sábado, 19 de abril de 2014


Seja Diferente e Faça a Diferença

Quanto maior a escuridão ao seu redor, mais necessária será sua luz interior. Sempre que você estiver entre pessoas zangadas, ressentidas, desanimadas ou cínicas, é quando você pode fazer a grande diferença e se manter positivamente centrado.

Claro que não é fácil. Com freqüência reagimos à negatividade sendo negativos também. Com isso, conseguimos apenas piorar a situação.

Mas você tem a opção de não reagir. Você tem a opção de seguir seu próprio curso. Só porque as pessoas ao seu redor agem negativamente, não significa que você também deva agir dessa forma.

Quando todos ao seu redor estiverem frustrados e impacientes, esforce-se ao máximo para manter a calma e a compostura.

Quando todos ao seu redor estiverem zangados, esforce-se para ser a voz da razão e da compaixão. Quando todos ao seu redor estiverem desanimados, ofereça  a esperança.

sexta-feira, 18 de abril de 2014


PARÁBOLA DA ROSA

Um certo homem plantou uma rosa e passou a regá-la constantemente e, antes que ela desabrochasse, ele a examinou.
Ele viu o botão que em breve desabrocharia, mas notou espinhos sobre o talo e pensou, Como pode uma bela flor vir de uma planta rodeada de espinhos tão afiados?
Entristecido por este pensamento, ele se recusou a regar a rosa, e, antes que estivesse pronta para desabrochar, ela morreu.

Assim é com muitas pessoas. Dentro de cada alma há uma rosa: as qualidades dadas por Deus e plantadas em nós crescendo em meio aos espinhos de nossas faltas. Muitos de nós olhamos para nós mesmos e vemos apenas os espinhos, os defeitos. Nós nos desesperamos, achando que nada de bom pode vir de nosso interior. Nós nos recusamos a regar o bem dentro de nós, e, consequentemente, isso morre. Nós nunca percebemos o nosso potencial. Algumas pessoas não vêem a rosa dentro delas mesmas; Alguém mais deve mostrá-la a elas. Um dos maiores dons que uma pessoa pode possuir ou compartilhar é ser capaz de passar pelos espinhos e encontrar a rosa dentro de outras pessoas. Esta é a característica do amor - olhar uma pessoa e conhecer suas verdadeiras faltas.
Aceitar aquela pessoa em sua vida, enquanto reconhece a beleza em sua alma e ajuda-a a perceber que ela pode superar suas aparentes imperfeições.
Se nós mostrarmos a essas pessoas a rosa, Elas superarão seus próprios espinhos. Só assim elas poderão desabrochar muitas e muitas vezes.

