segunda-feira, 30 de novembro de 2009

A DECISÃO PELO REINO


44 ¶ Também o reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo, que um homem achou e escondeu; e, pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo.
45 Outrossim, o reino dos céus é semelhante ao homem, negociante, que busca boas pérolas;
46 E, encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo quanto tinha, e comprou-a

Abalando as estruturas de nossa consciência -



É muito fácil a gente cair na religião do mito

Nós somos capazes de seguir uma regra a partir do momento em que a conhecemos. O Deus que nós anunciamos não é uma ameaça.
Religião que só nos mostra a cruz é uma religião infértil, porque eu não sou filho do calvário, eu sou filho do Ressuscitado - e quem eu anuncio sempre é o Ressuscitado.
Se cada um de nós, hoje, tivesse a oportunidade de contar o que passamos, de escrever a nossa história, tudo o que tivemos de sofrimento e sangue, não teria editora suficiente para tantos livros. Todos nós passamos pelo “calvário”, mas você não pode ficar parado aí. Nesse calvário, você tem duas opções: ou esquece o peso da cruz ou olha que tem um Cirineu do seu lado. Nós queremos a ressurreição, mas não queremos o calvário.
É muito fácil a gente cair na religião do mito – Jesus já nos alertava o tempo todo para o culto dos ídolos – e a idolatria é um dos principais problemas religiosos no mundo. Esse é um risco que todos nós corremos, quando a nossa admiração por alguém, ou por uma pessoa se torna essencial, colocada acima, em termos de importância do que aquele que a pessoa anuncia.
Temos que viver uma religião que seja capaz de mexer com as estruturas da nossa consciência, a ponto de nos fazer acordar para tudo aquilo que não sabíamos que existia dentro de nós.
Já estávamos inconscientes e acostumados com o nosso jeito ciumento de amar, jeito ciumento de possuir as pessoas, achando que isso era amor. Eu já era desonesto nas pequenas coisas e já estava acostumado. Até que um dia uma palavra profética varou as estruturas da minha vida e me incomodou. Uma palavra profética tem o poder de fazer algo, de acordar os surdos e aqueles que estão dormindo e que já não escutam mais nada, num sono letárgico, ou até mesmo num cumprimento de rituais inférteis que já não servem de nada para a nossa salvação.
A religião que Jesus quer de nós é esta: que você fixe os olhos céu, que você busque o céu. É disso que Jesus fala: "Não venha me dizer o que você fazia antes, não me importa o que você fazia. O que faz diferença para mim é o quanto a minha Palavra conseguiu transformar o seu coração a ponto de transformá-lo numa pessoa melhor". A ponto de você olhar para trás e dizer: "Antes eu era assim, e pela força da Eucaristia, do Evangelho, do terço, eu mudei".
Você percebe que a sua vida não é mais a mesma, porque você mudou o seu jeito de pensar, modificou o seu jeito de ser.
Você acha que nós vamos ser santos sem sacrifício?
A dor sinaliza que alguma coisa precisa ser cuidada. Eu sei das minhas lutas, mas estou satisfeito, porque eu não me prendo àquilo que eu não posso, mas sim Àquele que me anima. A semente passa por todo um processo de crescimento, mas ela sabe que se não deixar de ser o que é, não atingirá seu objetivo.
Se eu não tivesse sofrido do jeito que eu sofri, se eu não tivesse amado do jeito que eu amei, eu não teria nada para contar a vocês. Não tem jeito de amar sem sofrer.
Não sinta vergonha de nada que viveu, porque depois que passou por aquele momento, você sabe o que você sofreu para chegar onde chegou. A dor é o preparo. A sua dor não pode ser em vão.
Pe.Fábio de Melo

Um apólogo



Era uma vez uma agulha, que disse a um novelo de linha:
- Por que está você com esse ar, toda cheia de si, toda enrolada, para fingir que vale alguma coisa neste mundo?
- Deixe-me, senhora.
- Que a deixe? Que a deixe, por quê? Porque lhe digo que está com um ar insuportável? Repito que sim, e falarei sempre que me der na cabeça.

- Que cabeça, senhora? A senhora não é alfinete, é agulha. Agulha não tem cabeça. Que lhe importa o meu ar? Cada qual tem o ar que Deus lhe deu. Importe-se com a sua vida e deixe a dos outros.
- Mas você é orgulhosa.
- Decerto que sou.
- Mas por quê?

- É boa! Porque coso. Então os vestidos e enfeites de nossa ama, quem é que os cose, senão eu?
- Você? Esta agora é melhor. Você é que os cose? Você ignora que quem os cose sou eu, e muito eu?
- Você fura o pano, nada mais; eu é que coso, prendo um pedaço ao outro, dou feição aos babados...
- Sim, mas que vale isso? Eu é que furo o pano, vou adiante, puxando por você, que vem atrás, obedecendo ao que eu faço e mando...
- Também os batedores vão adiante do imperador.
- Você é imperador?

- Não digo isso. Mas a verdade é que você faz um papel subalterno, indo adiante; vai só mostrando o caminho, vai fazendo o trabalho obscuro e ínfimo. Eu é que prendo, ligo, ajunto...

Estavam nisto, quando a costureira chegou à casa da baronesa. Não sei se disse que isto se passava em casa de uma baronesa, que tinha a modista ao pé de si, para não andar atrás dela. Chegou a costureira, pegou do pano, pegou da agulha, pegou
da linha, enfiou a linha na agulha, e entrou a coser. Uma e outra iam andando orgulhosas, pelo pano adiante, que era a melhor das sedas, entre os dedos da costureira, ágeis como os galgos de Diana - para dar a isto uma cor poética. E dizia a agulha:

- Então, senhora linha, ainda teima no que dizia há pouco? Não repara que esta distinta costureira só se importa comigo; eu é que vou aqui entre os dedos dela, unidinha a eles, furando abaixo e acima.

A linha não respondia nada; ia andando. Buraco aberto pela agulha era logo enchido por ela, silenciosa e ativa como quem sabe o que faz, e não está para ouvir palavras loucas. A agulha vendo que ela não lhe dava resposta, calou-se também, e foi andando. E era tudo silêncio na saleta de costura; não se ouvia mais que o plic-plic plic-plic da agulha no pano. Caindo o sol, a costureira dobrou a costura, para o dia seguinte; continuou ainda nesse e no outro, até que no quarto acabou a obra, e ficou esperando o baile.

Veio a noite do baile, e a baronesa vestiu-se. A costureira, que a ajudou a vestir-se, levava a agulha espetada no corpinho, para dar algum ponto necessário. E quando compunha o vestido da bela dama, e puxava a um lado ou outro, arregaçava daqui ou dali, alisando, abotoando, acolchetando, a linha, para mofar da agulha, perguntou-lhe:
- Ora agora, diga-me quem é que vai ao baile, no corpo da baronesa, fazendo parte do vestido e da elegância? Quem é que vai dançar com ministros e diplomatas, enquanto você volta para a caixinha da costureira, antes de ir para o balaio das mu
camas? Vamos, diga lá.

Parece que a agulha não disse nada; mas um alfinete, de cabeça grande e não menor experiência, murmurou à pobre agulha:
- Anda, aprende, tola. Cansas-te em abrir caminho para ela e ela é que vai gozar da vida, enquanto aí ficas na caixinha de costura. Faze como eu, que não abro caminho para ninguém. Onde me espetam, fico.

Contei esta história a um professor, que me disse, abanando a cabeça:
- Também eu tenho servido de agulha a muita linha ordinária!

Machado de Assis

domingo, 29 de novembro de 2009

A DINÂMICA DO REINO NA HISTÓRIA


MATEUS 13 (36-43)

36 Então, tendo despedido a multidão, foi Jesus para casa. E chegaram ao pé dele os seus discípulos, dizendo: Explica-nos a parábola do joio do campo.
37 E ele, respondendo, disse-lhes: O que semeia a boa semente, é o Filho do homem;
38 O campo é o mundo; e a boa semente são os filhos do reino; e o joio são os filhos do maligno;
39 O inimigo, que o semeou, é o diabo; e a ceifa é o fim do mundo; e os ceifeiros são os anjos.
40 Assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será na consumação deste mundo.
41 Mandará o Filho do homem os seus anjos, e eles colherão do seu reino tudo o que causa escândalo, e os que cometem iniqüidade.
42 E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes.
43 Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

RESISTA



Resista um pouco mais, mesmo que as feridas latejem e que a sua coragem esteja cochilando.

Resista mais um minuto e será fácil resistir aos demais.

Resista mais um instante, mesmo que a derrota seja um ímã... mesmo que a desilusão caminhe em sua direção.

Resista mais um pouco, mesmo que os invejosos digam para você parar... mesmo que sua esperança esteja no fim.

Resista mais um momento, mesmo que você não possa avistar ainda a linha de chegada... mesmo que as inseguranças brinquem de roda à sua volta.

Resista um pouco mais, mesmo que a sua vida esteja sendo pesada como a consciência dos insensatos, e você se sinta indefeso como um pássaro de asas quebradas.

Resista, porque o último instante da madrugada é sempre aquele que puxa a manhã pelo braço e essa manhã bonita, ensolarada, sem algemas nascerá para você em breve, desde que você resista.

Resista, porque estou torcendo ansioso para que você vença e ganhe de DEUS o troféu que você merece... A FELICIDADE que está em Seu filho, JESUS!
AUTOR DESCONHECIDO

Em Nome de Deus



Graças ao sentimento de fraternidade muitas pessoas têm se movimentado para amenizar o fardo das pessoas financeiramente carentes.

São criadas as associações de bairro, com intuito de somar esforços para minorar as lutas dos mais necessitados.

Existem também as Instituições filantrópicas de cunho religioso, as organizações não governamentais e outras tantas que se movimentam em prol dos semelhantes.

Isso demonstra que o ser humano está mais sensível aos sofrimentos alheios, e isto é um bom sinal.

Todavia, seria importante refletirmos um pouco em como estamos fazendo a caridade.

Sabemos que o necessitado é nosso irmão de caminhada. Mas, será que o estamos tratando como tal?

