantes do altar?

19 Mas que digo? Que o ídolo é alguma coisa? Ou que o sacrificado ao ídolo é alguma coisa?

20 Antes digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios.

21 Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios.

22 Ou irritaremos o Senhor? Somos nós mais fortes do que ele?

EU VI...


Manhã fria e cinzenta em São Paulo. No corre-corre do transeuntes, cada um com suas preocupações, um mendigo destoava dos engravatados que seguiam rumo ao trabalho.
Idade indefinida, cabelo desgrenhado, dentes estragados, roupas encardidas e rotas, a pele cheia de crostas negras denotando que aquele corpo não via água e sabonete há muito tempo. Afastava todos de perto de si por causa do mau cheiro que exalava.
Traído pela sorte nesta vida, sem dinheiro, sem estudo, sem dignidade, morador de rua sem eira nem beira.
Esfarelava um pedaço de pão duro com os dedos imundos e os deixava cair para os pombos da praça.
Indiferentes à sua aparência grotesca, as aves se aproximavam e bicavam com satisfação as migalhas que abençoadamente caíam ao chão.
Ele estava no mais baixo grau da degradação humana, mas ainda era capaz de doar...

Autor: Ivana Maria França de Negri

UM ENCONTRO MARAVILHOSO


Certo homem chamava-se Fleming e era um lavrador escocês pobre.
Um dia, enquanto trabalhava para ganhar o pão para a sua família, ouviu um pedido de socorro proveniente de um pântano das redondezas.
Largou tudo o que estava a fazer e correu ao pântano.
Lá, deparou-se com um rapazito enterrado até à cintura, gritando por socorro e tentando desesperadamente e em vão, libertar-se do lamaçal onde caíra.
O Snr. Fleming retirou o rapazito do pântano, salvando-o assim duma morte atroz.
No dia seguinte, chegou uma elegante carruagem à sua humilde casa, donde saiu um nobre elegantemente vestido, que se lhe dirigiu apresentando-se como o pai do rapazinho que salvara duma morte certa.
“Quero recompensá-lo”, disse o nobre. “O senhor salvou a vida do meu filho”.
“Não, não posso aceitar dinheiro pelo que fiz”, respondeu o lavrador escocês.
Nesse momento, o filho do lavrador veio à porta da casa.
“É seu filho?” perguntou o nobre.
“Sim”, respondeu orgulhosamente o humilde lavrador.
Então, proponho-lhe o seguinte:
Deixe-me proporcionar ao seu filho o mesmo nível de instrução que proporcionarei ao meu.
Se o seu rapaz for dedicado, não tenho dúvida alguma que se converterá num homem de que ambos nos orgulharemos.” 
E o Sr. Fleming aceitou. O filho do humilde lavrador freqüentou as melhores escolas e licenciou-se em Medicina na famosa Escola Médica do St. Mary’s Hospital de Londres.
Foi um médico brilhante e ficou mundialmente conhecido como Dr. Alexander Fleming, o descobridor da Penicilina.
Anos depois, o “rapazinho”que havia sido salvo do pântano adoeceu com uma pneumonia.
Quem salvou a sua vida desta vez?
A PENICILINA.
.
O nome do rapazinho?
Sir Winston Churchill.
_________
.
Poderíamos ver essa história por vários aspectos, por exemplo, a bondade que o pai camponês teve em ajudar e não querer dinheiro, e anos mais tarde, receber centenas de vezes mais.
Mas quero abordar o fato de situações desesperadoras que você possivelmente esteja passando, algumas até de morte como a dessa história, e por incrível que pareça na lama, afundando, tentando inutilmente sair, porém lenta e inevitavelmente afunda ainda mais, será justamente esse o momento mais importante, o da decisão, o momento que o irá marcar o resto da sua vida, e até direcionar seu futuro positivamente.
No futuro, olhar pra traz e voltar ao presente e pensar, o que seria da minha vida, sem aquela experiência? Será que teria chegado ate aqui, onde estou e como estou?.
Que encontro maravilhoso, o do Sir Winston Churchill com o inventor da Penicilina.
Que encontro maravilhoso, você com alguém muito especial na sua vida.
Que encontro maravilhoso, você com o fundo do poço!
Assim como nessa história, é onde você reconhece que de nada adiantou confiar em bens, dinheiro, conhecimento, família, ser bondoso, nada disso o pode ajudar nesse momento.
Que encontro maravilhoso, você com a sua verdadeira condição de perdido…
Que encontro maravilhoso, você com a certeza que não pode (de tanto sofrimento, muitos nem querem mais) acrescentar mais um minuto na sua vida, e nem todo o dinheiro e influência do mundo podem te salvar, a não ser, um milagre… 
Oh encontro mais maravilhoso e desejado de todos os homens e mulheres que pisaram nessa Terra e afundaram na lama:
O ENCONTRO COM SEU CRIADOR!

domingo, 26 de junho de 2011

APREDER DA HISTORIA


1 Coríntios 10 (1-13)

1 Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem, e todos passaram pelo mar.

2 E todos foram batizados em Moisés, na nuvem e no mar,

3 E todos comeram de uma mesma comida espiritual,

4 E beberam todos de uma mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os seguia; e a pedra era Cristo.

5 Mas Deus não se agradou da maior parte deles, por isso foram prostrados no deserto.

6 E estas coisas foram-nos feitas em figura, para que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram.

7 Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles, conforme está escrito: O povo assentou-se a comer e a beber, e levantou-se para folgar.

8 E não nos prostituamos, como alguns deles fizeram; e caíram num dia vinte e três mil.

9 E não tentemos a Cristo, como alguns deles também tentaram, e pereceram pelas serpentes.

10 E não murmureis, como também alguns deles murmuraram, e pereceram pelo destruidor.

11 Ora, tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos.

12 Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia.

13 Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.

Um Encontro Maravilhoso


Um dia, levantei-me de manhã cedo para assistir o nascer do sol.
A beleza da criação divina estava além de qualquer descrição.
Enquanto eu assistia, louvei a Deus pelo Seu belo trabalho.
Sentado lá, senti a presença de Deus comigo.
Ele me perguntou, "Você me ama?"

Eu respondi, "É claro, Deus! Você é meu Senhor e Salvador!"

Então Ele perguntou, "Se você tivesse alguma dificuldade física, ainda assim Me amaria?"

Eu fiquei perplexo. Olhei para meus braços, pernas e para o resto do meu corpo e me perguntei quantas coisas eu não seria capaz de fazer, as coisasjavascript:void(0) que eu dava por certas. E eu respondi, "Seria difícil Senhor. mas eu ainda Te amaria."

Então o Senhor disse, "Se você fosse cego , ainda amaria minha criação?"

Como eu poderia amar algo sem a possibilidade de vê-lo? Então eu pensei em todas as pessoas cegas no mundo e quantos deles ainda amaram Deus e Sua criação. Então respondi, "'É difícil pensar nisto, mas eu ainda Te amaria."

O Senhor então perguntou-me, "Se você fosse surdo, ainda ouviria minha palavra?"

Como poderia ouvir algo sendo surdo? Então eu entendi. Ouvir a palavra de Deus não é simplesmente usando os ouvidos, mas nossos corações. Eu respondi, "Seria difícil, mas eu ainda ouviria a Tua palavra."

O Senhor então perguntou, "Se você fosse mudo, ainda louvaria Meu nome?"

Como poderia louvar sem uma voz? Então me ocorreu: Deus quer que cantemos de toda nossa alma e todo nosso coração. Não importa como possa parecer. E louvar a Deus não é sempre com uma canção, mas quando somos oprimidos, nós louvamos a Deus com nossas palavras de gratidão. Então eu respondi, "Embora eu não pudesse fisicamente cantar, eu ainda louvaria teu nome."

