terça-feira, 3 de março de 2015

Eu tenho um sonho


Aprendemos a voar como pássaros e a nadar como peixes, mas não aprendemos a conviver como irmãos.

A verdadeira medida de um homem não é como ele se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas como ele se mantém em tempos de controvérsia e desafio.

Sonho com o dia em que a justiça correrá como a água e a retidão, como um caudaloso rio.

Eu tenho um sonho de que um dia meus quatro filhos vivam em uma nação onde não sejam julgados pela cor de sua pele, mas pelo seu caráter.

Nossa geração não lamenta tanto os crimes dos perversos quanto o estarrecedor silêncio dos bondosos.

É melhor tentar e falhar que ocupar-se em ver a vida passar. É melhor tentar, ainda que em vão, que nada fazer.

Eu prefiro caminhar na chuva a, em dias tristes, me esconder em casa. Prefiro ser feliz, embora louco, a viver em conformidade.

Mesmo as noites totalmente sem estrelas podem anunciar a aurora de uma grande realização.

Mesmo se eu soubesse que amanhã o mundo se partiria em pedaços, eu ainda plantaria a minha macieira.

O ódio paralisa a vida; o amor a desata. O ódio confunde a vida; o amor a harmoniza. O ódio escurece a vida; o amor a ilumina. O amor é a única força capaz de transformar um inimigo num amigo.

O perdão é um catalisador que cria a ambiência necessária para uma nova partida, para um reinício.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Vírus mentais

 As pessoas andam muito preocupadas com os vírus em seus programas de  computador, mas se esquecem que há certos tipos de pensamentos  automáticos que provocam verdadeiras panes em suas próprias mentes. Passe  agora um antivírus em seu cérebro! Se detectar algum desses vírus, delete-o  imediatamente:

Vírus 1  - Pensamento sempre/nunca: esse vírus ocorre quando você pensa que  alguma coisa que aconteceu vai sempre se repetir, ou que você nunca vai  conseguir o que quer. Variantes do vírus: ele sempre me diminui, ninguém vai
telefonar pra mim, eu nunca vou conseguir um aumento, todo mundo se  aproveita de mim, meus filhos nunca me ouvem. Quando você perceber este  vírus, delete-o usando os programas da sua consciência.

Vírus 2 - Vírus do negativismo: corre quando seus pensamentos refletem  apenas o lado ruim de uma situação e ignoram qualquer parte boa. Delete-o  com o programa otimismo.

Vírus 3 - Vírus de prever o futuro: esse terrível vírus ocorre quando você prevê  o pior resultado possível de uma situação. Ele provoca um colapso em suas  iniciativas, fazendo-o desistir antes de tentar. O antivírus para este é cair na  real. Afinal, se você pudesse prever o futuro, seria um bilionário da loteria  agora.

Vírus 4 - Vírus de leitura das mentes: este vírus está agindo sempre que você  acha que sabe o que as pessoas estão pensando, mesmo que elas não lhe  tenham dito nada. O antivírus é lembrar que já é meio difícil ler a própria mente,  quanto mais a dos outros.

Vírus 5 - Vírus pensar com sensações: estes vírus em geral te infectaram em  alguma situação desagradável no passado. Agora, situações semelhantes vão  provocar pensamentos negativos: "eu tenho a sensação que isso não vai dar  certo" - simplesmente delete o bicho!

Vírus 6 - Vírus da culpa: substitua palavras como eu deveria, eu preciso, eu  poderia, eu tenho que... por eu quero, eu vou, eu posso fazer assim... Não fique  centrado no passado. Use o "antivírus momento presente".

Vírus 7 - Vírus rotulação: sempre que esse vírus coloca um rótulo em você  mesmo ou em outra pessoa, ele detém a sua capacidade de ter uma visão clara  da situação: variantes - tonto, frígida, arrogante, irresponsável e mais de um  milhão de rótulos auto-instaláveis. O rótulo generaliza, transformando a realidade das pessoas em imagens virtuais de sua imaginação infectada. O  melhor anti vírus pra ele é o "ampliação da consciência.exe".

Vírus 8 - Vírus da personalização: esse faz você levar tudo pro lado pessoal.  Exemplo: quando alguém passa por você de cara amarrada e não te  cumprimenta, o vírus faz crer que a pessoa certamente está com raiva de você.  A "expansão da consciência ex" deleta muito bem este tipo de vírus.