Será que não estamos jogando coisas como quem alimenta porcos?

O Cristo, exemplo máximo de caridade, jamais fez exigências às pessoas que atendia em nome de Deus, nem ficava à distância como se não quisesse contaminar-se.

Há pessoas que, embora revestidas de boas intenções, tornam ainda mais penoso o sofrimento daqueles a quem se propõem ajudar.

Dão a esmola com tanta soberba que ela queima a mão do necessitado como se fosse uma brasa incandescente.

Se oferecem uma alimentação ao "assistido", não se sentam com eles à mesa, não compartilham das mesmas louças e talheres, como se a pobreza fosse contagiosa.

Isto se torna mais grave quando aqueles que buscam fazer a caridade a fazem em nome de Deus.

Lamentavelmente, em algumas instituições religiosas a ajuda tem gosto de fel para quem dela necessita.

Exige-se que a pessoa professe a mesma religião do "caridoso", esquecendo-se dos exemplos do Homem de Nazaré, que prescreveu fazer o bem sem olhar a quem.

Jesus não perguntava às pessoas que Lhe buscavam o auxílio sobre qual era a sua crença, seus objetivos de vida, sua condição moral. Ele simplesmente ajudava.

É importante que repensemos o que temos feito em nome de uma assistência social.

É importante que a nossa caridade seja, antes de tudo, a caridade moral, como a ensinou o Cristo.

...............

Se você se propuser a ajudar alguém em nome de Deus, faça-o com afeto e fraternidade.

E, dentro do possível, busque converter a esmola em emprego, dando oportunidade de crescimento àqueles que estão em situação menos favorecida.

Manter os irmãos necessitados dependentes da nossa esmola, é falta de caridade e demonstração de egoísmo.

Fazer exigências descabidas a quem nos pede amparo, é ato de prepotência que Deus desaprova.

A caridade, para ser efetiva, deve ter o contributo do coração. Um abraço carinhoso, um aperto de mão, um gesto de carinho, um minuto de conversa.

O que Deus espera que façamos em Seu nome, é promover o ser humano e dar-lhe condições de viver com dignidade.

Fazer caridade em nome de Deus, portanto, é coisa muito séria pois se não tomarmos os devidos cuidados, afastaremos as criaturas do Criador ao invés de aproximá-las dEle.


Autor:
Equipe de Redação do Momento Espírita

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

JESUS REVELA O MISTÉRIO ESCONDIDO


MATEUS 13 (34-35)


34 Tudo isto disse Jesus, por parábolas à multidão, e nada lhes falava sem parábolas;
35 Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta, que disse: Abrirei em parábolas a minha boca; Publicarei coisas ocultas desde a fundação do mundo.

Colo


Pra dar colo é preciso pegar no colo? Nem sempre. Há pessoas que dão colo com as palavras, com o que elas carregam e transmitem. Elas reconfortam sem presença física, estando, apesar disso, presentes.
É possível se dar a alguém, ser importante, fazer importante, às vezes mesmo com um gesto aparentemente banal. Estamos atravessando uma era em que as pessoas se encontram muito mais profundamente que antes. Elas se acarinham, se amam, se sustentam, amenizam a solidão e ajudam a curar feridas e secar lágrimas.
Distância? Não existe! Não é bem assim, ela existe, mas não percebemos. Eu estou aqui e estou aí ao mesmo tempo, da mesma maneira como meus amigos estão em toda parte e dentro de mim. A gente só alcança o que está perto, não?
Jesus atravessou séculos e ainda hoje nos pega no colo, ainda hoje falamos com Ele, choramos o calvário e a crucificação. Ainda hoje nos sentimos amados e podemos seguir Seu exemplo.
Quando você quiser abraçar alguém, dar colo, reconfortar e que seus braços não alcançarem essa pessoa... dê um telefonema, escreva uma carta, envie um e-mail!... Seu carinho vai chegar da mesma forma, com o mesmo calor. Nunca duvide disso!...

Letícia Thompson

A DOR


O autor Leo Buscaglia foi certa vez convidado a ser jurado de um concurso numa escola, cujo tema era: "A criança que mais se preocupa com os outros".

O vencedor foi um menino cujo vizinho - um senhor de mais de oitenta anos - acabara de ficar viúvo. Ao notar o velhinho em seu quintal, em lágrimas, o garoto pulou a cerca, sentou-se no seu colo e ali ficou por muito tempo.

Quando voltou para sua casa, a mãe lhe perguntou o que dissera ao pobre homem.

- Nada - disse o menino - Ele tinha perdido a sua mulher; e isso deve ter doído muito. Eu fui apenas ajudá-lo a chorar.
AUTOR DESCONHECIDO

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

O REINO TRANSFORMA


MATEUS 13 (33 )
33 Outra parábola lhes disse: O reino dos céus é semelhante ao fermento, que uma mulher toma e introduz em três medidas de farinha, até que tudo esteja levedado.

O que é o amor?


Esta foi uma pesquisa feita por profissionais de educação e psicologia com um grupo de crianças de 4 a 8 anos.

As crianças são sábias... vamos aprender juntos???

As respostas são surpreendentes e emocionam:

"Amor é quando alguém te magoa, e você mesmo muito magoado, não grita porque sabe que isso fere seus sentimentos" - Mathew, 6 anos

"Quando minha avó pegou artrite, ela não podia se debruçar para pintar as unhas dos dedos do pé. Meu avô, desde então, pinta as unha para ela. Mesmo quando ele tem artrite" - Rebecca, 8 anos

"Eu sei que minha irmã mais velha me ama, porque ela me dá todas as suas roupas velhas e tem que sair para comprar outras" - Lauren, 4 anos

"Amor é como uma velhinha e um velhinho que ainda são muito amigos, mesmo conhecendo-se há muito tempo" - Tommy, 6 anos

"Quando alguém te ama, a forma de falar seu nome é diferente" - Billy, 4 anos

"Amor é quando você sai para comer e oferece suas batatinhas fritas, sem esperar que a outra pessoa te ofereça as batatinhas dela" - Chrissy, 6 anos

"Amor é quando minha mãe faz café para o meu pai e toma um gole antes, para ter certeza que está do gosto dele" - Danny, 6 anos

"Amor é o que está com a gente no natal, quando você pára de abrir os presentes e o escuta" - Bobby, 5 anos

"Se você quer aprender a amar melhor, você deve começar com um amigo que você não gosta. - Nikka 6 anos.

"Quando você fala para alguém algo ruim sobre você mesmo e sente medo que essa pessoa não venha a te amar por causa disso, aí você se surpreende, já que não só continuam te amando, como agora te amam mais ainda" - Samantha , 7 anos

"Há dois tipos de amor, o nosso amor e o amor de deus, mas o amor de deus junta os dois" - Jenny, 4 anos

"Amor é quando mamãe vê o papai suado e mal cheiroso e ainda fala que ele é mais bonito que o Robert Redford" - Chris, 8 anos

"Durante minha apresentação de piano, eu vi meu pai na platéia me acenando e sorrindo. Era a única pessoa fazendo isso e eu não senti medo" - Cindy, 8 anos

"Não deveríamos dizer eu te amo a não ser quando realmente o sintamos. e se sentimos, então deveríamos expressá-lo muitas vezes. As pessoas esquecem de dizê-lo" - Jéssica, 8 anos

"Amor é se abraçar, amor é se beijar, amor é dizer não" - Patty, 8 anos

"Amor é quando seu cachorro lambe sua cara, mesmo depois que você deixa ele sozinho o dia inteiro" - Mary Ann, 4 anos

"Deus poderia ter dito palavras mágicas para que os pregos caíssem do crucifixo, mas ele não disse isso. Isso é amor" - Max, 5 anos".

Para que você possa viver o amor não é preciso procurar muito, ele está nas pequenas coisas, apenas ame como as criança, e será muito feliz.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

A FORÇA DO REINO


MATEUS 13 (31-32)
31 Outra parábola lhes propôs, dizendo: O reino dos céus é semelhante ao grão de mostarda que o homem, pegando nele, semeou no seu campo;
32 O qual é, realmente, a menor de todas as sementes; mas, crescendo, é a maior das plantas, e faz-se uma árvore, de sorte que vêm as aves do céu, e se aninham nos seus ramos.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

O INIMIGO DO REINO


MATEUS 13 (24-30)

24 ¶ Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo;
25 Mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se.
26 E, quando a erva cresceu e frutificou, apareceu também o joio.
27 E os servos do pai de família, indo ter com ele, disseram-lhe: Senhor, não semeaste tu, no teu campo, boa semente? Por que tem, então, joio?
28 E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres pois que vamos arrancá-lo?
29 Ele, porém, lhes disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele.
30 Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro.

A viagem



Na véspera da viagem marcada, o motorista esmerou-se em preparar o carro.

Conduziu-o à oficina para reparos diversos.
Levou-o ao Posto para que fosse bem lavado.
Exigiu que se fizesse limpeza da faixa branca dos pneus.
Dirigiu-se ao elétro-técnico, para revisão do rádio, garantindo notícias e música durante a viagem.

Buscou pessoal competente para polimento da pintura e dos metais.
Foi ao tapeceiro, adquirindo nova e bela capa para o estofamento.

Finalmente, comprou um adorno para o interior do automóvel e aproveitou a ocasião para trocar o chaveiro.

No dia seguinte, quando havia percorrido apenas alguns quilômetros, o carro parou... por falta de combustível.

Nas devidas proporções, fato semelhante ocorre conosco. Passamos uma existência inteira reunindo valores superficiais. Pontificamos na moda e na elegância. Brilhamos nas rodas sociais. Conquistamos a influência e poder.

Entretanto, somente quando viajamos para a Vida Espiritual, descobrimos que o mais importante... foi esquecido.
Paulo César Tomiasi

As janelas douradas



O menino trabalhava duro o dia todo, no campo, no estábulo e no galpão, pois seus pais eram fazendeiros pobres e não podiam pagar um ajudante. Mas quando o sol se punha, seu pai deixava aquela hora só pra ele. O menino subia para o alto de um morro e ficava olhando para o outro morro, alguns quilômetros ao longe. Nesse morro distante, via uma casa com janelas de ouro brilhante e diamantes. As janelas brilhavam e reluziam tanto que ele piscava.