quinta-feira, 17 de abril de 2014


MEU QUERIDO BAMBU

Era uma vez um maravilhoso jardim, situado bem na frente de um campo. O dono costumava passear pelo jardim, ao sol do meio dia... um esbelto bambu era para ele a mais bela e estimada de todas as árvores e plantas de seu jardim. Este bambu crescia e se tornava cada vez mais lindo. Ele sabia que o seu Senhor o amava e que ele era sua alegria. Um dia, o dono pensativo aproximou-se de seu amado bambu. Num sentimento de profunda veneração, o bambu inclinou sua cabeça imponente. O Senhor disse ao bambu: " querido bambu, eu preciso de ti" - O bambu respondeu: "Senhor estou pronto ! Faz de mim o uso que quiseres." O bambu estava feliz, parecia ter chegado a grande hora de sua vida: o seu dono precisa dele e ele ia servi-lo.
Com voz grave o Senhor disse: " bambu, só poderei usar-te se te podar" - "podar? " podar a mim senhor, por favor não fale isso!, deixe a minha figura. Tu vês como todos me admiram !" - "Meu amado bambu" - a voz do senhor tornou-se mais grava ainda - " não importa que te admires ou não. Se eu não te podar não poderei usar-te".
No jardim tudo ficou silencioso, até o vento segurou a respiração... finalmente o lindo bambu se inclinou e sussurrou - "Senhor, se não me podes sem podar, então .... fazes comigo o que queres." O senhor respondeu: " Meu querido bambu, devo cortar as tuas folhas!" O sol escondeu-se atrás das nuvens... umas borboletas afastaram-se assustadas. O bambu trêmulo a meia voz, disse: " Senhor, corta-as..." - Disse o senhor novamente: " ainda não basta, meu querido bambu, devo também corta-te pelo meio e tomar-te também o coração. Se não fizer isto não poderei usar-te." - " Por favor, senhor", disse o bambu - " eu não poderei mais viver sem o coração!" - " Devo tirar-te o coração caso contrário não poderei usar-te."
Houve um profundo silêncio... alguns soluços de lágrimas abafadas... depois, o bambu inclinou-se até o chão e disse: " Senhor, poda, corta, parte, divide, me toma por inteiro e reparte". O senhor desfolhou-o e decepou-o, partiu e tirou-lhe o coração. Depois levou-o para o meio de um campo ressequido, junto a uma fonte onde brotava água fresca. Lá o senhor deitou-o cuidadosamente o seu querido bambu no chão. Ligou uma das extremidades do tronco decepado à fonte e a outra ele levou até o campo. A fonte cantou boas vindas ao bambu decepado. As águas cristalinas se precipitaram alegres pelo corpo do bambu e correram sobre o campo ressequido que por elas havia tanto suplicado. Ali plantou-se trigo, arroz, milho, feijão, ... Os dias se passaram, a sementeira brotou, cresceu, tudo ficou verde e veio a colheita.
Assim o tão maravilhoso bambu de outrora, em seu despojamento, em seu aniquilamento e humildade, transformou-se numa grande benção para toda aquela região. Quando ele era um grande e belo bambu, crescia somente para si e se alegrava com a sua beleza. No seu despojamento, aniquilamento e na sua entrega, ele se tornou o canal usado pelo senhor para tornar fecundas as suas terras.

E muitos, muitos homens e mulheres encontraram vida, viveram deste tronco de bambu, podado, cortado, decepado e partido.

Isto me faz lembrar que muitas vezes temos que morrer e nascermos de novo. E quando renascemos, renasce também uma vida melhor, renascem as esperanças e ganhamos um sentido mais bonito a nossa vida. Nem sempre ir ao fundo do poço significa derrota. A pior parte em perder uma luta e não saber levantar.

quarta-feira, 16 de abril de 2014


A velha casa

Um amigo foi visitar sua antiga casa que fora vendida. Com quase 70 anos, a casa tinha problemas que exigiam que muitas das paredes interiores fossem derrubadas para fazer reparos. Olhando  para aquela casa que já tinha sido tão bonita, hoje cheia de entulho de construção e grandes buracos nas paredes e pisos, fiquei imaginando:

- Quem iria querer uma propriedade com aparência tão feia?

A nova compradora chegou e começou a nos mostrar todas as coisas que ela planejava fazer em nossa velha casa. Pelo fato de ela restaurar casas como profissão, o que nos pareciam problemas  caros eram simples reparos para ela.

Além disso, como a casa viria a ser o seu lar, tinha-se tornado um projeto especial para ela - ao qual dedicaria todo o seu carinho e conhecimento.  O que enxergávamos como um fardo, ela recebia como uma aventura e um desafio.

Ao refletir sobre isso, comecei a fazer um paralelo espiritual.  Nossas vidas podem estar em mau estado, mas Deus, o especialista em restaurações, o Empreiteiro, trabalha pacientemente para nos restaurar para o serviço e honra no Reino.

Talvez pensemos que nunca poderemos ser recuperados enquanto, o tempo todo, Deus está apenas esperando pelo convite para nos restaurar, curar e abençoar.

terça-feira, 15 de abril de 2014