Vírus 9 - Vírus culpar os outros sempre: é o pior de todos os vírus do  pensamento! Ao culpar automaticamente os outros pelos problemas da sua  vida, este vírus o torna impotente para responsabilizar-se pelo próprio destino. Incapaz de mudar qualquer coisa.

Use o "antivírus da auto-estima" e pare de  projetar nos outros as suas próprias culpas.

domingo, 1 de março de 2015

Ação e Reação

 Uma mendiga costumava dizer a seus benfeitores: "Tudo o que fazemos, fazemos para nós mesmos!" Um Nobre que a ajudava ficou enraivecido por esse comentário e quis ensinar-lhe uma lição.

Preparou um bolo e dentro colocou um poderoso laxante. Ofertou então a mendiga o tal bolo recém-saído do forno. Mas, em vez de provar do bolo de imediato, a mendiga guardou-o para a refeição do dia seguinte.

No dia seguinte, enquanto caçava, o filho do nobre se perdeu na floresta e foi dar onde morava a mendiga. A mulher reconheceu o rapaz e querendo lhe ser hospitaleira ofereceu o bolo que o próprio pai havia ofertado no dia anterior. O rapaz aceitou e de imediato sentiu-se mal.

Quando o nobre soube o que acontecera, reconheceu: "Tudo o que fazemos, fazemos para nós mesmos!"

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Amor e justiça

Houve, séculos atrás, uma tribo cujo chefe era tido como superior aos chefes de todas as demais tribos.

Naquela época, a superioridade era medida pela força física.
Assim, a tribo mais poderosa era a que tinha o chefe mais forte.
Mas o chefe de que estamos falando não tinha somente força física. Ele era também conhecido por sua sabedoria.

Desejando que o povo vivesse em segurança, ele criou leis abrangendo todos os aspectos da vida tribal. Eram leis severas que ele, como juiz imparcial, fazia cumprir com rigor.

Certa feita, problemas começaram acontecer na tribo. Alguém estava cometendo pequenos furtos.
O chefe reuniu a tribo e com tristeza no olhar, frisou que as leis tinham sido feitas para os proteger, para os ajudar.

Como todos tinham o de que necessitavam para viver, não havia necessidade de ocorrerem furtos. Assim, ele estabeleceu que o responsável teria o castigo habitual aumentado de 10 para 20 chibatadas.
Os furtos, entretanto, continuaram. Ele voltou a reunir o grupo e aumentou o castigo para 30 chibatadas.

Mas os furtos não cessaram.
Suplicando o chefe pediu:
- Por favor, estou suplicando. Para o bem de vocês, os furtos precisam parar. Eles estão causando sofrimento entre nós.
E aumentou o castigo para 40 chibatadas.

Naquele dia, os que estavam próximos dele, viram que uma lágrima escorreu pela sua face, quando ele dispersou o grupo.
Finalmente, um homem veio dizer que tinha identificado o autor dos furtos.

A notícia se espalhou e todos se reuniram para ver quem era.
Um murmúrio de espanto percorreu a pequena multidão, quando a pessoa foi trazida por dois guardas. A face do chefe empalideceu de susto e sofrimento.

Era sua mãe. Uma senhora idosa e frágil.
"E agora?" Pensou o povo em voz alta. Todos começaram a se questionar se o chefe seria, ainda assim, imparcial. Será que ele faria cumprir a lei? Seria o amor por sua mãe capaz de o impedir de cumprir o que ele mesmo estabelecera?

Notava-se a luta íntima do chefe que, por fim, falou:
- Meu amado povo. Faço isso pela nossa segurança e pela nossa paz. As 40 chibatadas devem ser aplicadas, porque o sofrimento que este delito nos causou foi grande demais.

Acenou com a cabeça e os guardas fizeram sua mãe dar um passo à frente.
Um deles retirou o manto dela, deixando à mostra as costas ossudas e arqueadas. O carrasco, armado de chicote, se aproximou e começou a desenrolar o seu instrumento de punição.

Nesse momento, o chefe deu um passo à frente. Retirou o seu manto e todos puderam ver seus ombros largos, bronzeados e firmes.
Com muito carinho, ele passou os braços ao redor de sua querida mãe, protegendo-a, por inteiro, com o próprio corpo.

Ele encostou o seu rosto ao da mãe e misturou as suas com as lágrimas dela.
Murmurou-lhe algo ao ouvido e então, fez um sinal afirmativo para o encarregado.