Mas, pouco depois, as pessoas da casa fechavam as janelas por fora, ao que parecia, e então a casa ficava igual a qualquer casa comum de fazenda.
O menino achava que faziam isso por ser hora do jantar; então voltava para casa, jantava seu pão com leite e ia se deitar.

Um dia, o pai do menino chamou-o e disse:
- Você tem sido um bom menino e ganhou um feriado. Tire esse dia para você, mas lembre-se de que Deus o deu, e tente usar para aprender alguma coisa boa.

O menino agradeceu ao pai e beijou a mãe. Guardou um pedaço de pão no bolso e partiu para encontrar a casa de janelas douradas.

Foi uma caminhada agradável. Os pés descalços deixavam marcas na poeira branca e, quando olhava para trás, parecia que as pegadas o estavam seguindo e fazendo companhia. A sombra também seguia ao seu lado, dançando e correndo como ele desejasse: estava muito divertido.

O tempo foi passando e ele ficou com fome. Sentou-se à beira de um riacho que corria atrás da cerca de amoeiro e comeu seu almoço, bebendo a água clara. Depois jogou os farelos para os passarinhos, como sua mãe ensinara, seguindo em frente.

Passando um longo tempo, chegou ao morro verde e alto. Quando subiu ao topo, lá estava a casa. Mas parecia que haviam fechado as janelas, pois ele não viu nada dourado. Chegou mais perto e aí quase chorou, porque as janelas eram de vidro comum, iguais a qualquer outra, sem nada de ouro nelas.

Uma mulher chegou à porta e olhou carinhosamente para o menino, perguntando o que ele queria.
- Eu vi as janelas de ouro lá do nosso morro - disse ele - e vim para vê-las, mas agora elas são só de vidro!

A mulher balançou a cabeça e riu.
- Nós somos pobres fazendeiros - disse -, e não iríamos ter janelas de ouro. E o vidro é muito melhor para se ver através!

Fez o menino sentar-se no largo degrau de pedra e lhe trouxe um copo de leite e um pedaço de bolo, dizendo que descansasse. Então chamou a filha, da idade do menino; acenou carinhosamente com a cabeça, para os dois e voltou aos seus afazeres.

A menininha estava descalça como ele e usava um vestido de algodão marrom, mas os cabelos eram dourados como as janelas que ele tinha visto e os olhos eram azuis como o céu ao meio-dia. Ela passeou com o menino pela fazenda e mostrou a ele seu bezerro preto com uma estrela branca na testa; ele contou do seu próprio bezerro em casa, que era castanho-avermelhado com as quatro patas brancas.

Depois, quando já haviam comido uma maçã juntos, e assim se tornado amigos, ele perguntou a ela sobre as janelas douradas. A menina confirmou, dizendo que sabia tudo sobre elas, mas que ele havia errado de casa.
- Você veio na direção completamente errada! - disse ela. - Venha comigo, vou mostrar a casa de janelas douradas e você vai conferir onde fica.

Foram para um outeiro que se erguia atrás da casa, e, no caminho, a menina contou que as janelas de ouro só podiam ser vistas a uma certa hora, perto do pôr-do-sol.
- É isso mesmo, eu sei! - disse o menino.

No cimo do outeiro, a menina virou-se e apontou: lá longe, num morro distante, havia uma casa com janelas de ouro brilhante e diamantes, exatamente como ele havia visto. E quando olhou bem, o menino viu que era sua própria casa!

Logo, disse à menina que precisava ir. Deu a ela sua melhor pedrinha, a branca com listra vermelha, que levava há um ano no bolso. Ela lhe deu três castanhas-da-índia: uma vermelha acetinada, outra pintada e outra branca como leite. Ele deu-lhe um beijo e prometeu voltar, mas não contou o que descobrira. Desceu o morro, enquanto a menina o olhava na luz do poente.

O caminho de volta era longo e já estava escuro quando chegou à casa dos pais. Mas o lampião e a lareira luziam através das janelas, tornando-as quase tão brilhantes como as vira do outeiro. Quando abriu a porta, sua mãe veio beijá-lo, e a irmãzinha correu para abraçá-lo pelo pescoço, sentado perto da lareira, seu pai levantou os olhos e sorriu.

- Teve um bom dia? - perguntou a mãe.
- Sim! - o menino havia passado um dia ótimo.
- E aprendeu alguma coisa? - perguntou o pai.
- Sim! - disse o menino. -

Aprendi que nossa casa tem janelas de ouro e diamantes.

AUTOR DESCONHECIDO

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

COMPREENDER A PALAVRA NOS CONFLITOS



MATEUS 13 (18-23)

18 Escutai vós, pois, a parábola do semeador.
19 Ouvindo alguém a palavra do reino, e não a entendendo, vem o maligno, e arrebata o que foi semeado no seu coração; este é o que foi semeado ao pé do caminho.
20 O que foi semeado em pedregais é o que ouve a palavra, e logo a recebe com alegria;
21 Mas não tem raiz em si mesmo, antes é de pouca duração; e, chegada a angústia e a perseguição, por causa da palavra, logo se ofende;
22 E o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo, e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera;
23 Mas, o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta.

Até o ultimo suspiro



O que seria de nós, humanos, se toda questão imposta por duvidas pessoais fossem simplesmente nos dada à resposta de bandeja por nossos pais, os criadores, aqueles que nos dizem o caminho certo pra achar as escolhas certas, e então nós que nos olhamos no espelho e dizemos que aquilo que se vê não passa de mera imagem, o real aquela parte em que realmente devíamos crê fica guardado no inconsciente, na parte apagada, talvez para se fazer presente em sonhos, sim sonhos, creio que aquela imagem própria num sonho é o real o que realmente somos sem interferência. Como somos? De que forma é certo? Porque acontece assim? Perguntas, a vida é cheia delas, como sempre e de praxe faço mais uma pergunta que tenho certeza plena não haver resposta convincente, porque amar se não podemos tomar todas as decisões, porque esperar por um amor se a distancia sempre vem pra causar a tão desesperadora saudade, porque? Mais fico certo que meu coração, sim ele já tem a quem se dedicar, motivos, talvez alguns, se fortes ainda não sei, mais motivos que me movem e me fazem viver, creio que ser movida a paixões, amar intensamente ao outro é o que me faz ativa, o que me faz ser humana. Se sofrer dói ao causador, não se comprometa à vida tem lá os seus altos e baixos, se amar é viver, porque limites, regras, incompreensões, te digo AME, mais antes ame-se e com certeza serás amado e alem de um ser amado ouvirás um dia, Te Amarei, até o ultimo suspiro!


Rafaela Rocha

CONFIDENCIALIDADE



“Aquele que cobre uma ofensa promove amor,
mas quem a lança em rosto separa bons amigos.” (Provérbios 17:9)

Confidência é crítica para manter relações de confiança e amor.
Quantas vezes nós compartilhamos informação pessoal e privada sobre alguém? Depois eles descobrem que nós fizemos isso e eles ficam muito machucados. Como cristãos nós podemos ser danosos sem perceber, e até quando intencionamos o bem.
Às vezes nós contamos a outros informação privada que soubemos por meio de uma pessoa perdida com quem nós estávamos compartilhando nossa fé. Às vezes nós compartilhamos informação privada na forma de um pedido de oração para uma pessoa em dificuldade. Às vezes nós divulgamos informação privada sobre uma pessoa para quem nós oramos e que ganhou vitória numa área de pecado na vida dela. Se nós não temos cuidado podemos compartilhar detalhes privados até mesmo sobre uma outra pessoa na forma de um elogio.
Quando uma pessoa nos contar algo que é privado e pessoal, nós deveríamos considerar aquela informação uma confiança sagrada. Nós só deveríamos repetir aquela informação com a permissão da pessoa. A pessoa que nos conta coisas em particular nem sempre vai dizer primeiro “não conte para ninguém!” Porém, ele ou ela pode muito bem presumir que nós saberemos não compartilhar aquela informação.
Eu realmente acredito que muitos cristãos sofrem dentro deles por causa de uma confiança violada antes, e eles não sentem que podem confiar em qualquer um com seus problemas pessoais. Eles acabam sofrendo, lutando, e tropeçando... Sozinhos!
Considere estes outros versículos em Provérbios:
Provérbios 11:13 “O mexeriqueiro descobre o segredo, mas o fiel de espírito o encobre.”
Provérbios 20:19 “O mexeriqueiro revela o segredo; portanto, não te metas com quem muito abre os lábios.”
Provérbios 25:9 “Pleiteia a tua causa diretamente com o teu próximo e não descubras o segredo de outrem;”
Muitas pessoas já foram machucadas por Cristãos bem intencionados que revelaram informação privada e pessoal. No futuro, vamos lembrar isso e preservar as coisas compartilhadas em privado como uma confiança guardada.

domingo, 22 de novembro de 2009

A FELICIDADE DE COMPREENDER



MATEUS 13 (10-17)

10 E, acercando-se dele os discípulos, disseram-lhe: Por que lhes falas por parábolas?
11 Ele, respondendo, disse-lhes: Porque a vós é dado conhecer os mistérios do reino dos céus, mas a eles não lhes é dado;
12 Porque àquele que tem, se dará, e terá em abundância; mas àquele que não tem, até aquilo que tem lhe será tirado.
13 Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem nem compreendem.
14 E neles se cumpre a profecia de Isaías, que diz: Ouvindo, ouvireis, mas não compreendereis, E, vendo, vereis, mas não percebereis.
15 Porque o coração deste povo está endurecido, E ouviram de mau grado com seus ouvidos, E fecharam seus olhos; Para que não vejam com os olhos, E ouçam com os ouvidos, E compreendam com o coração, E se convertam, E eu os cure.
16 Mas, bem-aventurados os vossos olhos, porque vêem, e os vossos ouvidos, porque ouvem.
17 Porque em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e ouvir o que vós ouvis, e não o ouviram.

