domingo, 31 de julho de 2016

Os contrastes


              A vida é feita de contrastes, tipo imagem no espelho  onde vemos tudo ao contrário: quem mais amamos não nos ama, e quem nem imaginamos suspira por nós.

Sonhamos com um curso e fazemos outro, queremos uma viagem e ela nunca acontece, criamos quadros de felicidade, que desmoronam sozinhos com a dura realidade,  e nos perguntamos sempre: por quê?

Nem sempre encontramos o mar que desejamos, se queremos navegar, queremos o mar sereno, se queremos surfar, rezamos pelas ondas altas, e se vamos pescar, preferimos calmaria, como agradar tanta gente e tantos sonhos?

Através dos contrastes, a vida vai ensinando, que até o ódio é uma forma contrária de amar, que a nossa tristeza é sempre passageira, que à alegria sim, é a nossa companheira, e que se um sonho é destruído,  outro deve ser colocado em seu lugar

Por tantos contrastes, podemos dizer: "aprendemos com a dor a valorizar ainda mais, as conquistas que a vida proporciona, com fé, esperança e amor."

sábado, 30 de julho de 2016

A escada



Minha amiga Mildred fazia progresso, recuperando-se lentamente de um derrame cerebral. Ela ainda lutava para sentar-se  direito e para falar.

A cada vez em que eu a visitei no asilo, as linhas de frustração  em seu rosto estavam um pouco mais profundas.  A frase que ela mais pronunciava era,

- Por que?

E nada que eu dissesse trazia-lhe conforto.
Lutei também.  Em minhas orações eu pedi,
- Senhor, como posso ajudar?


Certa noite me despedi de Mildred e fui jantar com minha mãe.  Fui ao banheiro lavar as mãos e notei algo peculiar: uma longa faixa de papel higiênico cobria boa parte da bacia da pia.
- Mãe, o que este papel está fazendo aqui? Perguntei.
- Havia uma aranha na pia. Ela deslizava toda vez que tentava sair e eu quis ajudá-la, então eu fiz uma escada.
Minha mãe respondeu.

- Acho que funcionou. Ela não está mais aqui. Respondi.

Retirei a "escada," pensando em minha amiga Mildred.  Ela estava presa também, e eu já tinha trabalhado muito tentando levanta-la. Talvez o que ela precisasse fosse mais como o que minha mãe tinha oferecido à aranha.

Em minha visita seguinte, Mildred outra vez perguntou,

- Por que?

Eu não tentei achar uma razão. Eu peguei em sua mão e, no silêncio, eu vi como a amizade pode ser uma escada. Palavras ou explicações deixaram de ser necessárias, apenas a simples confiança da amizade e minha amiga Mildred percebeu  que não encararia sua luta sozinha.

Não deixe quem você ama, encarar uma luta como essa sozinha...que a amizade pura seja a escada que lhe trará uma alegria para toda vida...

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Mantenha o seu garfo

    
Havia uma jovem mulher que tinha uma doença terminal e lhe foi previsto apenas mais três meses de vida. Desta forma, ela começou a colocar suas coisas "em ordem".

Passado algum tempo, ligou para um amigo e pediu que viesse à sua casa para discutirem determinados aspectos de seus últimos desejos.

Conversaram sobre vários pontos e ela lhe disse sobre todas as suas vontades relacionadas ao serviço funerário. Tudo estava em ordem e o amigo preparava-se para sair quando a mulher lembrou-se de algo muito importante para ela.

- Tem mais uma coisa! Disse excitada
- Do que se trata? Perguntou o amigo.

- Isto é muito importante. - a mulher continuou
- Eu quero ser enterrada com um garfo em minha mão direita. O amigo ficou olhando a mulher sem saber o que dizer. - Isto é uma surpresa para você, não é?
A jovem mulher perguntou.
- Bem, para ser honesto, estou confuso com este seu pedido. Respondeu o amigo.

A mulher então explicou.