E O Senhor perguntou, "Você realmente Me ama?"

Com coragem e forte convicção, eu respondi seguramente, "Sim,
Senhor! Eu te amo Tu és o único e verdadeiro Deus!" Eu pensei ter respondido bem, mas então Deus perguntou: "ENTÃO POR QUE PECAS?"

Eu respondi, "Porque sou apenas um humano. Não sou perfeito."

"ENTÃO PORQUE EM TEMPOS DE PAZ VOCÊ VAGUEIA AO LONGE? PORQUE SOMENTE EM TEMPOS DE PROBLEMAS VOCÊ ORA COM FERVOR?"

Sem respostas. Somente lágrimas.

O Senhor continuou: "Por que cantas somente nas confraternizações e nos retiros?

Por que Me buscas somente nas horas de adoração?
Por que Me perguntas coisas tão egoístas?
Por que me fazes perguntas tão sem fé?"

As lágrimas continuavam a rolar em minha face.

"Por que você está com vergonha de mim?
Por que você não está espalhando as boas novas?
Por que em tempos de opressão, você chora a outros quando eu ofereço Meu ombro pra você chorar nele?
Por que cria desculpas quando lhe dou oportunidades de servir em Meu nome?"

Eu tentei responder, mas não havia resposta a ser dada.

"Você é abençoado com vida.
Eu não lhe fiz para que jogasse este presente fora.
Eu lhe abençoei com talentos pra Me servir, mas você continua a se virar.
Eu revelei Minha palavra a você, mas você não progride em conhecimento.
Eu falei com você, mas seus ouvidos estavam fechados.
Eu mostrei minhas bênçãos, mas seus olhos se voltavam pra outra direção.
Eu lhe mandei servos, mas você se sentou ociosamente enquanto eles eram afastados.
Eu ouvi suas orações e respondi a todas elas."

"VOCÊ VERDADEIRAMENTE ME AMA?"

Eu não pude responder.
Como eu poderia? Eu estava inacreditavelmente constrangido.
Eu não tinha desculpa. O que eu poderia dizer?
Quando meu coração chorou e as lágrimas brotaram, eu disse, "Por favor, perdoe-me Senhor.
Eu não sou digno de ser seu filho"

O senhor respondeu:
"Esta é Minha Graça, minha criança"

Eu perguntei":
"Então por que continuas a me perdoar?
Por que me amas tanto? "

O Senhor respondeu:
"Porque você é Minha criação. Você é Minha criança.
Eu nunca te abandonarei.
Quando você chorar, Eu terei compaixão e chorarei com você.
Quando você estiver alegre, Eu vou rir com você.
Quando você estiver desanimado, Eu te encorajarei.
Quando você cair, Eu vou te levantar.
Quando você estiver cansado, Eu te carregarei.
Eu estarei com você até o final dos tempos, e te amarei pra sempre."

Eu jamais chorara daquela maneira antes. Como pude ter sido tão frio?
Como pude ter magoado Deus como fiz?
Eu perguntei a Deus, "Quanto me amas?"

Então, O Senhor esticou Seu braço e eu vi suas mãos com enormes buracos sangrentos.

Logo, curvei-me aos pés de Jesus Cristo, meu Salvador, e, pela primeira vez eu orei verdadeiramente...
AUTOR DESCONHECIDO

QUE SAUDADE DO COMPADRE E DA COMADRE


Saudade

Sou do tempo em que ainda se faziam visitas. Lembro-me de minha mãe mandando a gente caprichar no banho porque a família toda iria visitar algum conhecido. Íamos todos juntos, família grande, todo mundo a pé. Geralmente, à noite.

Ninguém avisava nada, o costume era chegar de pára-quedas mesmo. E os donos da casa recebiam alegres a visita. Aos poucos, os moradores iam se apresentando, um por um.

– Olha o compadre aqui, garoto! Cumprimenta a comadre. E o garoto apertava a mão do meu pai, da minha mãe, a minha mão e a mão dos meus irmãos. Aí chegava outro menino. Repetia-se toda a diplomacia.

– Mas vamos nos assentar, gente. Que surpresa agradável! A conversa rolava solta na sala. Meu pai conversando com o compadre e minha mãe de papo com a comadre. Eu e meus irmãos ficávamos assentados todos num mesmo sofá, entreolhando-nos e olhando a casa do tal compadre. Retratos na parede, duas imagens de santos numa cantoneira, flores na mesinha de centro… casa singela e acolhedora. A nossa também era assim.

Também eram assim as visitas, singelas e acolhedoras. Tão acolhedoras que era também costume servir um bom café aos visitantes. Como um anjo benfazejo, surgia alguém lá da cozinha – geralmente uma das filhas – e dizia:

– Gente, vem aqui pra dentro que o café está na mesa. Tratava-se de uma metonímia gastronômica. O café era apenas uma parte: pães, bolo, broas, queijo fresco, manteiga, biscoitos, leite… tudo sobre a mesa.

Juntava todo mundo e as piadas pipocavam. As gargalhadas também. Pra que televisão? Pra que rua? Pra que droga? A vida estava ali, no riso, no café, na conversa, no abraço, na esperança… Era a vida respingando eternidade nos momentos que acabam…. era a vida transbordando simplicidade, alegria e amizade…

Quando saíamos, os donos da casa ficavam à porta até que virássemos a esquina. Ainda nos acenávamos. E voltávamos para casa, caminhada muitas vezes longa, sem carro, mas com o coração aquecido pela ternura e pela acolhida. Era assim também lá em casa. Recebíamos as visitas com o coração em festa.. A mesma alegria se repetia. Quando iam embora, também ficávamos, a família toda, à porta. Olhávamos, olhávamos… até que sumissem no horizonte da noite.

O tempo passou e me formei em solidão. Tive bons professores: televisão, vídeo, DVD, e-mail… Cada um na sua e ninguém na de ninguém. Não se recebe mais em casa. Agora a gente combina encontros com os amigos fora de casa:

– Vamos marcar uma saída!… – ninguém quer entrar mais. Assim, as casas vão se transformando em túmulos sem epitáfios, que escondem mortos anônimos e possibilidades enterradas. Cemitério urbano, onde perambulam zumbis e fantasmas mais assustados que assustadores.

Casas trancadas.. Pra que abrir? O ladrão pode entrar e roubar a lembrança do café, dos pães, do bolo, das broas, do queijo fresco, da manteiga, dos biscoitos do leite…

Que saudade do compadre e da comadre!

Texto de José Antônio Oliveira de Resende,

sábado, 25 de junho de 2011

RENUNCIAR POR AMOR


1 Coríntios 9 (1-27)

1 Não sou eu apóstolo? Não sou livre? Não vi eu a Jesus Cristo Senhor nosso? Não sois vós a minha obra no Senhor?

2 Se eu não sou apóstolo para os outros, ao menos o sou para vós; porque vós sois o selo do meu apostolado no Senhor.

3 Esta é minha defesa para com os que me condenam.

4 Não temos nós direito de comer e beber?

5 Não temos nós direito de levar conosco uma esposa crente, como também os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas?

6 Ou só eu e Barnabé não temos direito de deixar de trabalhar?

7 Quem jamais milita à sua própria custa? Quem planta a vinha e não come do seu fruto? Ou quem apascenta o gado e não se alimenta do leite do gado?

8 Digo eu isto segundo os homens? Ou não diz a lei também o mesmo?

9 Porque na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca ao boi que trilha o grão. Porventura tem Deus cuidado dos bois?

10 Ou não o diz certamente por nós? Certamente que por nós está escrito; porque o que lavra deve lavrar com esperança e o que debulha deve debulhar com esperança de ser participante.

11 Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito que de vós recolhamos as carnais?