A historia das duas rãs



Existem momentos em que a paciência por mais difícil que seja exerce-la é a única maneira de suportar determinados problemas. A famosa história a seguir ilustra bem isto:
Duas rãs caíram dentro de uma jarra de leite. Uma era grande e forte, mas impaciente e confiando na sua forma física, lutou a noite inteira, debatendo-se para escapar.
A outra rã era pequena e frágil. Como sabia que não teria energia para lutar contra seu destino, resolveu entregar-se. Com suas patas, fez apenas os movimentos necessários para manter-se na superfície, sabendo que cedo ou tarde iria morrer.
“Quando não se pode fazer nada, nada se deve fazer” pensava ela.
E assim as duas passaram a noite uma na tentativa desesperada de salvar-se, a outra aceitando com tranqüilidade o seu destino.
Exausta com o esforço, a rã maior não agüentou mais, e morreu afogada. A outra rã conseguiu boiar a noite inteira e quando, na manhã seguinte, resolveu entregar-se a morte, reparou que os movimentos de sua companheira haviam transformado o leite em manteiga. Tudo o que teve de fazer foi pular para fora da jarra.

AUTOR DESCONHECIDO

A Porta do Lado



Em entrevista dada pelo médico Dráuzio Varella, disse ele que a gente tem um nível de exigência absurdo em relação à vida, que queremos que absolutamente tudo dê certo, e que, às vezes, por aborrecimentos mínimos, somos capazes de passar um dia inteiro de cara amarrada. E aí ele deu um exemplo trivial, que acontece todo dia na vida da gente.

É quando um vizinho estaciona o carro muito encostado ao seu na garagem (ou pode ser na vaga do estacionamento do shopping). Em vez de simplesmente entrar pela outra porta, sair com o carro e tratar da sua vida, você bufa, pragueja, esperneia e estraga o que resta do seu dia.

Eu acho que esta história de dois carros alinhados, impedindo a abertura da porta do motorista, é um bom exemplo do que torna a vida de algumas pessoas melhor, e de outras, pior. Tem gente que tem a vida muito parecida com a de seus amigos, mas não entende por que eles parecem ser tão mais felizes. Será que nada dá errado para eles?

Dá aos montes. Só que, para eles, entrar pela porta do lado, uma vez ou outra, não faz a menor diferença. O que não falta neste mundo é gente que se acha o último biscoito do pacote.

Que "audácia" contrariá-los! São aqueles que nunca ouviram falar em saídas de emergência: fincam o pé, compram briga e não deixam barato.

Alguém aí falou em complexo de perseguição? Justamente. O mundo versus eles.

Eu entro muito pela outra porta, e às vezes saio por ela também. É incômodo, tem um freio de mão no meio do caminho, mas é um problema solúvel.

E como esse, a maioria dos nossos problemões podem ser resolvidos assim, rapidinho.

Basta um telefonema, um e-mail, um pedido de desculpas, um deixar barato.

Eu ando deixando de graça, para ser sincero. Vinte e quatro horas têm sido pouco para tudo o que eu tenho que fazer, então não vou perder ainda mais tempo ficando mal-humorado.

Se eu procurar, vou encontrar dezenas de situações irritantes e gente idem, pilhas de pessoas que vão atrasar meu dia.

Então eu uso a "porta do lado" e vou tratar do que é importante de fato.

Eis a chave do mistério, a fórmula da felicidade, o elixir do bom humor, a razão porque parece que tão pouca coisa na vida dos outros dá errado

Pense nisso... E prepare-se para uma nova vida.
Autor Desconhecido

sábado, 21 de novembro de 2009

UMA COLHEITA CUSTOSA


MATEUS 13 (1-9)

1 ¶ Tendo Jesus saído de casa, naquele dia, estava assentado junto ao mar;
2 E ajuntou-se muita gente ao pé dele, de sorte que, entrando num barco, se assentou; e toda a multidão estava em pé na praia.
3 E falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: Eis que o semeador saiu a semear.
4 E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na;
5 E outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda;
6 Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz.
7 E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na.
8 E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta.
9 Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

UMA NOVA GERAÇÃO


MATEUS 12 (46-50)

46 ¶ E, falando ele ainda à multidão, eis que estavam fora sua mãe e seus irmãos, pretendendo falar-lhe.
47 E disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, que querem falar-te.
48 Ele, porém, respondendo, disse ao que lhe falara: Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos?
49 E, estendendo a sua mão para os seus discípulos, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos;
50 Porque, qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe.

Tudo ou nada



Após o aborto de sua segunda criança, minha irmã estava ansiosa por engravidar-se novamente. Tinha um filho de cinco anos e queria dar-lhe um irmão ou uma irmã. Mas esta gravidez logo se transformaria em um grande pesadelo.
Com 23 semanas, Kathy começou a sentir-se mal e ter contrações. Temendo novo aborto foi imediatamente à seu médico que, após examina-la, disse:
- Está tudo bem! O problema maior está "em sua cabeça". Vá para casa e continue com sua rotina, normalmente.
Era 31 de dezembro e, passados alguns dias da visita ao médico, Kathy continuava sentindo-se mal. E naquele clima de esperanças do ano novo, a ambulância foi chamada. Kathy estava em trabalho de parto. Colocada no fundo da ambulância, enquanto ouvia a sirene, tudo o que conseguia pensar era "quando acordarei deste pesadelo?"

Kathy foi levada à um hospital bem equipado e com boa equipe médica. E lá, lhe informaram,
- Você tem uma grave infecção. Se fizermos uma cesariana, o bebê
terá melhor possibilidade de sobrevivência mas existe a possibilidade
que a infecção se espalhe por todo o seu corpo, ameaçando a sua vida. Pode ser parto natural mas o bebê é tão minúsculo que certamente será afetado.
Kathy optou pela cesariana, arriscando sua própria vida para salvar
a vida de seu bebê.
Depois disso, a primeira coisa dita a Kathy foi,
- Você tem uma filha, e ela é muito pequenina. Pesa muito pouco e tem a altura de uma boneca Barbie. Seus pulmões não estão completamente desenvolvidos e, por isso, precisa respirar com ajuda de aparelhos.

E o médico continuou,
- A chance de sobrevivência é quase nenhuma. Provavelmente não
passará desta primeira noite. Se conseguir passar a noite, terá menos de 10% de possibilidade de viver após isso. Se viver, as contas médicas serão astronômicas, a tensão emocional será terrível; além disso, terá problemas mentais e uma vida muito mais complicada do que a maioria das crianças.
Em seguida, uma grave pergunta foi feita à minha irmã,
- Você quer que façamos tudo que pudermos, ou nada? Ou seja, nós podemos desligar os aparelhos que dão sustentação a vida do bebê,
mas nós temos que ter sua permissão.
Kathy respondeu-lhes dizendo para fazerem qualquer coisa e tudo o que fosse possível para salvar a vida de seu bebê, mesmo depois de todas as palavras desanimadoras que lhe disseram. Depois de tudo que tinha passado, como poderia agora simplesmente desistir daquele pequeno milagre?

Foram longas noites e longos dias. A pequena Elizabeth Hale estava presa a inúmeros aparelhos, lutando arduamente por sua vida. Os médicos ainda se diziam pessimistas. Beth ainda tinha apenas 10% de possibilidade de sobrevivência.
Encarando a realidade, Kathy teve que voltar para casa, deixando seu minúsculo bebê na UTI neonatal. Visitava-a tanto quanto possível.
Ligava 7 ou 8 vezes por dia. Sua primeira conta do telefone poderia literalmente ser esticada através do comprimento inteiro de sua casa.
Só que o dinheiro era o que menos preocupava.
Descobriu-se que Beth tinha uma falha no coração.
Tinha perdido mais peso e era muito pequena para estar sob efeito de anestesia, assim tiveram que paralisar seu minúsculo corpo para fazer a necessária cirurgia do coração.

Foram 4 meses de internação e luta pela vida.
Nunca me esquecerei, era a semana do dia das mães, quando minha irmã, seu marido e seu filho levaram Beth para casa. Pesava muito pouco e os médicos advertiram insistentemente que Beth seria um grande desafio e teria um desenvolvimento muito lento.

Junho de 2002, aquele minúsculo milagre que tinha 10% de possibilidade de sobrevivência, concluiu o colégio em primeiro lugar da sua turma. Está ingressando na faculdade que escolheu. Se teve um desenvolvimento lento, como os médicos avisaram, eu adoraria vê-la à toda a velocidade! É alta, loira e tem os olhos azuis que brilham intensos com a beleza que é o seu futuro.
Tudo ou nada?
Beth está indo para o TUDO! Ensinando que nem sempre a vida é um "mar de rosas", mas com fé, perseverança e muita luta, pode-se alcançar resultados fantásticos.

AUTOR DESCONHECIDO

Tudo Novo



Eu gosto muito mais dos sonhos de amanhã do que da história do passado. Thomas Jefferson

Você tem visto cada novo dia como um novo começo

– um dia que se inicia em sua vida como uma nova página, branca, limpa, trazendo consigo imensas possibilidades, ou ao se levantar pela manhã você só se lembra das oportunidades perdidas de ontem?

Começar um novo dia com os pensamentos voltados para o dia anterior é como escrever num quadro-negro que nunca foi limpo, desde o semestre escolar do ano passado.

Aquilo que você escrever será difícil de entender, misturado e confundido com outras velhas mensagens.

A melhor maneira de começar um novo dia é tratá-lo como ele realmente é: novo.

Diga a você mesmo hoje: Não existe nada que eu possa fazer hoje que venha mudar a direção de ontem.

A seguir, escreva em frente da sua escrivaninha ou geladeira: Apenas Para Hoje.

Coloque ali seus alvos para as próximas 24 horas.

No final do dia jogue a sua lista fora, e amanhã comece uma completamente nova..

Nélio DaSilva

Para Meditação:

Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele. Salmos 118:24

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

PIOR DO QUE ANTES


MATEUS 12 (43-45)

43 E, quando o espírito imundo tem saído do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso, e não o encontra.
44 Então diz: Voltarei para a minha casa, de onde saí. E, voltando, acha-a desocupada, varrida e adornada.
45 Então vai, e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entrando, habitam ali; e são os últimos atos desse homem piores do que os primeiros. Assim acontecerá também a esta geração má.

