quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Jarros

       
Diante dos atentos discípulos, o mestre colocou dois jarros idênticos sobre a mesa e disse,
        - Deus não olha como os homens olham para as coisas. O homem olha para a aparência externa, mas os olhares de Deus vão ao coração.

        Fez uma ligeira pausa e continuou,
        - Estes jarros vieram da mesma fábrica, foram feitos com os mesmos materiais e podem conter a mesma quantidade. Mas são diferentes. Explicou.

        Então ele virou um dos jarros e dele escorreu mel. Virou o outro jarro e deste escorreu vinagre.
        - Quando um jarro é virado, seu conteúdo se torna exposto ao escorrer para fora.

        Até que os jarros fossem virados, pareciam iguais. A diferença era o que tinham por dentro e que não podia ser visto. Quando foram virados, seus conteúdos foram revelados. Disse ele.

        E após muito breve pausa, concluiu,
        - Enquanto nós não somos virados, tempo uma boa face. Mas quando somos virados, revelamos nossos íntimos pensamentos e atitudes.

        Se alguém o virasse hoje, O que escorreria para fora? Você revelaria o "mel" da generosidade e paciência, ou o "vinagre" da raiva e sarcasmo?

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Semente da alegria

Alegria, fruto do Espírito
Deus espera de cada um de nós frutos de um conversão.
Um combatente precisa produzir muitos frutos, mesmo em meio à batalha.
Basta recordarmos a passagem da figueira: Todos esperavam um fruto dela.
Mesmo fora de época é normal se encontrar frutos na figueira.
Jesus passa hoje por nós e espera encontrar fruto.
Em meio à batalha do dia-a-dia, Jesus quer encontrar o fruto da alegria.
A alegria de pertencer a Ele.
Jesus semeou em nós as sementes do Reino de Deus: uma delas é a alegria.
Ele as regou com seu sangue e deixou que brotassem dentro de nós.
Agora chegou o tempo de Jesus colher os frutos.
Ele voltará para isso.
É justo que ele encontre frutos em nós.
Um combatente não pode perder o sorriso em meio ao sofrimento da batalha.
Assim como não podemos perder a coragem, a fé e o amor, não podemos perder a alegria: ela é um fruto do Espírito Santo.
Infelizmente, por nós deixarmos levar pelos aborrecimentos do dia-a-dia, acabamos não apresentando diante do Senhor os frutos que Ele tem o direito de encontrar em nós.
Jesus, de quando em quando, precisa cortar galhos da árvore para que, podada, possa produzir mais frutos como ele mesmo nos fala:
"Eu sou a verdadeira videira, e meu pai é o vinhateiro. Todo ramo que em mim, não produzir fruto, ele o arranca, o purifica a fim de que produza mais. Vós já estais purificados pela palavra que eu vos disse" (Jo 15,1-3).
Monsenhor Jonas Abib

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Nunca Jamais

Nunca se julgue velho demais para comemorar aniversários nem para fazer coisas que você sempre fez. Nunca desista dos seus sonhos só porque imagina que eles nunca se tornarão realidade.

Nunca esqueça o som de uma boa gargalhada ou do amor visto nos olhos de alguém. Nunca troque prazeres por más lembranças de coisas que já se perderam no tempo.

Nunca jogue fora o seu entusiasmo pela Vida, crendo que está velho demais para isso, pois não é o que você sente, mas sim o que lhe disseram. Há um profundo vale dentro de nós onde a primavera é eterna, onde não há sons de tristeza e onde os pássaros sempre cantam.

Mesmo que os seus passos já não sejam tão largos quanto os passos de um adolescente, mesmo que lhe pareçam muito diferentes as coisas que antes você enxergava de outra forma, não deixe a soma das décadas transformá-lo num ser amargo e sem esperanças.

Com a idade cresce nossa sabedoria e ela é uma bênção para todos nós. Exiba os anos vividos como quem carrega um estandarte, girando-o brilhantemente em direção do sol. Se piadistas lhe disserem que sua Vida está acabando, diga-lhes sorrindo sabiamente:

 Ela está apenas começando!

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Eu temia

Eu temia ficar sozinha
Até que aprendi a gostar de mim mesma.

Eu temia fracassar
Até perceber que só fracasso se desistir.

Eu temia o que as pessoas pudessem pensar de mim
Até perceber que o que conta realmente é o que eu penso de mim mesma.

Eu temia ser rejeitada
Até perceber que devo ter fé em mim mesma.