12 Se outros participam deste poder sobre vós, por que não, e mais justamente, nós? Mas nós não usamos deste direito; antes suportamos tudo, para não pormos impedimento algum ao evangelho de Cristo.

13 Não sabeis vós que os que administram o que é sagrado comem do que é do templo? E que os que de contínuo estão junto ao altar, participam do altar?

14 Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho.

15 Mas eu de nenhuma destas coisas usei, e não escrevi isto para que assim se faça comigo; porque melhor me fora morrer, do que alguém fazer vã esta minha glória.

16 Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!

17 E por isso, se o faço de boa mente, terei prêmio; mas, se de má vontade, apenas uma dispensação me é confiada.

18 Logo, que prêmio tenho? Que, evangelizando, proponha de graça o evangelho de Cristo para não abusar do meu poder no evangelho.

19 Porque, sendo livre para com todos, fiz-me servo de todos para ganhar ainda mais.

20 E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei.

21 Para os que estão sem lei, como se estivesse sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei.

22 Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns.

23 E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele.

24 Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis.

25 E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível.

26 Pois eu assim corro, não como a coisa incerta; assim combato, não como batendo no ar.

27 Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.

AMIGA MALDITA



Quando a conheci, tinha eu 16 anos...

Ela ou eu, não sei...

Fomos apresentados numa festa

por uma pessoa que se dizia meu "amigo"...

Foi amor à primeira vista.

Ela me enlouquecia.

Nosso amor chegou a um ponto que já

não conseguia viver sem Ela.

Mas era um amor proibido.

Meus pais não a aceitaram.

Fui repreendido na escola,

passamos a encontrar-nos escondidos, até que não deu mais.

Fiquei louco. Eu queria, mas não a tinha.

Eu não podia permitir que me afastassem DELA.

Eu amava-a.

Bati com o carro, quebrei tudo dentro de casa e quase matei a minha irmã.

Estava louco. Precisava DELA.

Hoje tenho 39 anos, estou internado num hospital,

sou um inútil e sei que vou morrer abandonado

pelos meus pais, amigos e por ELA.

O seu nome?

COCAÍNA.

Meu amor, minha vida, minha destruição.

Devo tudo a ELA.

A MINHA MORTE.

Fred Mercury Queen

Jovens afastem-se desta falsa amiga enquanto é tempo, porque problemas todos temos, pois fazem parte da nossa vida, estas amizades só destroi a vossa vida e a dos vossos familiares.

A HISTÓRIA DA LAGARTA



Imagina uma lagarta. Passa grande parte da sua vida no chão,

olhando os pássaros, indignados com o seu destino e com a sua forma.

"Sou a mais desprezível das criaturas", pensou a lagarta.

"Sou feia, repulsiva e estou condenada a rastejar pela terra."

Um dia, entretanto, a Natureza pede-lhe que faça um casulo.

A lagarta assustou-se, porque nunca fizera um casulo antes.

Pensou que estava construíndo o seu túmulo, e prepara-se para morrer.

Embora indignada com a vida que levara até então,

reclamou novamente com Deus.

- Quando finalmente me habituei com tudo isto,

o Senhor tira-me o pouco que tenho".

Desesperada, tranca-se no casulo e aguarda o fim.

Alguns dias depois, vê-se transformada numa linda borboleta.

Pode passear pelos céus, e ser admirada pelos homens.

Surpreende-se com o sentido da vida e com os desígnios de Deus.
AUTOR DESCONHECIDO

sexta-feira, 24 de junho de 2011

AS CARNES SACRIFICADAS AOS ÍDOLOS


1 Coríntios 8 (1-13)

1 Ora, no tocante às coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que todos temos ciência. A ciência incha, mas o amor edifica.

2 E, se alguém cuida saber alguma coisa, ainda não sabe como convém saber.

3 Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido dele.

4 Assim que, quanto ao comer das coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que o ídolo nada é no mundo, e que não há outro Deus, senão um só.

5 Porque, ainda que haja também alguns que se chamem deuses, quer no céu quer na terra (como há muitos deuses e muitos senhores),

6 Todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele.

7 Mas nem em todos há conhecimento; porque alguns até agora comem, no seu costume para com o ídolo, coisas sacrificadas ao ídolo; e a sua consciência, sendo fraca, fica contaminada.

8 Ora a comida não nos faz agradáveis a Deus, porque, se comemos, nada temos de mais e, se não comemos, nada nos falta.

9 Mas vede que essa liberdade não seja de alguma maneira escândalo para os fracos.

10 Porque, se alguém te vir a ti, que tens ciência, sentado à mesa no templo dos ídolos, não será a consciência do que é fraco induzida a comer das coisas sacrificadas aos ídolos?

11 E pela tua ciência perecerá o irmão fraco, pelo qual Cristo morreu.

12 Ora, pecando assim contra os irmãos, e ferindo a sua fraca consciência, pecais contra Cristo.

13 Por isso, se a comida escandalizar a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que meu irmão não se escandalize.

Frases de Padre Léo


“Quando a Graça de Deus se encontra com um espírito Puro e Batalhador, os Milagres acontecem”

“A vida não tem pena de quem não Luta”

“Fácil é ir para o inferno,porque o caminho do inferno é largo, e é descida.
O caminho do Céu é estreito, e é subida, mas é possível chegar lá.”

“Se você isolar o problema na vida,você não vê a vida”

“O discurso dos derrotados é aquele que tenta justificar todos os erros cometidos encontrando o erro dos outros”

O cristão não pode ser uma folha que se joga em um rio e se deixar levar pela água. É preciso nadar contra “a corrente”

“O futuro é o tempo que será construído por nós”

“As coisas de Deus são sempre difíceis, porque nos apegamos demais às coisas aqui da terra.”

“O cigarro é o incenso do encardido”

“Uma grande caminhada se faz com pequenos passos, observe o mecanismo de andar. Para você andar mais depressa, é só mudar a perna de trás, esqueça a outra, só muda a que ficou para trás.”

“É preciso ter uma Meta, e a nossa meta é muito grande.
Quem se acostuma com coisa pequena não pode ir para o Céu.
Quem se contenta com pouco vai para o Inferno, que é muito Fácil, e vai cavando sua cova,já. O Céu é para quem sonha grande, pensa grande, Ama grande e tem coragem de viver pequeno.”

Entregue seu fardo


Quando você está em desespero, com problemas que lhe parecem não ter solução, Deus está observando suas tentativas de sair do poço.
Ele não interfere enquanto vê que você tem recursos para salvar-se das tormentas que assolam sua vida. Quando você já fez tudo, realmente tudo que podia fazer e ainda assim a tormenta não cessa, Ele se levanta do Seu Sagrado Trono e caminha em direção a você.Ele sabe quando você já não pode suportar um peso que foi além da sua capacidade de suporte, um peso que faz você ter vontade de sumir do mundo.
É nesse momento que Ele abre os braços, aninha seus cansaços e toma para Si a carga insuportável. Coloque essa certeza em seu coração e descanse.
Durma sem levar consigo as preocupações que tinha, as ansiedades com o amanhã, o temor de ficar só em meio a uma multidão que ignorará seus tropeços.Você nunca estará só!
Quando lhe parece que tudo está perdido, é bem nessa hora que Deus recolhe os problemas e providencia a melhor solução.
Quando você já não pode fazer mais nada, deixe que Ele o faça. As preocupações, o medo, as inseguranças e a descrença são barreiras no caminho por onde Deus estará vindo para trazer-lhe o socorro e as providências do Universo.
Não é preciso orar, pedir, suplicar ou clamar por Ele: Ele sabe quando Sua Sagrada Ação se faz necessária. Apenas entregue-se ao Grande Poder do Divino Pai.
Antes de dormir diga-Lhe tão somente:"Pai, já não consigo mais carregar este fardo e o entrego a Ti".Depois descanse... e confie... e durma em Paz.
Ele estará em ação, e os problemas já não serão seus, mas dEle.Confie em Deus!
AUTOR DESCONHECIDO

quinta-feira, 23 de junho de 2011

VIÚVA PODE CASAR-SE DE NOVO?