As sete verdades do Bambú


Depois de uma grande tempestade, o menino que estava passando férias na casa do seu avô, o chamou para a varanda e falou:
Vovô corre aqui! Me explica como essa figueira, árvore frondosa e imensa, que precisava de quatro homens para balançar seu tronco se quebrou, caiu com o vento e com a chuva... este bambu é tão fraco e continua de pé?
Filho, o bambu permanece em pé porque teve a humildade de se curvar na hora da tempestade. A figueira quis enfrentar o vento. O bambu nos ensina sete coisas. Se você tiver a grandeza e a humildade dele, vai experimentar o triunfo da paz em seu coração.
A primeira verdade que o bambu nos ensina, e a mais importante, é a humildade diante dos problemas, das dificuldades. Eu não me curvo diante do problema e da dificuldade, mas diante daquele, o único, o princípio da paz, aquele que me chama, que é o Senhor.
Segunda verdade: o bambu cria raízes profundas. É muito difícil arrancar um bambu, pois o que ele tem para cima ele tem para baixo também. Você precisa aprofundar a cada dia suas raízes em Deus na oração.
Terceira verdade: Você já viu um pé de bambu sozinho? Apenas quando é novo, mas antes de crescer ele permite que nasça outros a seu lado (como no cooperativismo). Sabe que vai precisar deles. Eles estão sempre grudados uns nos outros, tanto que de longe parecem com uma árvore. Às vezes tentamos arrancar um bambu lá de dentro, cortamos e não conseguimos. Os animais mais frágeis vivem em bandos, para que desse modo se livrem dos predadores.
A quarta verdade que o bambu nos ensina é não criar galhos. Como tem a meta no alto e vive em moita, comunidade, o bambu não se permite criar galhos. Nós perdemos muito tempo na vida tentando proteger nossos galhos, coisas insignificantes que damos um valor inestimável. Para ganhar, é preciso perder tudo aquilo que nos impede de subirmos suavemente.
A quinta verdade é que o bambu é cheio de “nós” ( e não de eu’s ). Como ele é oco, sabe que se crescesse sem nós seria muito fraco. Os nós são os problemas e as dificuldades que superamos. Os nós são as pessoas que nos ajudam, aqueles que estão próximos e acabam sendo força nos momentos difíceis. Não devemos pedir a Deus que nos afaste dos problemas e dos sofrimentos. Eles são nossos melhores professores, se soubermos aprender com eles.
A sexta verdade é que o bambu é oco, vazio de si mesmo. Enquanto não nos esvaziarmos de tudo aquilo que nos preenche, que rouba nosso tempo, que tira nossa paz, não seremos felizes. Ser oco significa estar pronto para ser cheio do Espírito Santo.
Por fim, a sétima lição que o bambu nos dá é exatamente o título do livro: ele só cresce para o alto. Ele busca as coisas do Alto.

Essa é a sua meta.
AUTOR DESCONHECIDO

A Arte de Ensinar


Dia desses um garoto de oito anos contava para a mãe suas experiências na sala de aula. Comentava sobre cada professor, sua maneira de ser e de transmitir ensinamentos.

Dizia que gostava muito das aulas de uma determinada professora, embora não gostasse muito da matéria.

Comentava, ainda, que detestava ter que assistir as aulas de sua matéria preferida porque não gostava da professora.

Dizia, com a franqueza que a inocência infantil permite: "a professora de história está sempre de mau humor. Ela grita com a gente por qualquer motivo e nunca sorri."

"Quando passa uma lição e algum aluno não faz exatamente como ela mandou, faz um escândalo. Todos os alunos têm medo dela."

"Já a professora de português está sempre sorrindo. Brinca com a turma e só chama atenção quando alguém está atrapalhando a aula. Eu até fiz uma brincadeira com ela um dia desses, e ela riu muito."

Depois de ouvir atentamente, a mãe lhe perguntou: "e por que você não gosta das aulas de religião, filho?"

Ah, falou o menino, o professor é grosseiro e cínico. Critica todos os alunos que têm crença diferente da dele e diz que estão errados sempre que não respondem o que ele quer ouvir.

E, antes de sair para suas costumeiras aventuras com os colegas, o garoto acrescentou: "agora eu sei que, por mais complicada que seja a matéria, o que faz diferença mesmo, é o professor."

De uma conversa entre mãe e filho, aparentemente sem muita importância, podemos retirar sérias advertências.

E uma delas é a responsabilidade que pesa sobre os ombros daqueles que se candidatam a ensinar.

Muitos se esquecem de que estão exercendo grande influência sobre as mentes infantis que lhes são confiadas por pais desejosos de formar cidadãos nobres.

Talvez pensando mais no salário do que na nobreza da profissão, alguns tratam os pequenos como se fossem culpados por terem que passar longas horas numa sala de aula.

Mais grave ainda, é quando se arvoram a dar aulas de religião e agridem as mentes infantis com a arrogância de que são donos da verdade, semeando no coração da criança as sementes do cepticismo.

Quem aceita a abençoada missão de ensinar, deve especializar-se nessa arte de formar os caracteres dos seus educandos, muito mais do que adestrar-se em passar informações pura e simplesmente.

É preciso que aqueles que se dizem professores tenham consciência de que cada criatura que passa por uma sala de aula, levará consigo, para sempre, as marcas indeléveis de suas lições. Sejam elas nobres ou não.

É imprescindível que os educadores sejam realmente mestres, no verdadeiro sentido do termo.

Que ensinem com sabedoria, entusiasmo e alegria.

Que exemplifiquem a confiança, a paz, a amizade, o companheirismo e o respeito.

E aquele que toma sobre si a elevada missão de ensinar religião, deverá estar revestido de verdadeira humildade e da mais pura fraternidade, a fim de colocar Deus acima de qualquer bandeira religiosa.

Deverá religar a criatura ao seu Criador, independente da religião que esta professe, sem personalismo e sem o sectarismo deprimente, que infelicita os seres e os afasta de Deus.

Por fim, todo professor deverá ter sempre em mente que a sua profissão é uma das mais nobres, porque é a grande responsável por iluminar consciências e formar cidadãos de bem.

...............

Mestre verdadeiro é aquele que ajuda a esculpir nas almas as mais belas lições de sabedoria.

Verdadeiro professor é aquele que toma das mãos do homem, ainda criança, e o conduz pela estrada segura da honestidade e da honradez.

O verdadeiro mestre é aquele que segue à frente, sinalizando a estrada com os próprios passos, com o exemplo do otimismo e da esperança.


Autor:
Equipe de Redação do Momento Espírita.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

O SINAL QUE LEVA PARA A FÉ


MATEUS 12 (38-42)

38 ¶ Então alguns dos escribas e dos fariseus tomaram a palavra, dizendo: Mestre, quiséramos ver da tua parte algum sinal.
39 Mas ele lhes respondeu, e disse: Uma geração má e adúltera pede um sinal, porém, não se lhe dará outro sinal senão o do profeta Jonas;
40 Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra.
41 Os ninivitas ressurgirão no juízo com esta geração, e a condenarão, porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis que está aqui quem é mais do que Jonas.
42 A rainha do meio-dia se levantará no dia do juízo com esta geração, e a condenará; porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E eis que está aqui quem é maior do que Salomão.

Conta as bênçãos



O que nos deixa mais tristes ou infelizes é a solidão da dor.
Não, não inverti as palavras, porque uma coisa é a dor da solidão, que milhares de almas, mesmo acompanhadas, conhecem e uma outra é a solidão da dor.
A solidão da dor é a que cabe a nós, inteiramente.
É a que julgamos a maior do mundo, a mais pesada e difícil de carregar; aquela que diminui nossa estatura e agiganta todos os outros que estão ao redor; a que mata cada fibra do nosso coração e nos faz esquecer todas as alegrias e bênçãos recebidas.
Perigosamente destrutiva, afasta-nos do bem e do bom, da luz, do sal, da cruz e das promessas Divinas.
Jesus também sofreu a dor da solidão e do abandono; sofreu a dor da dor, a lança atravessada, o peso da cruz e do cravo nas mãos.
Mas Ele não experimentou a solidão da dor. Ele sabia que não estava só e mesmo nos momentos mais difíceis de serem suportados, erguia os olhos para o Céu.
Contamos tudo o que recebemos da vida e particularmente de Deus de maneira inversa.
Apagamos facilmente o bem, as alegrias, as bênçãos que caem gota a gota na nossa cabeça nos ungindo e reavivamos as dores que fatalmente colhemos nos caminhos por nós mesmos escolhidos.
Você tem teto, alimento, família, amigos, trabalho, saúde?
Conta as bênçãos!!!
Tem momentos de riso gostoso, de partilha, pode ver o nascer e o pôr-do sol?
Conta as bênçãos!!!
Contamos nossas dores, as contabilizamos, somamos e nos esquecemos de acrescentar as alegrias que podem diminuí-las ou pelo menos nos mostrar que na balança da vida nem tudo é perda e sofrimento.
Conta sim, uma a uma, as bênçãos da sua vida. Você vai ver que a esperança ainda vive, que a luz brilha, que as flores continuam nascendo apesar das secas ou das enchentes.
Você vai ver que, silencioso, Deus olha por nós e continua distribuindo o bem, mesmo se aos nossos olhos as graças pareçam invisíveis.

Letícia Thompson

Declaração De Amizade !



Recebi da amiga
Sônia Massini DO BLOG
AUTOR E COMSUMADOR DA FÉ

http://massini3.blogspot.com/


"Declaração de Afeto"

A amizade é um sentimento, que chega devagarzinho pelos atos,
pelo carinho, pela lembrança...
E na net não é diferente, você visita um dia um blog, gosta, volta...
E assim vai crescendo o número de amigos,
das atenções recebidas e dos carinhos ganhos.

Funciona assim:

1) Escolhemos dez amigos para declarar a nossa amizade
e os nomeamos num post.
2) Em seguida visitamos seus blogs e comunicamos a nomeação.
3)Cada um deverá nomear mais dez, e assim sucessivamente.
4)Não há selos ou prêmios, apenas
nossa declaração sincera de afeto.
5)Se receber de volta é porque você realmente
é considerada uma grande amiga.
6)Repasso para vocês com carinho e amizade!