Eu temia a dor
Até perceber que o sofrimento só me ajuda a crescer.

Eu temia a verdade
Até descobrir a fealdade de uma mentira.

Eu temia a morte
Até aprender que a morte não é um fim mas um começo.

Eu temia o ódio
Até aprender que o ódio é apenas “ignorância”

Eu temia o ridículo
Até aprender a rir de mim mesma.

Eu temia ficar velha
Até compreender que ganho sabedoria a cada dia que passa.

Eu temia ser ferida nos meus sentimentos
Até aprender que ninguém consegue me ferir sem a minha permissão.

Eu temia a escuridão
Até entender a luz e a beleza de uma estrela.

Eu temia mudanças
Até perceber as mudanças por que tem de passar uma bela borboleta antes de poder voar.

Acima de tudo aprendi que não vale a pena temer nada, pois vou enfrentar cada obstáculo à medida que aparecer na minha vida, com coragem e confiança pois…
No final existirá sempre mais uma esperança…
Se vivermos a vida sem temor!

domingo, 25 de janeiro de 2015

Pensamentos de Paz

(Madre Teresa de Calcutá)
“Acredito que o mundo hoje está de ponta cabeça e sofre muito porque existe tão pouco amor no lar e na vida familiar. Não temos tempo para nossas crianças, não temos tempo para darmos uns aos outros, não temos tempo para apreciarmos uns aos outros.”
“A falta de amor é a maior de todas as pobrezas.“
“Amar, ser verdadeiro, deve custar – deve ser árduo – deve esvaziar-nos do ego.“
“A pior calamidade para a humanidade não é a guerra ou o terremoto. É viver sem Deus. Quando Deus não existe, se admite tudo. Se a lei permite o aborto e a eutanásia, não nos surpreende que se promova a guerra!“
“Não importa o quanto você faz, mas o quanto de amor você coloca nas suas ações.“
“Não rezo pelo sucesso, peço pela fé.”
“Não sei ao certo como é o Paraíso, mas sei que quando morrermos e chegar o tempo de Deus nos julgar, Ele NÃO perguntará, Quantas coisas boas você fez em sua vida?, antes Ele perguntará, Quanto AMOR você colocou naquilo que fez?”
“Não ser desejado, não ser amado, não ser cuidado, ser esquecido por todos, isso acredito ser fome muito maior, uma pobreza muito maior do que a de uma pessoa que não tenha nada para comer.”
“Nesta vida, não podemos realizar grandes coisas. Podemos apenas fazer pequenas coisas com um grande amor.”
“No final de nossas vidas não seremos julgados pelos muitos diplomas que recebemos, por quanto dinheiro fizemos ou por quantas grandes coisas realizamos. Seremos julgados pelo ‘Eu tive fome e você me deu de comer. Estava nu, e você me vestiu. Eu não tinha casa e você me abrigou.”
“Nunca compreenderemos o quanto um simples sorriso pode fazer.”
“O amor, para ser verdadeiro, tem de doer. Não basta dar o supérfluo a quem necessita, é preciso dar até que isso nos machuque.”
“O mundo que Deus nos deu é mais do que suficiente, segundo os cientistas e pesquisadores, para todos; existe riqueza mais que de sobra para todos. É só uma questão de reparti-la bem, sem egoísmo. O aborto pode ser combatido mediante a adoção. Quem não quiser as crianças que vão nascer, que as dê a mim. Não rejeitarei uma só delas. Encontrarei uns pais para elas. Ninguém tem o direito de matar um ser humano que vai nascer: nem o pai, nem a mãe, nem o estado, nem o médico. Ninguém. Nunca, jamais, em nenhum caso. Se todo o dinheiro que se gasta para matar, fosse gasto em fazer com que as pessoas vivessem, todos os seres humanos vivos e os que vêm ao mundo viveriam muito bem e muito felizes. Um país que permite o aborto é um país muito pobre, porque tem medo de uma criança, e o medo é sempre uma grande pobreza.”
“Por favor, escolham o caminho da paz… Num curto período pode haver vencedores e perdedores nessa guerra que abominamos. Mas jamais poderá, nem nunca será justificada a dor e perda de vidas que suas armas causarão.” (Carta ao Presidente Americano George Bush e ao Presidente Iraquiano Saddam Hussein, Janeiro 1991.)
“Qualquer ato de amor, por menor que seja, é um trabalho pela paz.
“Quem julga as pessoas não tem tempo para amá-las.”
“Sei que Deus não me dará nada que eu não possa lidar. Apenas gostaria que Ele não confiasse tanto em mim.”
“Sei que meu trabalho é uma gota no oceano. Mas sem ele, o oceano seria menor.”
“Sou uma pequena caneta na mão de Deus que envia cartas de amor ao mundo.”
“Tenha fé nas pequenas coisas, pois é nelas que a sua força reside.”
“Todas as nossas palavras serão inúteis se não brotarem do fundo do coração. As palavras que não dão luz aumentam a escuridão.”
“Um coração feliz é o resultado inevitável de um coração ardente de amor.“