1 Coríntios 7 (39-40)

39 A mulher casada está ligada pela lei todo o tempo que o seu marido vive; mas, se falecer o seu marido fica livre para casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor.

40 Será, porém, mais bem-aventurada se ficar assim, segundo o meu parecer, e também eu cuido que tenho o Espírito de Deus.

O s 7 V u l t o s


Se você não teme o futuro , você não precisa desta mensagem

Estava um homem sentado num banco de praça
onde sempre costumava ficar por algum tempo.
Ele relaxava olhando as árvores ao sol e ao vento,
as pombas em busca de alimentos, os camelôs vendendo
quinquilharias, os pássaros fazendo ninhos,
as crianças brincando, os sinos da igreja badalando,
velhinhos rolando dados ou jogando dominós.

Subitamente viu-se rodeado por 7 vultos
de rosto encoberto, e um deles lhe disse:
" Nós somos moradores do futuro "

" O que vieram me falar? "
- perguntou ele, sentindo-se incomodado -

Assim, um a um começou a dizer:

1º - Eu sou uma tormenta:
um dia poderei levar tudo que você possui.

2º - Eu sou a fome:
um dia poderei chegar e você conhecerá
uma das maiores dores que assolam o mundo.

3º - Eu sou o desemprego:
um dia poderei visitá-lo e você não
saberá como sobreviver.

4º - Eu sou um incêndio:
um dia poderei deixá-lo sem teto e sem abrigo.

5º - Eu sou a melancolia:
um dia poderei atingi-lo e você perderá a vontade de viver.

6º - Eu sou a solidão:
um dia poderei bater à sua porta e você não terá
companheiros para ouvi-lo ou para conversar.

7º - Eu sou a velhice:
quando eu chegar você estará vazio, doente e sem metas.

De repente, como num turbilhão, os 7 vultos
falavam ao mesmo tempo, atropeladamente.
O homem, antes relaxado e tranquilo, começou a tremer.

Pondo-se a respirar fundo, aos poucos foi se refazendo e,
como num passe de mágica, ele pôde ver os rostos dos 7 vultos.
Eram exatamente iguais ao dele!

Ele, com decisão, disse:
Parem!
Vocês são ladrões da minha paz!
São assaltantes de mentes distraídas!
Vocês são EU mesmo! São meus pensamentos!
Vocês não moram no futuro! Moram na minha cabeça!
Mas nela quem manda sou EU!

... E prosseguiu:

Aqui aprendi com as árvores que a renovação é possível
depois de terem suas folhas levadas.

Aqui aprendi com as pombas que sempre haverá
mais alimento do que pombas famintas.

Aqui aprendi com os camelôs que o empregador
nem sempre é indispensável e que sempre
haverá meios para sobreviver.

Aqui aprendi com os pássaros que, a cada
ninho derrubado, novos ninhos podem ser construídos.

Aqui aprendi com as crianças que não é necessário
nenhum esforço para ser feliz e querer viver.

Aqui aprendi com os sinos que, por mais sós que
estejamos, sempre haverá alguém para nos ouvir.

E aqui aprendi com os velhinhos que metas sempre
são viáveis de serem atingidas, ainda que seja
vencer numa aposta de dados ou num jogo de dominós.

Pouco a pouco aqueles 7 vultos foram mudando
suas pesadas expressões e, abrindo suaves sorrisos,
puseram-se a dizer:

1º - Eu sou a Prosperidade.

2º - Eu sou a Fartura.

3º -Eu sou o Progresso.

4º - Eu sou a Segurança.

5º - Eu sou a Alegria.

6º - Eu sou o Companheirismo.

7º - Eu sou a Certeza de que a Vida é Eterna.


Sentindo que havia dominado os próprios "fantasmas",
o homem saiu caminhando suave e tranquilamente
em direção ao Amanhã.


- Que pensamentos estão criando o seu futuro? -


S i l v i a S c h m i d t

SOLIDÃO E CONSCIENCIA


Nesta época em que vivemos, a sensação é que jamais estamos sós. Cercados por gente em ônibus, metros, aviões, locais de trabalho e ruas. Entretanto, nunca fomos tão solitários.
E quanto mais nos cercamos de gente, de barulho, de tarefas, mais se agrava a sensação de que estamos sós. Parece contraditório?
Parece sim. Mas não há contradição. Porque estar em companhia de alguém é muito mais do que estar ao lado da pessoa.
Muitas vezes a presença física está lá, mas a alma já escapou para um lugar distante.
Um dos maiores compositores da Humanidade, Giuseppe Verdi, criou uma imagem fascinante para as pessoas que vivem cercadas de gente, em festas cheias de risos e de alegria, mas que se sentem caminhando sós pelo Mundo.
Está na ópera La traviata. É quando a personagem Violeta fala que é uma mulher sozinha em um populoso deserto.
Quantas vezes nos sentimos em um deserto habitado por gente estranha!
Sim, em nossa vida raramente temos pessoas que pensam igual a nós.
Aqui e ali temos afinidades e pontos em comum, mas a trajetória da alma é solitária. Nossas descobertas, vitórias e frustrações são intransferíveis.
Em nosso caminho para Deus estabelecemos diálogos que dizem respeito apenas a nós mesmos.
Processos pessoais, momentos puramente individuais em que a voz da consciência ressoa em nossa alma com exatidão... Com rara sinceridade.
Por melhores sejam os amigos, eles não nos dirão as verdades como a nossa própria consciência o faz
O amigo não vai desejar nos ofender, maltratar ou irritar. Por isso, ele tentará minimizar a dura verdade.
Mas a consciência, não. Ela nos apresenta uma avaliação rigorosa de nossos atos. Ela nos põe diante de nós mesmos.
Tudo muito naturalmente. E sequer conseguimos contestar essa avaliação criteriosa.
Então, por que temer a solidão? É quando silencia o mundo à nossa volta que conseguimos ouvir a voz da consciência.

O homem sábio muitas vezes busca o deserto, a quietude, o silêncio, a fim de se encontrar consigo mesmo, de voltar-se para Deus.
Há tempo para tudo, ensina o Eclesiastes, um dos livros bíblicos. Tempo de semear, tempo de colher, tempo de falar, tempo de silenciar também.
Silenciar para ouvir os sons da alma, os conselhos do coração.
Então, se a vida lhe oferece a solidão, acolha-a como um presente. Aproveite cada minuto para reflexões. Encare tudo como oportunidade de aprendizado.
Há tanta gente imersa em ruídos, sufocada por conversas maledicentes ou pelo som de risadas irônicas. Há tanta gente cercada de pessoas mas com o coração amargurado, oprimido, vazio
Por isso, não lamente a falta de companhia do Mundo. Busque na sua solidão a mão amiga de Deus.
Enquanto você se crê solitário e triste, frustrado nos anseios que acalentava, perde os olhos nas tintas carregadas do pessimismo e não vê aqueles olhos que o fitam inquietos, desejando se acercar de você, sem oportunidade de poder fazê-lo.
Pense nisso!
AUTOR DESCONHECIDO

quarta-feira, 22 de junho de 2011

COMO DECIDIR?


1 Coríntios 7 (36-38)

26 Mas, se alguém julga que trata indignamente a sua virgem, se tiver passado a flor da idade, e se for necessário, que faça o tal o que quiser; não peca; casem-se.

27 Todavia o que está firme em seu coração, não tendo necessidade, mas com poder sobre a sua própria vontade, se resolveu no seu coração guardar a sua virgem, faz bem.