Dedico esse poema:

Quando fala a amizade...
Nada é mais gratificante que o sentimento entre amigos...
Amigos que tocam a nossa alma com discrição,
Com gestos que emocionam,
incentivam e revigoram o espírito.

Amigos, que alentam a nossa vida com palavras
que vibram espontaneidade e sinceridade.
Amigos, que muitas vezes não os conhecemos
pessoalmente, mas que a sinergia nos fala de ,
carinho, bondade. doação, generosidade e lealdade.
Amigos que quando estamos longes, sentimos
o vazio da saudade, a falta do calor do seu aconchego
suas palavras e seu toque que nos conforta.

Quando fala a amizade o sentimento é puro e espontâneo.
Fala o coração, fala o poder da comunicação,
do entrelaçamento das almas que se
identificam através da afinidade e sintonia.
Aquele amigo genial, além do natural.
Com o poder transcendental
que a sua aura expande luz,
alimenta a nossa jornada...
Deixando rastros de sabedoria que nos ensina e
nos impulsiona a vivermos com a
alegria de ter um amigo especial.

É maravilhoso perceber que cada
amigo que cruza o nosso caminho
é luz...É um prazer redobrado.
É a soma do amor ao quadrado.
É a felicidade tê-lo ao nosso lado.
É a plenitude de perceber que a
DIVINA PRESENÇA nos toca
através de elos fortalecidos e
solidificados pelo poder do sentimento.
Amigos! Como é bom tê-los!

É como um jardim encantado onde admiramos
as flores e aspiramos o perfume que exala
para buscarmos o nosso equilíbrio.
É a felicidade de entendermos o quanto somos amados!
Poder agradecer e retribuir o sentimento com carinho
ternura, simplicidade e pureza.
É a oportunidade de amar sem limite, honrar o nosso
compromisso com a verdade do amor e
fortalecermos os laços com o DIVINO PAI.

Vera Lúcia de Oliveira

É pra vocês...

1- Sônia Massini(impossível naum te mandar de volta)
2-Paulinha
3-Rute e Ester
4- silvinha
5- Natalia
6- AlziJesus
7- Nesia Pires
8- Bíblia Sagrada
9- Gleiciane
10- Regina Bonelli Ribeiro

terça-feira, 17 de novembro de 2009

CADA UM JULGA A SI PRÓPRIO


MATEUS 12 (33-27)

33 Ou fazei a árvore boa, e o seu fruto bom, ou fazei a árvore má, e o seu fruto mau; porque pelo fruto se conhece a árvore.
34 Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.
35 O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más.
36 Mas eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo.
37 Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado.

A sabedoria do Raquim


O sultão estava a bordo de um navio com um dos seus melhores servos.

O servo, que nunca havia feito uma viagem (com efeito, como filho das montanhas ele nunca tinha visto o litoral), sentou-se no porão do navio e chorava.

Todos foram bondosos para com ele e procuraram acalmar seu medo, mas essa bondade chegou somente ao seu ouvido, não ao seu coração medroso.

O rei não agüentava mais ouvir os gritos do seu servo, e a viagem pelas águas azuis, debaixo do céu azul, já não tinha prazer para ele.

Então o sábio raquim, o médico, aproximou-se dele e disse:
- Vossa Majestade, com vossa permissão, eu posso acalmá-lo.

Sem demorar um instante, o sultão deu sua permissão.

O raquim mandou que os marinheiros jogassem o homem ao mar; os marinheiros fizeram isso ao chorão com muito prazer.

O servo debateu-se na água, fez esforços para respirar, agarrou-se à borda do navio e implorou que o tomassem a bordo de novo.

Então eles puxaram-no para cima pelos cabelos.

Daquele momento em diante ele sentou-se muito quieto num canto. Ninguém ouviu mais uma palavra de medo da sua boca.

O sultão ficou assombrado e perguntou ao raquim:
- Que sabedoria está contida nessa ação?.

O raquim respondeu:
- Ele nunca tinha saboreado o sal da água do mar. E ele não conhecia o grande perigo que existe no mar. Portanto ele não poderia saber quão maravilhoso é ter as pranchas fortes do navio debaixo dele.

Somente aquele que já enfrentou o perigo pode saber o valor da paz e da tranqüilidade.

Do livro: O Mercador e o Papagaio

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

O PEGADO SEM PERDÃO


MATEUS 12 (22-32)

22 ¶ Trouxeram-lhe, então, um endemoninhado cego e mudo; e, de tal modo o curou, que o cego e mudo falava e via.
23 E toda a multidão se admirava e dizia: Não é este o Filho de Davi?
24 Mas os fariseus, ouvindo isto, diziam: Este não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios.
25 Jesus, porém, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: Todo o reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda a cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá.
26 E, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seu reino?
27 E, se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expulsam então vossos filhos? Portanto, eles mesmos serão os vossos juízes.
28 Mas, se eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, logo é chegado a vós o reino de Deus.
29 Ou, como pode alguém entrar em casa do homem valente, e furtar os seus bens, se primeiro não maniatar o valente, saqueando então a sua casa?
30 Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.
31 Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens.
32 E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro.

A VONTADE DE DEUS

João ia sempre aos serviços dominicais de sua igreja.
Mas começou a achar que o pastor dizia sempre as mesmas coisas,
e aos poucos parou de frequentá-la.
Dois meses depois, em uma fria noite de inverno, o pastor foi visitá-lo.
“Deve ter vindo para tentar convencer-me a voltar”
pensou João consigo mesmo.
Imaginou que não podia dizer a verdadeira razão: os sermões repetitivos.
Precisava encontrar uma desculpa, e enquanto pensava,
colocou duas cadeiras diante da lareira, e começou a falar sobre o tempo.
O pastor nada falou. João,
depois de tentar inultilmente puxar conversa por algum tempo,
também calou-se.
Os dois ficaram em silêncio, contemplando o fogo por quase meia-hora.
Foi então que o pastor levantou-se,
e com a ajuda de um galho que ainda não tinha queimado,
afastou uma brasa, colocando-a longe do fogo.
A brasa, como não tinha suficiente calor para continuar queimando,
começou a apagar. João, mais que depressa,
atirou-a de volta ao centro da lareira.
- Boa noite – disse o pastor, levantando-se para sair.
- Boa noite e muito obrigado – respondeu João.
“Voltarei à igreja no próximo domingo.”
A brasa longe do fogo, por mais brilhante que seja, apagará rapidamente.
“O homem longe da presença de Deus,
por mais inteligente que seja,
não conseguirá conservar sua fé e a Chama do Espírito Santo.
E como é importante ENTENDER a vontade de Deus!!!para nossa vida.”

AUTOR DESCONHECIDO

Carta de Deus para Você




Você pode não me conhecer, mas Eu sei tudo sobre você.

Eu sei quando você se senta e quando se levanta.

Eu conheço bem todos os seus caminhos.

E até os cabelos da sua cabeça são todos contados.

Pois você foi feito a minha imagem.

Em mim você vive, se move e tem existido.

Você não foi um erro, pois todos os seus dias
estão escritos no meu livro.

Eu determinei o momento exato do seu
nascimento e onde você viveria.

Você foi feito de forma admirável e maravilhosa.

Eu formei você no ventre da sua mãe.

E tirei você do ventre de sua mãe no dia do seu nascimento.

Eu tenho sido mal representado por aqueles que não me conhecem.

Eu não estou distante e zangado, pois sou
a expressão completa do amor.

E o meu desejo é derramar meu amor sobre você.

Simplesmente porque você é meu filho e Eu sou seu Pai.

Eu ofereço a você mais do que o seu pai
terrestre jamais poderia oferecer.

Porque sou o Pai perfeito.

Cada bom presente que você recebe vem da minha mão.

Pois Eu sou o seu provedor e supro todas as suas necessidades.

Meu plano para o seu futuro tem sido sempre cheio de esperança.

Porque Eu te amo com um amor eterno.

Meus pensamentos sobre você são
incontáves como a areia na praia.

E Eu me regozijo sobre você com cânticos.

Eu nunca vou parar de fazer o bem para você.

Porque você é meu tesouro mais precioso.

Eu desejo te estabelecer com todo meu
coração e toda minha alma.

E quero te mostrar coisas grandes e maravilhosas.

Se você me buscar de todo o coração, você me encontrará.

Se deleite em mim e Eu darei a você os desejos do seu coração.

Pois fui Eu quem colocou esses desejos em você.

Eu sou capaz de fazer mais por você do que podes imaginar.

Pois Eu sou o seu maior encorajador.

Eu sou também o Pai que conforta
você em todas as suas dificuldades.

Quando seu coração está quebrantado, Eu estou perto de você.

Como um pastor carrega um cordeiro,
Eu carrego você perto do meu coração

Um dia Eu enxugarei todas as lágrimas dos seus olhos.

E afastarei de você toda a dor que tenha sofrido nesta terra.

Eu sou o seu Pai, e Eu amo você assim como
amo ao meu filho, Jesus.

Pois em Jesus, meu amor por você é revelado.

Ele é a representação exata do que sou.

Ele veio para demonstrar que eu estou contigo, e não contra ti.

E também para dizer a você que Eu não estou
contando os seus pecados.

Jesus morreu para que você e eu pudéssemos
ser reconciliados.

Sua morte foi a expressão suprema de meu amor por você.

Eu desisti de tudo que amava para que
pudesse ganhar o seu amor.

Se você receber o presente do meu filho
Jesus, você recebe a mim.

E nada poderá separar você do meu amor outra vez.

Venha para casa e Eu vou fazer a maior festa que o céu já viu.

Eu sempre fui um Pai, e sempre serei Pai.

A minha pergunta é…Você quer ser meu filho?

Eu estou esperando por você.