O homem se aproximou e desferiu, nos ombros fortes e vigorosos do chefe da tribo uma chibatada, após outra, até completar exatamente 40.

Foi um momento inesquecível para toda a tribo que aprendeu, naquele dia, como se podem harmonizar com perfeição, o amor e a justiça.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

O "eu" que os outros vêem

Você podem vislumbrar sua auto-imagem olhando as pessoas que o cercam. Todos nós travamos relacionamentos com pessoas que nos tratam da maneira como acreditamos que merecemos ser tratados. Pessoas com uma auto-imagem saudável exigem respeito daqueles que as cercam. Elas tratam bem a si mesmas, estabelecendo um exemplo do modo como os outros devem tratá-las.

Se você tem uma auto-imagem ruim, irá se confrontar com todos os tipos de maus tratos e aborrecimentos vindos de praticamente todo o mundo. As pessoas nos tratam do modo como nos tratamos. Aqueles com quem nos relacionamos percebem rapidamente o quanto respeitamos a nós mesmos. Se há respeito próprio, todos seguem fazendo o mesmo, respeitando-nos!

Quando estamos nos sentindo mal a nosso próprio respeito, por exemplo, tendemos a descontar a insatisfação em nós mesmos. Isso pode se manifestar de várias maneiras, tais como surtos de comilança de “besteiras”, acidentes, doenças, privação de comida, etc... O fato é que o modo como nos tratamos é um reflexo do quanto estamos gostando de nós mesmo em um determinado momento.

Uma auto-imagem ruim diz: “Eu mereço”. E isso leva a pessoa a sabotar subconscientemente a própria felicidade. Por isso, é de máxima importância que você faça tudo o que estiver ao seu alcance para manter pensamentos positivos em sua mente. Isso irá assegurar que você se mantenha feliz como pessoa.

E para você melhorar o modo como se sente em relação a seu próprio respeito: aceite elogios, elogie, fale bem de si mesmo, valorize-se, trate bem do seu corpo, faça com que as pessoas saibam como você deseja ser tratado, cerque-se de boas pessoas, use afirmações positivas e tenha sempre em mente a imagem daquilo que você deseja ser e não daquilo que você é.

Em poucas palavras: ame-se! E lembre-se sempre disso: você merece amor e respeito pelo simples fato de você ser você!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Terremotos

Dizem que, passado o terremoto de Lisboa (1755), o Rei perguntou ao General o que se havia de fazer. Ele respondeu ao Rei: “Sepultar os mortos, cuidar dos vivos e fechar os portos”.

Essa resposta simples, franca e direta tem muito a nos ensinar.

Muitas vezes temos, em nossa vida, “terremotos” avassaladores como o de Lisboa no século XVIII. A catástrofe é tão grande que muitas vezes perdemos a capacidade de raciocinar de forma simples, objetiva.

Todos nós estamos sujeitos a “terremotos” na vida. O que fazer?

Exatamente o que disse o General: “Sepultar os mortos, cuidar dos vivos e fechar os portos”. E o que isso quer dizer para a nossa vida? Sepultar os mortos significa que não adianta ficar reclamando e chorando o passado. É preciso “sepultar” o passado. Colocá-lo debaixo da terra. Isso significa “esquecer” o passado. Enterrar os mortos.

Cuidar dos vivos significa que depois de enterrar o passado, em seguida temos que cuidar do presente. Cuidar do que ficou vivo. Cuidar do que sobrou. Cuidar do que realmente existe. Fazer o que tiver que ser feito para salvar o que restou do terremoto.

Fechar os portos significa não deixar as “portas” abertas para que novos problemas possam surgir ou “vir de fora” enquanto estamos cuidando dos vivos e salvando o que restou do terremoto de nossa vida. Significa manter o foco no “cuidar dos vivos”. Significa concentrar-se na reconstrução, no novo.

É assim que a história nos ensina. Por isso a história é “a mestra da vida”. Portanto, quando você enfrentar um terremoto, não se esqueça: enterre os mortos, cuide dos vivos e feche os portos.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Afiando o seu humor


O senso de humor está ligado à habilidade de brincar e é indispensável para qualquer tipo de pensamento criativo. Para afiar seu sendo de humor você tem de se permitir brincar.

Por exemplo: você considera o trabalho uma punição ou acha que o tipo ideal de trabalho é aquele que é divertido? Você acha que os problemas existem para arruinar a nossa existência ou para estimular a nossa imaginação?