28 De sorte que, o que a dá em casamento faz bem; mas o que não a dá em casamento faz melhor.

JESUS É ALEGRE.


Passei muito tempo da minha vida
acreditando que seguir Jesus era
sofrer em silêncio, carregar os fardos
com a mesma heróica resignação com
que Ele carregou a Sua Cruz.

Entretanto, o passar dos anos tem me
mostrado uma realidade bem diferente.

Pude vivenciar, provar e atestar que a
Cruz não é triste, nem dolorosa, nem
sangrenta, ao contrário, é alegre e
redentora quanto mais profundamente
somos capazes de compreendê-la.

Toda a dor, todo o sacrifício, Ele já tomou
para si e deixou-nos ensinamentos extre-
mamente simples e funcionais sobre como
lidar com a vida.

Um ensinamento Dele eu adoro é:
"Basta a cada dia o seu jugo".
Quem pratica esta máxima de Jesus
sabe do que estou falando.

Viver somente um dia de cada vez sem
atropelos, sem apreensões, sem tormentos
do passado, sem inquietações sobre o futuro.

Viver somente um dia de cada vez na sua
plenitude, como se fosse o último dia de
nossa vida é como dar uma pincelada a
mais na tela que estamos pintando ou
escrever uma página a mais no livro, sem
pressa, sem afobação.

E então, neste dia que é único em si mesmo,
se a doença aparecer, podemos recorrer a
Jesus Médico.

Se a tristeza brotar, podemos recorrer a
Jesus Alegria.

Se o pensamento ficar obscurecido, podemos
recorrer a Jesus Lucidez.

Diante dos conflitos e violências, podemos
recorrer a Jesus Paz.

Quando bloqueados ou entorpecidos,
podemos recorrer a Jesus Vida.

Se não soubermos mais o que é certo ou
errado, podemos recorrer a Jesus Verdade.

Diante de uma decisão difícil, podemos
recorrer a Jesus Sabedoria.

Quando o medo nos paralisar, podemos
recorrer a Jesus Coragem.

Nos surtos inevitáveis do ódio ou da
mágoa, podemos recorrer a Jesus Amor.

Nos ataques corrosivos do orgulho, podemos
recorrer a Jesus Humildade.

Quando tudo parecer muito complicado,
podemos recorrer a Jesus Simplicidade.

Quando a fé estiver vacilante, podemos
recorrer a Jesus Firmeza.

Na hora da nossa inocência, podemos
recorrer a Jesus Justiça.

Na hora do nosso pecado, podemos
recorrer a Jesus Perdão.

E no momento da nossa passagem,
podemos nos imaginar totalmente
libertos nos braços de Jesus Redenção.

"JESUS É ALEGRE E A CRUZ É REDENTORA"

(Fátima Irene Pinto).

O MEDO NÃO PROTEGE


Faça um grande favor a si mesmo:
se está na sua frente
uma situação que você não pode mudar
não se preocupe com ela.

Se o céu está carregado de nuvens escuras
anunciando uma tempestade
você pode evitar que ela venha?

O medo das ‘tempestades’ da vida
é pior que todos os raios.

Nós temos a ilusão de que o medo nos protege
mas é ele que nos deixa mais vulneráveis..

A preocupa ção é um grande perigo morando dentro de nós.
Ela só serve para ameaçar nossa integridade
física, mental e espiritual.

É a irmã gêmea da pretensão,
ou seja, ela tem o poder de nos convencer
de que somos os ‘senhores do futuro’
e, na verdade,
só podemos evitar dores maiores
quando temos a humildade de aceitar que há coisas
que só Deus pode impedir que aconteça.

O medo é um fabuloso escultor e nos esculpe,
fazendo com que fiquemos tão inertes como as estátuas.

Vc já viu uma estátua se movendo?
Ou mudando de posição?

Assim como o medo,
a preocupa ção é como um raio que pode despedaçar,
derrubar e destruir uma estátua.

Vc tem vontade de cair despedaçado?

Por favor, entenda..
que se você não pode mexer no futuro
é porque permanece em vigor
a verdade da sabedoria popular que nos alerta:

“O FUTURO A DEUS PERTENCE!”

Renda-se e aceite que..
você não pode mexer no que não é seu!


Silvia Schmidt.

terça-feira, 21 de junho de 2011

E A VIRGINDADE?


1 Coríntios 7 (25-35)

25 Ora, quanto às virgens, não tenho mandamento do Senhor; dou, porém, o meu parecer, como quem tem alcançado misericórdia do Senhor para ser fiel.

26 Tenho, pois, por bom, por causa da instante necessidade, que é bom para o homem o estar assim.

27 Estás ligado à mulher? não busques separar-te. Estás livre de mulher? não busques mulher.

28 Mas, se te casares, não pecas; e, se a virgem se casar, não peca. Todavia os tais terão tribulações na carne, e eu quereria poupar-vos.

29 Isto, porém, vos digo, irmãos, que o tempo se abrevia; o que resta é que também os que têm mulheres sejam como se não as tivessem;

30 E os que choram, como se não chorassem; e os que folgam, como se não folgassem; e os que compram, como se não possuíssem;

31 E os que usam deste mundo, como se dele não abusassem, porque a aparência deste mundo passa.

32 E bem quisera eu que estivésseis sem cuidado. O solteiro cuida das coisas do Senhor, em como há de agradar ao Senhor;

33 Mas o que é casado cuida das coisas do mundo, em como há de agradar à mulher.

34 Há diferença entre a mulher casada e a virgem. A solteira cuida das coisas do Senhor para ser santa, tanto no corpo como no espírito; porém, a casada cuida das coisas do mundo, em como há de agradar ao marido.

35 E digo isto para proveito vosso; não para vos enlaçar, mas para o que é decente e conveniente, para vos unirdes ao Senhor sem distração alguma.

O Valor das pequenas coisas


Aprenda a escutar a voz das coisas,
 dos fatos, e verás como tudo fala,
 como tudo se comunica contigo. 
Em cada indelicadeza,
 assassino um pouco aqueles que me amam. 
Em cada desatenção,
 não sou nem educado e nem cristão. 
Em cada olhar de desprezo,
 alguém termina magoado. 
Em cada gesto de impaciência,
 dou uma bofetada invisível
 nos que convivem comigo. 
Em cada perdão que eu negue,
 vai um pedaço do meu egoísmo. 
Em cada ressentimento,
 revelo meu amor-próprio ferido. 
Em cada palavra áspera que digo,
 perdi alguns pontos no céu. 
Em cada omissão que pratico,
 rasgo uma folha do evangelho. 
Em cada esmola que eu nego,
 um pobre se afasta mais triste. 
Em cada oração que não faço, eu peco. 
Em cada juízo maldoso,
 meu lado mesquinho se aflora. 
Em cada fofoca que faço,
 peco contra o silêncio. 
Em cada pranto que enxugo,
 torno alguém mais feliz! 
Em cada ato de fé,
 eu canto um hino à vida. 
Em cada sorriso que espalho,
 planto alguma esperança. 
Em cada espinho, que finco,
 machuco algum coração. 
Em cada espinho que arranco,
 alguém beijará minha mão. 
Em cada rosa que oferto,
 os anjos dizem: Amém! 
Somos todos, anjos com uma asa só. 
E só podemos voar quando
 "abraçados uns aos outros". 
Roque Schneider

Sementes de verdade


Sementes de verdade
Não há luz que não espante a treva
Não há sorriso que não ilumine um semblante
Não há riso que não sane o mau humor
Não há amor que não desfaça o ódio
Não há perdão que não traga a cura
Não há humildade que não rebaixe o orgulho
Não há simplicidade que não enrugue a vaidade
Não há beleza interior
que não nuble a beleza externa
Não há tolerância que não vença a ignorância
Não há persistência que não atinja um objetivo
Não há calma que não inferiorize a ira
Não há paciência que não dissolva a ansiedade
Não há coragem que não dissolva o medo
Não há serenidade que não desarme a agressão
Não há desprendimento
que não ridicularize a avareza
Não há ambição bem dosada
que não humilhe a ganância
Não há fé que não vença a rebeldia
Não há rendição que não cesse a guerra
Não há silêncio que não quebre a exaltação
Não há compreensão que não incomode o erro
Não há verdade que não derrube a mentira
Há olhos que observam os meus atos
e também os teus:
não há atos que não sejam vistos
nem há pensamentos que não cheguem a Deus

Silvia Schmidt

segunda-feira, 20 de junho de 2011

QUAL A NOVIDADE DE SER CRISTÃO?