Com amor, seu Pai.
Deus Todo Poderoso

sábado, 14 de novembro de 2009


MATEUS 12 ( 15-21)


15 Jesus, sabendo isso, retirou-se dali, e acompanharam-no grandes multidões, e ele curou a todas.
16 E recomendava-lhes rigorosamente que o não descobrissem,
17 Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz:
18 Eis aqui o meu servo, que escolhi, O meu amado, em quem a minha alma se compraz; Porei sobre ele o meu espírito, E anunciará aos gentios o juízo.
19 Não contenderá, nem clamará, Nem alguém ouvirá pelas ruas a sua voz;
20 Não esmagará a cana quebrada, E não apagará o morrão que fumega, Até que faça triunfar o juízo;
21 E no seu nome os gentios esperarão.

Como foi que você acordou hoje?



Feliz como um passarinho, assoviando ou cantando uma canção? Irritado e com dores pelo corpo pela noite mal dormida?
Dois momentos, duas situações que refletem 2 modos de vida diferente. No primeiro caso, alguém com a certeza de que o dia será abençoado e maravilhoso, mesmo com os problemas que diariamente se apresentam, o segundo, com a dúvida sobre a sua capacidade de resolver os problemas que estão se acumulando...
Troque a sua maneira de enxergar a vida, aquela mania de guardar rancor ou deixar para depois a resolução de um problema. Mergulhe de cabeça nas emoções, mostre para o mundo que você ama os seus, mas mostre principalmente para eles que esse amor existe.
Mostre-se confiante, mesmo que a confiança ainda venha lá atrás. Mostre-se forte, mesmo que no fundo o medo ainda exista. Mostre-se cristão e estenda a mão, mesmo que seu problema seja muito grande diante dos teus olhos, porque sempre haverá alguém com sofrimento ainda maior.

Mostre-se gentil para com todos, uma palavra é como chave que pode abrir ou fechar portas. Mostre-se livre das farsas, não queira ser o que você não é, seja verdadeiramente simples. Mostre-se sem medo de amar, de começar de novo, de levantar depois da queda, mostre para a vida que você é insistentemente capaz de ser feliz.
Não desista de seus sonhos por culpa disso, daquilo ou de alguém, para ser feliz, o que conta realmente é a sua determinação, por isso, mostre-se como você é, uma pessoa maravilhosa, capaz de superar-se a cada dia.
Eu acredito em você.
(Paulo Roberto Gaefke)

Tua Luz brilha



Tua luz brilha, mesmo quando não a queres, mesmo quando não a vês.
Poderás esconder-te de ti mesmo, apagando todas as tuas velas, todas as tuas lamparinas; cobrindo com véus as tuas estrelas azuis, nublando com nuvens pesadas o teu céu para que nele nem a lua e nem o sol possam ser vistos…
Mas quando te distraíres, por segundos, ao som de uma canção que invoca a luz do amor, quando te distraíres olhando para o mar ou brincando sem querer com os cata-ventos da tua memória, saberás que brilhaste…
E, se neste momento, puderes soltar tuas amarras e, feito um pássaro, voar pelo teu universo interior, verás quão luminoso é o teu ser.
Sentirás as mãos amorosas da existência guiando teu coração e ensinando-te a amar…
Saberás não estar sozinho, saberás ser amado e agraciado pelo amor do teu Criador.
E tudo isso porque deixaste, sem querer, a tua luz iluminar, o teu ser respirar a vida que brota alegre a cada momento em que te decides por ti mesmo.
Lembra, Deus abençoa e te sorri por isso.
AUTOR DESCONHECIDO

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

O BEM DO HOMEM ESTÁ ACIMA DA LEI


MATEUS 12 (9-14)

9 E, partindo dali, chegou à sinagoga deles.
10 E, estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles, para o acusarem, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados?
11 E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará?
12 Pois, quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por conseqüência, lícito fazer bem nos sábados.
13 Então disse àquele homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e ficou sã como a outra.
14 ¶ E os fariseus, tendo saído, formaram conselho contra ele, para o matarem.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

JESUS É O SENHOR DO SÁBADO


MATEUS 12 (1-8)

1 ¶ Naquele tempo passou Jesus pelas searas, em um sábado; e os seus discípulos, tendo fome, começaram a colher espigas, e a comer.
2 E os fariseus, vendo isto, disseram-lhe: Eis que os teus discípulos fazem o que não é lícito fazer num sábado.
3 Ele, porém, lhes disse: Não tendes lido o que fez Davi, quando teve fome, ele e os que com ele estavam?
4 Como entrou na casa de Deus, e comeu os pães da proposição, que não lhe era lícito comer, nem aos que com ele estavam, mas só aos sacerdotes?
5 Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa?
6 Pois eu vos digo que está aqui quem é maior do que o templo.
7 Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes.
8 Porque o Filho do homem até do sábado é Senhor.

QUE DEUS SEJA SEU OURO


O Estado de Idaho, onde moro, é popularmente conhecido como o "Estado-Gema" por causa de seus ricos depósitos minerais. Em 1860, o capitão E. D. Pierce descobriu ouro no ribeiro Orofino. A notícia da rica descoberta desencadeou uma corrida do ouro para a região, que na época fazia parte do Território do Oregon. Dois anos mais tarde, descobriu-se mais ouro na área que agora se chama Vale do Tesouro.
Subseqüentemente, uma forma curiosa de extrair ouro foi usada com sucesso ao longo do rio Snake. Sabia-se por muito tempo que grandes quantidades de partículas de ouro desciam pelos rios e ribeiros, vindas de montanhas que produziam o minério, e eram depositadas no cascalho e no leito de várias correntes d'água no Estado. Um homem empreendedor ligou uns tubos de sucção, acionados por máquinas a vapor, a barcas que atravessavam para lá e para cá essas correntes. Os tubos puxavam cascalho e areia para o convés. O material então corria por uma calha, e o cascalho aurífero era recolhido sobre mesas cobertas com bacias de cobre. Ali o precioso minério era amalgamado com mercúrio e posteriormente recuperado. As pedras brutas e cascalhos maiores eram jogados de volta para o rio.
Os homens têm percorrido distâncias extraordinárias para conseguir ouro, sacrificando por vezes a própria vida nessa busca. O ouro, ou aquilo que ele representa - riqueza material - exerce um tipo de fascínio hipnótico sobre muitas mentes, levando-as a agir de modo irracional. Dois jovens estavam ocupados na prospecção perto de Placerville. Eram irmãos carnais e sempre se haviam dado bem, mas um dia ambos viram uma pepita de ouro ao mesmo tempo. Os dois correram para pegá-la. Ocorreu uma luta corporal e acabaram matando-se um ao outro.
Não vale a pena perder a vida por nenhum bem deste mundo - ainda mais a vida eterna. Se as riquezas materiais estiverem exercendo uma fascinação desordenada sobre você, atente para o conselho de Elifaz: jogue-as entre as pedras dos ribeiros e permita que Deus seja o seu ouro.

AUTOR DESCONHECIDO

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

OS POBRES EVANGELIZAM


MATEUS 11(25-30)

25 ¶ Naquele tempo, respondendo Jesus, disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos.
26 Sim, ó Pai, porque assim te aprouve.
27 Todas as coisas me foram entregues por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.
28 Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.
29 Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.
30 Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.

Novos Tempos




É tempo de agradecer as infinitas bênçãos recebidas e perceber o milagre da renovação acontecendo em nossas vidas, a cada ciclo que se fecha, para outro que se abre simultaneamente. É tempo de soltar todas as lembranças ruins, de uma época pautada por ásperas lutas, testes e provas, as quais superamos com êxito, amparados tão somente na nossa fé, constância e determinação.
É tempo de enaltecer os que chegaram somando forças aos nossos ideais e mesmo aqueles que chegaram para miná-los ou comprometê-los, pois estes foram também nossos mestres indiretos e, sem que percebessem, cumpriram importante papel, treinando a nossa humildade, nossa capacidade de discernir, compreender, silenciar e relevar.

É tempo de abrir os braços para o futuro e vislumbrar uma longa avenida ensolarada, como justa recompensa por todas as sementes de legítimo amor que fomos lançando ao longo da jornada, ainda que muitas vezes, em áridos torrões. É tempo de reconhecer que o mundo lá fora não mudou, mas que grandes e significativas mudanças ocorreram dentro de nós mesmos, deixando-nos mais habilitados e fortalecidos para lidar com os pequenos ou grandes revezes da vida.
É tempo de pedir perdão à Vida, pelas vezes que não soubemos compreender as suas Leis exatas e perfeitas. De perdoarmos a nós mesmos e pedirmos perdão a todos aqueles que ferimos por ignorância ou pelos ditames do egoísmo e da imaturidade, decorrentes da insignificância do nosso grau evolutivo. É tempo de crer ainda mais profundamente no amor, o verdadeiro amor aquele que redime, liberta, que tudo oferece dadivosamente, sem esperar qualquer benesse ou imediata recompensa.
É tempo enfim, de dobrarmos os joelhos em sincera oração, num ato de total abandono e confiança no Deus da nossa compreensão, que conhece os nossos desígnios, que sonda nossos corações, guia nossos passos e por fim, conduz a nossa embarcação ao seu verdadeiro e definitivo destino.

(Fátima Irene Pinto)

Amanhecer



Ao acordar todos os dias contemplo a tudo, pois tudo é belo.
Que bom se soubéssemos aproveitar a tudo que o criador nos proporciona temos tudo de graça, não pagamos por nada e ainda deixamos tudo ás traças.

O dia faz parte da nossa história, que escrevemos ao longo de nossas vidas. Nossa face reflete a capa e o nosso interior, nossa desgraça ou glória. Mais pedimos misericórdia ao divino, pois sabemos que continuamos sendo seus filhos.

E ele nunca nos abandona, mesmo quando fazemos coisas erradas neste labirinto de tarefas por nós muito mal executadas.

Mas a cada amanhecer novos dias chegarão, esperamos que eles sejam mais proveitosos que aprendamos a ser mais generosos com tudo o que continuamos a ganhar sem pagar um só tostão. Obrigado Senhor.
(Nilson Camacam Sacramento)

Braços estendidos



Certa vez um grupo de amigos se reuniu para uma caminhada na selva. Iniciaram uma caminhada de quase 20 km, iniciando a jornada logo pelo amanhecer.