- Quando eu era criança e visitava minha avó, quando no jantar os pratos começavam a ser recolhidos, minha vó inclinava-se em minha direção e cochichava em meu ouvido: "Mantenha o seu garfo". Era minha parte favorita porque eu sabia que algo melhor estava por vir... como o bolo de chocolate ou a torta de maçã.  Algo sempre maravilhoso, e com substância!

- Assim, eu apenas quero que as pessoas me vejam lá no caixão com um garfo em minha mão e então perguntarão "para que é o garfo?". Então quero que lhes diga:

"ela mantém seu garfo porque o melhor está por vir".


quinta-feira, 28 de julho de 2016

O Radialista


Um companheiro amargurado por desgostos no cotidiano, certa feita, através de emissora interiorana, ouviu  a voz empolgante de um professor... De três e três dias, ei-lo postado junto ao receptor, a fim de registrar os conceitos do orientador distante.

Tão admirado se viu com as respostas com que o prestimoso amigo reconfortava e instruía aos ouvintes, que lhe dirigiu a primeira carta, solicitando-lhe auxílio para sanar as inquietações de que se reconhecia objeto.

Entusiasmado com os apontamentos que obtinha pelo sem fio, confiou-se à copiosa correspondência, na qual expunha ao mentor, rogando-lhe as opiniões que chegavam sempre sinceras e sensatas. Aquele homem, cujas palavras de paz e compreensão se espalhavam pelo rádio, devia conhecer as mais intrincadas questões humanas.

Para quaisquer indagações, expedia a resposta exata e tanto adentro na faixa dos pensamentos novos que lhe eram endereçados que o amigo, dantes fatigado e pessimista, observou-se curado da angústia crônica que o possuía.

Renovado e feliz, deliberou exteriorizar a gratidão que lhe vibrava nos recessos do ser, procurando abraçar o benfeitor pessoalmente. Combinaram dia e hora para o encontro e o beneficiado despendeu oito horas, em automóvel, varando estradas difíceis, de modo a reverenciar o professor que lhe reabilitara as forças para a vida.

Só então, depois de atingir a cidade para a qual de dirigia, entre consternação e júbilo, conseguiu avistá-lo, verificando por fim, que o distinto radialista, que lhe devolvera a alegria de viver e trabalhar, era paralítico e cego.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Dentro de Você


 E se eu te disser que dentro de você mora um anjo que se reveste de luz para fazer novos  amigos? E se eu te disser que dentro de você existe uma paz infinita que o torna tão amigo e querido? E se eu te disser que dentro de você existe luz e que essa luz apaga a inveja, a discordância e a guerra?

E se eu te disser que dentro de você existe um cupido que espalha amor e que flecha os corações? E se eu te disser que és iluminada pelas estrelas e teus olhos parecem reflexo dessa luz?

E se eu te disser que tu és divinamente concebido e tens dentro de si tudo o que precisas para viver?
E se eu te disser que dentro de você existe uma fera que sabe lutar e defender os seus?

E se eu te disser que dentro de você habita uma chama que é capaz de incendiar uma cidade?
E se eu te disser que dentro de você mora um inventor capaz de criar mil maneiras de fazer a mesma coisa? E se eu te disser que dentro de você existe um construtor que é capaz de criar novos caminhos?

E se eu te disser que dentro de você existe um elo de corrente que te liga ao sobrenatural tão facilmente? E se eu te disser que você possui a chave da alegria que não acaba, dos sonhos que se realizam, dos amigos que nunca se esquecem, da saudade gostosa, do desejo que realiza, do orgasmo da vida?

Você é a própria luz, acredite nisso e brilhe, por amor a você e a quem te criou. Construa, viva, conquiste, não aceite as derrotas, o “não”! O impossível é apenas uma força te convidando para realizar.

Acredite, dentro de você existe um universo em permanente construção. “O otimismo é a verdadeira expressão da fé, e a alegria, a materialização da certeza.”