1 Coríntios 7 (17-24)

17 E assim cada um ande como Deus lhe repartiu, cada um como o Senhor o chamou. É o que ordeno em todas as igrejas.

18 É alguém chamado, estando circuncidado? fique circuncidado. É alguém chamado estando incircuncidado? não se circuncide.

19 A circuncisão é nada e a incircuncisão nada é, mas, sim, a observância dos mandamentos de Deus.

20 Cada um fique na vocação em que foi chamado.

21 Foste chamado sendo servo? não te dê cuidado; e, se ainda podes ser livre, aproveita a ocasião.

22Porque o que é chamado pelo Senhor, sendo servo, é liberto do Senhor; e da mesma maneira também o que é chamado sendo livre, servo é de Cristo.

23 Fostes comprados por bom preço; não vos façais servos dos homens.

24 Irmãos, cada um fique diante de Deus no estado em que foi chamado.

O olhar dos outros


Se olharmos pra trás veremos quantas coisas deixamos de fazer no ano que passou. Coisas que havíamos nos prometido e que acreditávamos sinceramente na realização. Por motivos vários nos negamos certas coisas. Gostaríamos sim de ir aqui ou ali, tomar essa ou aquela decisão, mas não vivendo isolados, acabamos por nos deixar levar pelo que os outros pensariam de nós. Buscamos coragem para muitas coisas no nosso interior, mas é no nosso exterior que essa coragem se destrói. Pesam os julgamentos, que eles sejam falsos ou justificados. Assim, damos passos para trás na nossa felicidade e no bem estar que a vida nos oferece como uma segunda chance.

Olhar para os lados nunca foi solução quando nos encontramos num impasse. O olhar dos outros, o que vão pensar ou dizer são estorvos no nosso caminho, porque a maioria das pessoas e mesmo grande parte delas, se importam pouco ou nada com a nossa felicidade. Mas Deus se importa e por essa razão mesmo não nos condena. Entre agradar aos homens e agradar a Deus é mil vezes preferível agradar a Deus. E Ele somente conhece nossas veias, nosso coração, nosso âmago e nossos sentimentos. Os homens nos aprisionam com seus julgamentos. Somente Deus, com muito amor, é que pode nos libertar.

Decidi começar o ano escrevendo sobre a liberdade que podemos ter em Cristo, independente do pensamento dos homens. Mesmo se milhões de homens dizem que não podemos, se Cristo disser: "vocês podem" então todos os caminhos estarão abertos. Mas é preciso que aprendamos a nos libertar de todas as coisas que nos impedem de caminhar.

Nosso primeiro texto do ano chama-se: O olhar dos outros - assunto talvez corriqueiro, mas que impede muito nossa felicidade. E Deus nos ama o bastante para querer ver-nos felizes.

O olhar dos outros

O olhar das outras pessoas são mãos pesadas nos nossos ombros. Quanto não deixamos de fazer por causa de supostos ou verdadeiros julgamentos alheios?

A sociedade impõe modos e comportamentos que nem sempre são aqueles que condizem com o que somos, com o que desejamos ou mesmo precisamos para nosso equilíbrio pessoal.

Não voamos, não ousamos, não vamos além, não plantamos e tão pouco colhemos não porque é o que queremos, mas porque pensamos que é o que esperam de nós. Vivemos de uma falsa liberdade que nos limita.

Muitos "sim" nos contrariam para não contrariar outros, muitos "não" chegam simplesmente para confortar outros enquanto nossa alma dói. Vivemos da aparência do que esperam de nós e nosso eu fica guardado e ressentido porque muitas vezes ele queria simplesmente gritar que ele é ele e ponto final.

Vamos assim seguindo a maré da vida.

Jesus também suportou o olhar dos outros. Mas com a diferença de que para Ele importava muito mais o olhar dAquele que O havia enviado. A morte na cruz era algo terrivelmente humilhante, porém havia algo muito maior e superior à vergonha de ser pregado numa cruz: agradar acima de tudo e por tudo Aquele que com amor nos formou.

Nos importamos muito menos com o olhar de Deus que com o olhar dos homens. Portanto, enquanto os homens nos condenam, Deus nos absolve sem fazer perguntas. Ele nos torna livres e se Suas mãos se pousam sobre nossos ombros é para nos abraçar.

Que o amor de Cristo liberte a cada um das suas correntes,
sejam elas quais forem!

Letícia Thompson

domingo, 19 de junho de 2011

VIVER UNIDO OU SEPARAR-SE


1 Coríntios 7 (12-16)

12 Mas aos outros digo eu, não o Senhor: Se algum irmão tem mulher descrente, e ela consente em habitar com ele, não a deixe.

13 E se alguma mulher tem marido descrente, e ele consente em habitar com ela, não o deixe.

14 Porque o marido descrente é santificado pela mulher; e a mulher descrente é santificada pelo marido; de outra sorte os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos.

15 Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou irmã, não esta sujeito à servidão; mas Deus chamou-nos para a paz.

16 Porque, de onde sabes, ó mulher, se salvarás teu marido? ou, de onde sabes, ó marido, se salvarás tua mulher?

A generosidade


Quanto mais pensamos na dor que nos incomoda, mais ela dói. Quanto mais pensamos na solidão que nos machuca, mais ela nos destrói. Quanto mais pensamos na nossa pequenez, mais nos sentimos diminuídos. As soluções para nossos problemas nos parecem tão irreais quanto os contos mais fantásticos. Damos demasiada importância a nós mesmos e aos nossos problemas, como se fôssemos o centro do universo. Mas se olhamos ao nosso redor e começamos a abrir nosso coração, percebemos que o mundo está cheio de pessoas doloridas, pequenininhas e diminuídas. Pessoas para as quais a vida parece sem piedade, pessoas que carecem, talvez não de alimento, mas de afeto. Dói muito mais e mais tempo um coração solitário que um estômago vazio.

A generosidade tomou, em nossos dias, formas materiais. Considera-se mais generoso quem tem mais dinheiro para oferecer. Isso torna as pessoas vaidosas. Mas, muito mais que mãos generosas, Deus aprecia corações generosos. Aqueles que não medem esforços, os que fazem algo não para que o mundo veja, mas para que este mesmo mundo seja mais completo. As pessoas mais serenas e mais queridas de Deus são aquelas que oferecem o coração como presente.

A generosidade

Quanto mais caminho, mais percebo o quanto o mundo anda sedento. As pessoas correm, sofrem, se desesperam e continuam buscando a felicidade como se essa fosse apenas uma miragem nesse imenso deserto que a vida se transformou.

Há muita gente no mundo, milhares e milhares. Portanto, a solidão continua assolando vidas, maltratando corações que, no fim do dia e das contas acabam desacreditando nas portas que se abrem a elas. Cada qual pensa no próprio eu e todo mundo se isola. Enquanto isso, a vida continua, cresce a indiferença, cresce o desamor, multiplicam-se as depressões e incompreensões. As pessoas sentem-se vazias e reagem como pessoas vazias. Vazias, pelo menos, de amor e caridade, mas cheias de tristezas e desilusões.