No meio da manhã, o grupo se deparou com um trecho abandonado de estrada de ferro. Cada um deles, na sua vez, tentava andar pelos trilhos que eram muito estreitos. Mas após alguns passos inseguros eles perdiam o equilíbrio e caíam. Depois de observar um após outro caírem, dois deles propuseram aos demais uma aposta surpreendente.

Disseram que poderiam andar o trecho inteiro sem cair sequer uma vez. Os outros meninos riram e disseram: - Impossível, vocês não vão conseguir!...

Desafiados a cumprir a promessa, os dois meninos subiram nos trilhos, cada um ficou em um dos trilhos paralelos, e simplesmente estenderam o braço um em direção ao outro e deram as mãos para equilibrar-se... e assim andaram com toda estabilidade pelo trecho inteiro, sem dificuldades.

Essa pequena história mostra que trabalho em equipe começa dando-se as mãos! Mostra o quanto a criatividade e o senso de cooperação podem contribuir para solucionar os problemas que enfrentamos seja na empresa ou em nossa vida pessoal.
AUTOR DESCONHECIDO

terça-feira, 10 de novembro de 2009

O JULGAMENTO DA AUTO-SUFICIÊNCIA


MATEUS 11(20-24)

20 Então começou ele a lançar em rosto às cidades onde se operou a maior parte dos seus prodígios o não se haverem arrependido, dizendo:
21 Ai de ti, Corazim! ai de ti, Betsaida! porque, se em Tiro e em Sidom fossem feitos os prodígios que em vós se fizeram, há muito que se teriam arrependido, com saco e com cinza.
22 Por isso eu vos digo que haverá menos rigor para Tiro e Sidom, no dia do juízo, do que para vós.
23 E tu, Cafarnaum, que te ergues até aos céus, serás abatida até aos infernos; porque, se em Sodoma tivessem sido feitos os prodígios que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje.
24 Eu vos digo, porém, que haverá menos rigor para os de Sodoma, no dia do juízo, do que para ti.

PERDOAR, PERDOAR E PERDOAR


O que você faria se descobrisse que seu melhor amigo irá te trair daqui a um dia ou dois dias e essa traição poderá custar sua vida ou a vida de seu único filho?
O que faria se descobrisse que alguém bem próximo de você irá desconfiar de suas atitudes, de suas palavras e te humilhará na frente de outros amigos?
O que faria se descobrisse que alguém que anda com você 24 horas dirá daqui a algumas horas que não te conhece, que nunca te viu mais gordo?
Qual seria sua atitude?
Você pode me perguntar: "Isso tudo já aconteceu com alguém?".
Sim, isso tudo já aconteceu um dia. Aproximadamente há dois mil anos atrás.
Foi com um cara chamado Jesus! Sabe qual foi sua atitude? Lavou os pés daqueles que ainda iriam errar com ele. O perdão foi dado antes do ato do erro. Não é incrível?
Então é isso o que Jesus queria dizer com perdoar 70 vezes 07?
Então é isso o que queria dizer sobre "Eu vos deixo um novo mandamento... Amai-vos uns aos outros assim como eu vos amei... É sobre esse tipo de amor que Jesus se referia?".
É sobre isso que quero falar com você! Sobre o novo mandamento deixado e demonstrado por Jesus. Sim, demonstrado acima de qualquer coisa.
Uma das últimas coisas que Jesus fez antes de morrer foi deixar bem visível o amor que sentia pelos discípulos. Se observarmos bem sobre a passagem bíblica onde Jesus lava os pés dos discípulos, poderemos tirar dali talvez a maior mensagem sobre o amor e o perdão e sobre como expressar os dois.
Amar como Jesus amou? Como assim? Que amor é esse?
Na passagem do lava-pés tudo fica muito claro.
Bem, vamos lá!
Jesus, sendo Deus, era onisciente, portanto sabia exatamente o que iria acontecer com Pedro, Judas, Tomé e outros mais...
Jesus já sabia que Judas O trairia e mesmo assim lavou seus pés.
Jesus já sabia que Pedro O negaria três vezes e mesmo assim lavou os dedos rachados de seus pés.
Jesus sabia que Tomé questionaria a ressurreição e pediria para tocar em suas chagas e mesmo assim lavou seus pés.
Imagine Jesus lavando seus pés e vendo as cenas futuras. Imagine qual o sentimento de Jesus ao ver tudo aquilo? Sim, porque Ele podia ver o futuro, ou não teria dito para Pedro sobre o fato de que ele iria negar Jesus.
Você lavaria os pés de alguém se soubesse que esse alguém iria roubar sua casa? Sinceramente, lavaria? Daria o perdão antes do ato do roubo?
Onde quero chegar?
Jesus, naquele ato de lavar os pés, estava na verdade perdoando as coisas que ainda iriam acontecer no futuro. Veja bem, nada daquilo havia acontecido, porém Jesus já estava antecipando o perdão a todos os erros.
Aqui está a resposta: Esse é o verdadeiro amor, o novo mandamento.
Um amor capaz de perdoar os erros que ainda irão acontecer. Um amor capaz de perdoar erros que podem te envergonhar e até lhe tirar a vida.
A misericórdia aqui é oferecida antes do pecado. Veja, não há julgamento, apenas perdão e amor. O perdão nos é estendido antes que caiamos no erro.
Conheço mulheres que perdoaram a traição de seus maridos e vice e versa. Mas será que estariam ambos dispostos a perdoar caso acontecesse novamente?
O julgamento de Deus nunca me deixou espantado. Mas a sua graça, a sua misericórdia sempre me deixa atordoado.
Em seus últimos momentos, Jesus simplesmente deixa transparecer esse amor. Esse perdão, essa misericórdia.
Uma misericórdia que antecede o erro.
Uma mão estendida antes da queda.
Uma voz dizendo: Quando você pecar, se você quiser, eu o perdôo e o lavo com meu Sangue.
Não, não há um erro de português aqui. É isso mesmo!
Veja: O ato de pecar está no tempo futuro. O do perdão está no presente.
Será que somos capazes de fazermos o mesmo?
Uma outra pergunta?
Será que temos demonstrado nossos sentimentos de amor aos que nos rodeiam? Temos expressado nosso amor por aqueles que sentam em nossa mesa de jantar? Temos lavado os pés deles ou em casa é mais difícil? Pois foi exatamente isso que Jesus fez. Lavou os pés dos mais próximos dEle.
Jesus sabia que Lhe restava pouco tempo e por isso fez questão de deixar isso bem claro. Nenhum discípulo tinha qualquer dúvida a respeito do amor que Jesus sentia por eles. Essa é sem dúvida uma outra mensagem deixada por Jesus na passagem do lava-pés. Expressar o nosso amor aos de casa, aos mais próximos a nós.
Quanto tempo você acha que lhe resta pra demonstrar seus nobres sentimentos por aqueles que você ama? 10 anos, 01 ano, 01 mês ou menos de 01 minuto?
Será que os que estão a sua volta têm alguma dúvida sobre o seu amor por eles? Seus sentimentos por eles estão claramente expressados?
Não responda essa pergunta de qualquer jeito. Pense a respeito!
Voltando a falar do novo mandamento quero dizer que: Perdoar alguém por nos ter ofendido é até fácil, mas será que estamos preparados para dizermos assim: Irmão, se você errar de novo comigo, seja lá o que for, você já está perdoado! Mesmo se matar o meu filho eu te perdôo! (Conheço alguém que perdoou o assassino do próprio filho).
Uma vez perguntei a um amigo sobre uma briga que teve com outra pessoa. Perguntei se eles já tinham se perdoado e se reconciliado e a resposta foi: bem, eu o perdoei, nós nos reconciliamos, mas daqui pra frente é cada um por si e seja o que Deus quiser. Ele segue o caminho dele e eu o meu.
Não vejo aqui nesse exemplo a aplicação do novo mandamento de Jesus.
Sabe, definitivamente não é isso que Deus quer. O que Deus quer é que possamos dizer uns aos outros: Não importa quantas vezes você caia, o que importa é que sempre estarei de mãos estendidas pra te levantar. Não importa o quanto você errou comigo, o que importa é que te perdôo assim como Deus me perdoa em meus erros.
Marido dizendo isso para as esposas. Esposas dizendo isso para seus maridos.
Um amigo declarando o perdão ao outro
Patrão perdoando o empregado. Empregado perdoando o patrão.
A namorada perdoando o namorado pela traição...
A misericórdia.
Nela está a resposta. A misericórdia que antecede o erro. O coração perdoador. O coração misericordioso.
Um coração misericordioso pode mudar um coração de pedra.
E se você me perguntar se isso é possível eu te responderei: CLARO QUE SIM!
Lembre-se que Deus mora em nossos corações.
Portanto, se o morador dos nossos corações pode perdoar os pecados que ainda vão acontecer, também podemos.
Se Deus pode estender a misericórdia antes do ato pecaminoso, também podemos.
Assim podemos dizer que o novo mandamento é totalmente palpável e aplicável em nossas vidas atuais.
Porque é o coração de Deus que bate no meu!
Dizer que perdoamos e ao mesmo tempo dizer, por exemplo, que o se o irmão ou a irmã cair novamente não os perdoarei! Desculpe-me, mas isso não é o perdão que Jesus pregou, não é o amor do qual Jesus tanto falou. Isso não é exercer o novo mandamento.
Todos somos passiveis de erros e continuaremos errando e na maioria das vezes será o mesmo erro. Estamos sempre batendo na mesma tecla.
Não há tempo hábil. O mundo está à beira do caos, da calamidade por falta de amor. Portanto, vamos praticar sem mais demoras esse novo mandamento dado por Jesus Cristo:
"Amai-vos uns aos outros como eu vos amei...".
Ou melhor, dizendo:
Perdoemo-nos uns aos outros, mas não somente os erros do passado e sim os erros que ainda irão acontecer no futuro. Sejam lá quais forem esses erros, o tamanho deles e suas conseqüências.
E que Deus, morando em nossos corações, nos capacite com tamanha virtude.
Deus o abençoe e faça do seu coração um coração eucarístico!

Dalvimar Gallo (Anjos de Resgate)