sábado, 24 de janeiro de 2015

Oceanos


Os oceanos são feitos de gotas d'água...

Para ser ouvido, fale, Para ser compreendido, exponha claramente suas idéias sem jamais abrir mão daquelas que julga fundamentais apenas para que os outros o aceitem.

Acima de tudo, busque o prazer antes do sucesso, a autorrealização antes do dinheiro,

O fazer bem feito antes de pensar em obter qualquer recompensa. Nenhum reconhecimento externo vai substituir a alegria de poder ser você mesmo.

Para poder recomeçar sempre, perdoe-se pelos fracassos e erros que cometer, aprenda com eles e, a partir deles, programe suas próximas ações.

Nunca se deixe iludir que será possível fazer tudo num dia só ou quando tiver todos os recursos: tal dia nunca virá.

Para se manter motivado, sonhe.

Para realizar, planeje, pensando grande e fazendo pequeno, um pouco a cada dia e todos os dias um pouco, Porque são pequenas gotas d'água que fazem todo o grande oceano...

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

O sonho de uma criança

Dizem que o ser humano é motivado pelos seus sonhos. Entretanto, ao decorrer da vida, nossos sonhos vão sendo podados e esquecidos muitas vezes por pessoas que já engavetaram os seus próprios com frases como: “Isso não dá dinheiro!” ou “Isso não será bom para você!”. Provavelmente, muitos de nós, senão todos, já ouvimos “conselhos” desse tipo e, às vezes, nos pegamos prestes a dizer algo parecido à alguém. Uma pergunta que fica no ar é a de como alguém pode ter tanta certeza do que é bom ou não para uma outra pessoa?
Essa atitude, como quase todas as outras, teve sua origem em nossa infância, período o qual recebemos muitas frases negativas, algumas com o intuito de proteger nossa integridade física, e outras que acabam por destruir muitos de nossos sonhos.
Quando conversamos com as crianças, devemos pensar muito bem em tudo o que falamos. Nossas palavras tem um grande poder sobre elas. Nós temos o poder de ajudá-las a construir seus sonhos ou de destruí-los. Infelizmente, a grande maioria desmotiva-os mesmo sem ter consciência.
Da próxima vez que encontrar uma criança, pergunte-a o que ela gostaria de fazer quando crescer. Elogie-a por tal sonho e pergunte a razão pela escolha. Faça-a refletir e descobrir o seu verdadeiro motivo para tal meta. Se não for realmente o que ela quer, ela mesmo irá descobrir um novo sonho. Não cabe a nós escolher ou impor nossos próprios desejos sobre elas. Às vezes, o sonho de uma criança é motivado pelas pessoas mais próximas, outras vezes pelo que ela vê na televisão, mas o legítimo é aquele que vem de seu interior. Ensinar uma criança que devemos sempre almejar um sonho, não importando qual idade que tenhamos é algo que ela levará para a vida inteira. Caso alguma vez fique desorientada ou sem rumo, poderá buscar dentro de si o seu verdadeiro motivo para viver.
O verdadeiro sonho não é aquele que vem pelo desejo de poder ou fama de nosso ego, mas aquele que vem do nosso âmago motivado apenas pela essência de nosso amor e felicidade.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Transforme suas fraquezas em forças