Quanta importância você dá à criatividade e à diversão em sua vida? Uma coisa é certa: humor faz as pessoas rir ou, ao menos, sorrir. Você pode rir sozinho, e também fazer os outros rir...

Rir é tão contagiante quanto o tédio ou a tristeza. É impossível você usar seu senso de humor se não rir regularmente.

Rir exige a contração de dois ou mais grupos musculares da face... Se você ri raramente, esses músculos podem atrofiar e você acabar tendo uma carranca permanente...

Portanto, faça regularmente alguns exercícios que utilizem todos os músculos faciais; caretas, por exemplo. Isso colocará um sorriso em sua face e irá ajudá-lo a se manter jovem.

Mas, você pode fazer melhor ainda: saia e aproveite todas as situações que puder... para rir.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Assuma mais riscos

Você deve cultivar a mentalidade de uma pessoa para quem assumir riscos é natural e que vai continuar tentando alcançar o que quer, aquilo que sonha, até conseguir.

Você deve ser alguém que não vai se conformar em ter um pássaro na mão, se esse não for o pássaro certo. Deixe que os outros aceitem o que não querem por achar cômodo, porque não têm coragem e desistem diante da primeira dificuldade.

As pessoas, na sua maioria, preferem permanecer em sua zona de conforto, onde acham que estão em segurança, mesmo que isso signifique nunca realizar seus sonhos.

Zona de conforto é aquela que as pessoas conhecem bem e na qual se sentem perfeitamente à vontade.

É um lugar seguro, previsível e facilmente administrado. E são muitos os que voltam a refugiar-se nela assim que põem o pé para fora, porque não suportam o desconforto. Assim, desistem de ir atrás das possibilidades e de aproveitar as oportunidades que o lado de fora oferece.

Querer sentir-se confortável, numa área perfeitamente conhecida, é o grande inimigo do ímpeto, algo que seduz a pessoa com uma falsa sensação de bem-estar, mas que a mantém abrigada do estresse, da pressão, do medo de tentar e falhar. Mas, para os que tomam coragem para sair de sua zona de conforto, as recompensas são enormes.

Um bom exemplo é o ator Brian Blessed que, em 1990, aos 58 anos, escalou o Everest sozinho e tornou-se o homem mais velho a alcançar a altura de 8 mil e 400 metros. Realizou um sonho que tinha desde os 14 anos e não parou mais.

Depois disso, chegou ao topo do Everest por outras duas vezes, escalou o Kilimanjaro, o Aconcágua, no Chile, e o Roraima, na Venezuela. O que ele costuma dizer quando alguém o taxa de louco: “Todos nós temos nosso Everest para escalar.

Só é preciso tentar. Se eu não tivesse pelo menos tentado, nunca conseguiria. Penso que o maior perigo na vida é não arriscar”.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

O outono

O outono se faz presente entre nós.
A brisa de outono acaricia-nos com o rolar das folhas amarelecidas pelo caminho.
Caem com a permissão do Pai, mas movidas pela ordem e disciplina do tempo, organizando a natureza. 
Assim é a vida em seus ciclos naturais.
É tempo de recolher-se, de interiorizar-se.
A estação gesta de luz seus frutos, amadurecendo os frutos de outono.

Os ciclos naturais da vida aqui na terra, cobrem-se da Luz do Pai, que nutre, orienta e que por si só contém a beleza própria de cada idade.
Colhemos os frutos no outono do viver . . .

Cabe a cada um a preocupação com as boas sementes.
Que o plantio seja abundante, repleto de bondade, paz, amor, para que a colheita, que é obrigatória, seja farta, plena, repleta das bem-aventuranças e felicidade, que preenchem e inundem o coração, tanto no ato de semear com amor, como no ato do colher.

Cada ciclo é importante.
Não sejamos pródigos com o tempo.
Não deixemos passar as estações aleatoriamente, ociosamente . . .
A qualidade do fruto é importante para a colheita.

Quando o Pai, na sua infinita bondade, colocou as sementes em nosso coração depositou-as para que nós as fertilizássemos e as frutificássemos, aliadas à Luz e ao solo fértil.

Raramente dá frutos amargos uma plantação doce.
Plante sementes de otimismo, de bondade, de alegria, de Paz e de serenidade nos corações humanos.

Por onde passar, plante.
O terreno é fértil em cada coração.
Cada coração espera.
Renove as sementes.