Há, portanto, dentro de cada um de nós um poço de possibilidades e compartilhar de si é deixar-se um pouquinho em cada um. Só não tem nada para oferecer quem possui um coração vazio, não as mãos. E acabar com a solidão de alguém é contribuir para o fim da própria solidão. Oferecer a esperança é dar-se a si uma nova chance, é reabrir portas, é descobrir o novo e entregar-se a ele.

Há melhor presente no mundo que o dom de si? Há coisa mais bonita que saciar o coração de alguém? Devolver a esperança, por menor que seja ela, é dar às pessoas a oportunidade de descobrir o outro lado da vida, aquele que, embora um pouco esquecido, ainda existe.

O dia tem 24 horas e parece muitas vezes que são insuficientes para fazermos tudo o que temos que fazer. Lamentamos a falta de tempo para isso ou aquilo e pensamos que um dia, quem sabe, se atingirmos a bênção da velhice tranqüila, poderemos dar um pouco mais de nós aos outros. Quanto engano!!!

Podemos dar de nós a cada dia e a cada hora, agindo com o coração e tendo uma atitude que nos torna diferentes em qualquer lugar. Pode-se resistir ao ódio por muito tempo, mas quem resiste à ternura, ao afeto, ao amor e à boa-vontade?

Quando as pessoas agirem com menos egoísmo e ao invés de ruminarem a própria infelicidade começarem a agir para o bem do próximo, as doenças da alma começarão a encontrar a cura e o amanhecer terá para cada um de nós um outro rosto, mais sereno, mais amigo e mais esperado.

Que o Senhor Deus os abençoe, cure suas feridas e suas dores e os encha de paz! Esse é meu desejo para hoje!
Um forte e carinhoso abraço e até breve, se assim Deus permitir!

Letícia Thompson

sábado, 18 de junho de 2011

MATRIMONIO OU CELIBATO?


1 Coríntios 7 (1-11)

1 Ora, quanto às coisas que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher;

2 Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido.

3 O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido.

4 A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher.

5 Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência.

6 Digo, porém, isto como que por permissão e não por mandamento.

7 Porque quereria que todos os homens fossem como eu mesmo; mas cada um tem de Deus o seu próprio dom, um de uma maneira e outro de outra.

8 Digo, porém, aos solteiros e às viúvas, que lhes é bom se ficarem como eu.

9 Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se.

10 Todavia, aos casados mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido.

11 Se, porém, se apartar, que fique sem casar, ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher.

Frases Padre Léo -


1.Um dos lindos segredos de cura interior é viver intensamente cada momento do dia e da própria vida. Existe uma beleza escondida em cada fase de nossa jornada. Não podemos comparar fases: adolescência, juventude, infância, maturidade. Tudo está revestido com uma beleza própria. Há um tempo para tudo, diz a Sagrada Escritura. É preciso aprender a saborear o que há de melhor em cada fase.

2.As feridas do coração são alimentadas pela inveja, pelo rancor, pelo julgamento e pela atitude crítica. Em geral, o que publicamente criticamos nos outros acabamos fazendo também. A vida é sábia. Jesus ensinou, com uma clareza estupenda, que devemos fazer aos outros aquilo que desejamos para nós. Logo, não devemos fazer para ninguém o que não queremos para nós mesmos.

3.Buscar as coisas do Alto. Não podemos ter medo de sonhar com grandes ideais. Triste de quem se acomoda e se apequena com reduzidos propósitos. A vida é feita de grandes projetos. O ser humano é chamado para grandes ideais. Os grandes sonhos nos dão força para superarmos os pequenos e grandes obstáculos.

.- Estar aberto ao novo ajuda a saborear a alegria da vida. A capacidade de sorrir é um lindo sinal da presença de Deus e um excelente caminho para a cura interior. O riso faz bem à saúde. Achar motivos para sorrir é um caminho seguro de cura e restauração.

5.A preocupação é uma das coisas mais inquietantes na vida humana. Aliás, a preocupação chega a ser um vício, um jeito de viver erradamente. Quem se altera pelas pequenas coisas acaba sendo dominado por esse vício e vive na angústia. A serenidade para enfrentar os grandes problemas é conseqüência do modo como enfrentamos os pequenos fracassos.

6.Nunca se faça de vítima dos acontecimentos. É preciso ser tolerante consigo mesmo e com os outros, para não viver aborrecido por coisas insignificantes. É terrível quando a pessoa vive remoendo críticas. Um caminho seguro para aprender com as derrotas é assumir seus atos, corrigir os erros e não cair no abismo da justificativa barata.

7.O passado precisa ser assimilado, nunca ignorado. Os erros cometidos, por nós e pelos outros, são ensinamentos fabulosos quando nos dispomos a aprender o que eles têm a nos ensinar. Quem não aprende com os erros cometidos acaba sendo vítima de si mesmo. Na vida só existe uma lei: ou a gente aprende ou aprende.

8.Além das idéias é preciso aprender a expressar os sentimentos. Somos o que pensamos e o que sentimos. Infelizmente, aprendemos a esconder os sentimentos atrás da máscara da boa vizinhança. Não adianta. Chegará um momento em que inconscientemente acabaremos revelando o que somos e o que desejamos. Poderá ser tarde demais. O estrago feito é irremediável. Enquanto é tempo, manifeste o que sente.
Texto: Saudoso Padre Léo

A fé que nasce do medo


Já tive medo de Deus. Inúmeras vezes. Nos tempos da infância ouvi dizer que Ele tinha olhos imensos que não nos perdiam de vista. A frase servia como alerta. Ficava de olho nos deslizes cometidos pela humanidade. Os castigos provinham dessa observância. Isso me fez perder a espontaneidade de errar. O erro, processo natural da condição humana, tornou-se motivo de culpas e autopunições. Levei tempo para reconsiderar o ensinamento. A responsável pela reconstrução foi minha mãe.

Mesmo não tendo frequentado faculdade de Teologia, ela me fez compreender de maneira diferente o tamanho dos olhos divinos. Eles são grandes porque amam. Para que você se sinta protegido por eles, disse-me com simplicidade, sem rodeios.

A frase de minha mãe repercutiu dentro de mim. Foi a partir dela que eu tive a graça de compreender que vigilância também é amor. Ela me deu oportunidade de iniciar um processo de reconciliação interior, cujo fruto eu ainda não colhi na totalidade, pois pertence ao processo da vida toda. Aprendizado que propõe uma antropologia positiva, otimista, capaz de ver esperanças no coração humano, mesmo sabendo que ele é território de contradições.

Mais tarde, depois de ter tido a graça de conhecer a escrita vigorosa da mineira Adélia Prado, tive contato com um verso surpreendente que está no seu poema “Filhinha”. O verso é religioso. Parece fazer parte de um processo de reconstrução da imagem divina. A autora diz: “Deus não é severo mais. Suas rugas, sua boca vincada são marcas de expressão de tanto sorrir pra mim.”

Fiquei comovido com a singeleza da confissão. Revela uma ousadia na compreensão do Sagrado. Uma mística irreverente, capaz de rasgar o véu do templo, mas sem promover a banalização do espaço. O verso é boa nova, pois é anúncio de uma descoberta pessoal que tem o poder de mudar a interpretação que a poetisa faz de si mesma. Ela também deve ter crescido sob a égide de um discurso religioso fortemente marcado pelas ameaças de vigilância e punições.

É bem provável que Adélia tenha sido vítima das consequências desastrosas do discurso que ensina o amor a Deus a partir do medo. É estranho, mas a instrumentalização do medo sempre fez parte do contexto das religiões. É um recurso simples. Gera efeito rápido, obediência. Mas não é recurso eficaz.