Certa vez um garoto de dez anos, decidiu apreender e praticar judô, apesar de ter perdido seu braço esquerdo em um terrível acidente de carro.
Disposto a enfrentar as dificuldades e suas limitações, começou suas lições com um velho mestre oriental.
O menino ia bem, em seus treinamentos. Mas, sem entender o porquê, após três meses de treinamento, o mestre tinha-lhe ensinado somente um movimento. O garoto então disse:
– Mestre! Não devo aprender mais movimentos?
O Mestre respondeu-lhe, calmamente e com convicção:
– Este é realmente o único movimento que você sabe, mas este é o único que você precisará saber.
Sem entender completamente, mas acreditando em seu mestre, o menino manteve-se treinando. Meses mais tarde, o mestre inscreveu o menino em seu primeiro torneio.
Surpreendendo-se, o menino ganhou com facilidade seus primeiros dois combates. O terceiro combate revelou ser o mais difícil, mas, depois de algum tempo, seu adversário tornou-se impaciente e agitado. Foi, então, que o menino usou o seu único movimento para ganhar a luta.
Espantado ainda por seu sucesso, o menino estava agora nas finais do torneio. Desta vez o adversário era bem maior, mais forte e mais experiente.
Preocupado com a possibilidade de o garoto se machucar, cogitaram de cancelar a luta, quando o mestre interveio:
– De forma alguma! Deixem-no continuar.
Da mesma forma, o garoto usando os ensinamentos do mestre, entrou para a luta e, quanto teve oportunidade, usou seu movimento para prender o adversário.
Foi assim que o menino ganhou a luta e o torneio.
Era o Campeão!
Mais tarde em casa, o menino e o mestre reviram cada movimento, em cada luta. Então, o menino criou coragem para perguntar o que estava em sua mente:
– Mestre, como eu consegui ganhar o torneio com somente um movimento?
– Você ganhou o torneio por duas razões – respondeu o mestre.
– Em primeiro lugar, você dominou um dos golpes mais difíceis do judô; em segundo lugar a única defesa conhecida para esse movimento é o seu oponente agarrar seu braço esquerdo.
Assim, a maior fraqueza do menino tinha se transformado em sua maior força.
Com esta lição, percebemos que nós também podemos usar nossas “fraquezas” para que se transformem em nossa força.
Conheça-se melhor e descubra quanta transformação poderá fazer.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Às vezes o caminhar é lento

Quando plantamos uma roseira, notamos que ela fica dormindo muito tempo no seio da terra, mas ninguém ousa criticá-la, dizendo:
“Você não tem raízes profundas” ou “falta entusiasmo na sua relação com o campo”.
Ao contrário, nós a tratamos com paciência, água e adubo. Quando a semente se transforma em muda, não passa pela cabeça de ninguém condená-la como frágil, imatura, incapaz de nos brindar imediatamente com as rosas que estamos esperando.
Ao contrário: nos maravilhamos com o processo do nascimento das folhas seguido dos botões, e, no dia em que as flores aparecem, nosso coração se enche de alegria.
Entretanto, a rosa é a rosa desde o momento em que nasce até seu período de esplendor, e termina murchando e morrendo. A cada estágio que atravessa, semente, broto, botão, flor, expressa o melhor de si.
Também nós, em nosso crescimento e constante mutação, passamos por vários estágios: vamos aprender a reconhecê-los, antes de criticar a lentidão de nossas mudanças.
Às vezes o caminhar é lento, mas o importante é não parar. Mesmo um pequeno progresso é um avanço na direção certa. E qualquer um é capaz de fazer um pequeno progresso.
Se você não pode conquistar algo importante hoje, conquiste algo menor. Pequenos riachos se transformam em rios poderosos. Continue em frente.
O que de manhã parecia fora do alcance, pode ficar mais próximo à tarde se você continuar em frente. O tempo que usar trabalhando com paixão e intensidade aproximará você do seu objetivo.
É bem mais difícil começar de novo se você parar completamente. Então, continue em frente.
Não desperdice a chance que você mesmo criou. Existe algo que pode ser feito agora mesmo, ainda hoje. Pode não ser muito, mas fará com que você continue no jogo. Caminhe rápido enquanto puder. Caminhe lentamente quando for preciso. Mas, seja o que for, continue andando.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Pegue a sua pá

Não se espante com os problemas, nem se deixe levar pela maré; o que hoje parece ser o fim, pode ser recomeço;
pode indicar um novo caminho, mesmo entre pilhas de destroços; como os japoneses depois da bomba atômica, encolhidos entre o sentar e chorar pelos mortos, ou pegar uma pá e reconstruir.

Talvez a sua vida pareça destruída por uma bomba, talvez você também esteja se sentindo encolhido, pequenininho entre as dores dos escombros, e o que sobrou de você é muito pouco…
Mas eu lhe garanto que o dia se abre em POSSIBILIDADES e que depende da sua decisão entre sentar e chorar ou pegar uma pá e reconstruir, remover os cacos e com os pedaços que se espalharam: construir.