Plante Amor . . .
Deixe seu rastro de amor e de luz por onde passar.
Nesta época de outono, do ciclo natural das estações do planeta, as pessoas estão carentes de um gesto de carinho, de um sorriso, de palavras doces, de compreensão.

Ajude a todos na semeadura, com seu exemplo fraterno.
Ao Pai cabe a seleção e o julgamento das boas sementes . . .
Somos hoje, nesta estação da eternidade, o produto das semeaduras passadas.

É hora de Plantar . . .
Aproveite!

Que seus frutos sejam saborosos, doces, suaves, para que todos possam se beneficiar, para que não os saboreie sozinho.

A Seara do Pai é de uma vastidão incomensurável, à espera de mãos fortes e corações nobres.

A Alegria é o bálsamo do coração, fruto da alma, do espírito . . .

O outono se faz presente entre nós.
A brisa de outono acaricia-nos com o rolar das folhas amarelecidas pelo caminho.
Caem com a permissão do Pai, mas movidas pela ordem e disciplina do tempo, organizando a natureza.

Assim é a vida em seus ciclos naturais.
É tempo de recolher-se, de interiorizar-se.
A estação gesta de luz seus frutos, amadurecendo os frutos de outono.

Os ciclos naturais da vida aqui na terra, cobrem-se da Luz do Pai, que nutre, orienta e que por si só contém a beleza própria de cada idade.
Colhemos os frutos no outono do viver . . .

Cabe a cada um a preocupação com as boas sementes.
Que o plantio seja abundante, repleto de bondade, paz, amor, para que a colheita, que é obrigatória, seja farta, plena, repleta das bem-aventuranças e felicidade, que preenchem e inundem o coração, tanto no ato de semear com amor, como no ato do colher.

Cada ciclo é importante.
Não sejamos pródigos com o tempo.
Não deixemos passar as estações aleatoriamente, ociosamente . . .
A qualidade do fruto é importante para a colheita.

Quando o Pai, na sua infinita bondade, colocou as sementes em nosso coração depositou-as para que nós as fertilizássemos e as frutificássemos, aliadas à Luz e ao solo fértil.

Raramente dá frutos amargos uma plantação doce.
Plante sementes de otimismo, de bondade, de alegria, de Paz e de serenidade nos corações humanos.

Por onde passar, plante.
O terreno é fértil em cada coração.
Cada coração espera.
Renove as sementes.

Plante Amor . . .
Deixe seu rastro de amor e de luz por onde passar.
Nesta época de outono, do ciclo natural das estações do planeta, as pessoas estão carentes de um gesto de carinho, de um sorriso, de palavras doces, de compreensão.

Ajude a todos na semeadura, com seu exemplo fraterno.
Ao Pai cabe a seleção e o julgamento das boas sementes . . .
Somos hoje, nesta estação da eternidade, o produto das semeaduras passadas.

É hora de Plantar . . .
Aproveite!

Que seus frutos sejam saborosos, doces, suaves, para que todos possam se beneficiar, para que não os saboreie sozinho.

A Seara do Pai é de uma vastidão incomensurável, à espera de mãos fortes e corações nobres.

A Alegria é o bálsamo do coração, fruto da alma, do espírito . . .

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Perceba

Perceba que mais um dia começou e, que bom, ele é todo seu. Perceba que  você tem o tempo em suas mãos e, mesmo quando atolado em problemas,  a vida espera que você tome as decisões para seguir em frente.

Perceba que se você ficar deitado, com medo da vida, com medo até do ar  que respira, tudo ao seu redor vai parar. Perceba que você é o capitão de  um navio cuja rota e destino dependem de suas atitudes.

Perceba que culpar a situação, a crise e as pessoas é a nossa primeira reação de  defesa quando sentimos que perdemos o comando do nosso navio, e que  para retomar o timão é preciso coragem para assumir as próprias  fraquezas, é preciso determinação para seguir na direção certa,  determinada por você.

Perceba que a vida o presenteou com inúmeros recursos, como a inteligência e a capacidade de comunicação. Se você usufrui destes  recursos, já tem tudo isso e ainda sabe que é um ser privilegiado, então não falta nada, só falta rumo e determinação.

Perceba que todas as pessoas possuem qualidades e defeitos. Sem  respeitar o ser humano que luta ao seu lado por dias melhores, o seu navio  encalha e atrapalha os outros que estão chegando.

Perceba que a felicidade talvez já não seja mais um porto distante, mas um  ponto no horizonte.