O medo paralisa, impede a reflexão. Religião que não faz refletir pode ser nociva. A obediência cega não costuma fomentar valores consistentes. Limita-se a ser a reprodução de um comportamento que deixará de ser considerado, no momento em que cessar a vigilância. Religião pode nos fazer amadurecer, mas pode também nos infantilizar. Depende da Antropologia que sustenta a reflexão humana. Depende da Teologia que viabiliza a Revelação divina. É neste ponto que as estradas se encontram. A interpretação que fazemos de Deus reflete diretamente na interpretação que fazemos de nós mesmos.
Padre Fábio de Melo:

sexta-feira, 17 de junho de 2011

A IMORALIDADE


1 Coríntios 6 (12-20)
12 Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.

13 Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a prostituição, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo.

14 Ora, Deus, que também ressuscitou o Senhor, nos ressuscitará a nós pelo seu poder.

15 Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo, e fá-los-ei membros de uma meretriz? Não, por certo.

16 Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne.

17 Mas o que se ajunta com o Senhor é um mesmo espírito.

18 Fugi da prostituição. Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo.

19 Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?

20 Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.

A Nova Terra


Estamos vivendo o grande desafio da lição do desapego. A nossa percepção da vida precisa mudar. Fomos conduzidos pelas infinitas possibilidades, sempre limitadas a uma forma de vivência. Nossos 5 sentidos. Os canais que sempre nos trouxeram a dualidade e a dicotomia dos acontecimentos.

O foco agora é outro. A revelação do nosso caminhar sobre o planeta finalmente chegou! Tentar olhar com os olhos de outrora só nos trará dúvidas, angústia, sofrimento. Passemos do pensamento à ação. Somos totalmente responsáveis por nossas escolhas e a Humanidade está sendo chamada para escolher. Em que planeta Terra queremos viver? Cabe a cada pessoa educar as crianças que lhe rodeiam o sentido do amor e respeito pelo “lar planetário” que escolhemos viver. Não somos donos de nada aqui. Estamos momentaneamente usufruindo do empréstimo generoso desse lugar

O desejo de viver uma qualidade de vida melhor de cada humano fará com que o planeta siga o seu destino próspero. Cabe a cada um a resposta positiva da certeza de uma vida baseada em outros parâmetros de convivência e respeito. Somos co-criadores da realidade e, portanto, responsáveis por todas as escolhas. Fomos acelerados no processo de autoconhecimento e depuração de nossas lembranças difíceis dessa vida e de outras. Temos vivido intensas tristezas, ódios, revoltas, desconfortos etc. A faxina interna está difícil, mas se faz necessária. Estamos quebrando paradigmas e para isso é preciso calma. Muitos têm se sentido sozinhos e desamparados e com pouca esperança nos acontecimentos futuros.

A travessia desse rio de nós mesmos é dolorosa, mas o que nos espera do outro lado, na outra margem, é a paz e também o alento de ter conseguido. Esse encontro conosco foi preciso, pois nos despiu de tudo aquilo que nos acompanhou nessa jornada reencarnatória. Estávamos viciados em sofrer e temos que nos desintoxicar. Estamos condenados a sermos felizes, mesmo fazendo força contra. A hora é AGORA e o nosso Eu verdadeiro, o que nos dá consciência e sabedoria, precisa estar no comando. A Era do EGO acabou e mas uma vez provou-se que foi desastroso o seu desempenho. De volta à simplicidade, à espontaneidade, à naturalidade. Chega de seres sociais com seus acessórios inúteis e sua falsa alegria.

O ser humano do futuro será medido pela grandeza de seu coração, pelo tamanho de sua generosidade, pela eficiência de suas atitudes, pelo resultado de suas escolhas. Homens e mulheres unidos no bem comum. As crianças que estão chegando já conhecem bem esse trajeto. Serão os futuros herdeiros e administradores dessa nova vida. Trazem muitas experiências de outras existências e seus pais precisam se preparar para compreendê-las. Devemos tirar o poder do EGO que se aprisionou em crenças que não mais nos atendem. Precisamos voltar para casa que nada mais é que do se reaproximar da nossa verdadeira essência que habita em nós. Nossa matéria-prima é feita de Deus, essa energia de puro amor e que nos inspira a ser feliz!

Vera Ghimel

quinta-feira, 16 de junho de 2011

JULGAMENTO EM TRIBUNAIS PAGÃOS


1 Coríntios 6 (1-11)

1 Ousa algum de vós, tendo algum negócio contra outro, ir a juízo perante os injustos, e não perante os santos?

2 Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas?

3 Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida?

4 Então, se tiverdes negócios em juízo, pertencentes a esta vida, pondes para julgá-los os que são de menos estima na igreja?

5 Para vos envergonhar o digo. Não há, pois, entre vós sábios, nem mesmo um, que possa julgar entre seus irmãos?

6 Mas o irmão vai a juízo com o irmão, e isto perante infiéis.

7 Na verdade é já realmente uma falta entre vós, terdes demandas uns contra os outros. Por que não sofreis antes a injustiça? Por que não sofreis antes o dano?

8 Mas vós mesmos fazeis a injustiça e fazeis o dano, e isto aos irmãos.

9 Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus?

10 Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.

11 E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus.

Pare um minuto e reflita: você é livre?


A pergunta quase despretenciosa parece ter resposta simples. Só parece. Percebi isso em uma manhã cinzenta, de chuva fininha e vento gelado, quando tudo o que eu queria era ficar mais algumas horas debaixo das cobertas. Mas o despertador teimava em avisar que meu dia estava cheio de reuniões e outros compromissos. Levantei apressado, deixei a preguiça no chuveiro e saí de casa pensando: afinal, o que me impedia de simplesmente desmarcar todos os compromissos e ficar em casa? Onde estava a liberdade que eu tinha certeza que havia conquistado?
Na hora do almoço, o mesmo pensamento dava voltas no meu humor. Fui até o restaurante perto da clínica e encontrei uma antiga amiga que há pouco e sem planejar trocou de vida. Largou o dia-a-dia cheio de viagens e nada de horários pela administração de uma loja, três filhos gêmeos, um cachorro pequeno, um marido gourmet e um jardim cheio de flores brincos-de-princesa.
Liberdade é decidir que tipo de responsabilidades queremos assumir e lutar para ser feliz com elas durante nossa história.
Em meio à conversa, comentei meu repentino questionamento. Ela riu. Disse que todos os dias fazia a si mesma esta indagação. E lembrou que naquela semana havia recebido por e-mail um destes textos que navegam sem dono. Era a lenda de um escravo que reuniu o povo, derrotou um rei tirano e tornou- se líder. No dia da posse, ele discursou por exatos quatro minutos. Disse apenas: “reinem comigo, amigos. Vamos dividir as responsabilidades e os medos. Podemos não construir o melhor reino de nossa história, mas teremos certamente o mais forte. Porque esta foi a liberdade que nós escolhemos”.
A lenda levou a conversa até a noção equivocada de liberdade que muitos de nós aprendemos desde a infância. Porque tudo nos leva a crer que liberdade é um viver solto, sem horários ou empecilhos entre o que deve ser feito e a nossa vontade. Para a maioria das pessoas, liberdade é simplesmente não ter que seguir regras nem assumir compromissos. Talvez por isso muitos ainda temam tanto as uniões estáveis e fujam do casamento. Mas é justamente o oposto. Liberdade é decidir que tipo de responsabilidades estamos dispostos a assumir e lutar para ser feliz com elas durante nossa história. Terminamos, minha amiga e eu, o almoço e o dia muito mais aliviados. As rotineiras obrigações não poderiam ser mudadas, era verdade. Mas havíamos aprendido um com o outro que vivíamos a dádiva de trilhar livremente nossas próprias escolhas. E a isso, dá-se o nome de liberdade.
AUTOR DESCONHECIDO